Sanções contra o Irã

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Numerosos governos e entidades multinacionais impõem sanções contra o Irã. Após a Revolução Iraniana de 1979, os Estados Unidos impuseram sanções contra o Irã e ampliaram-as em 1995, para incluir as empresas que negociam com o regime iraniano. [1] Em 2006, o Conselho de Segurança da ONU aprovou a Resolução 1696[2] e impôs sanções depois que o Irã se recusou a suspender seu programa de enriquecimento de urânio. As sanções dos Estados Unidos inicialmente visavam aos investimentos em petróleo, gás e petroquímica, as exportações de produtos petrolíferos refinados, e os negócios com o Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica. Esta medida engloba as transações bancárias e de seguros (incluindo com o Banco Central do Irã), transporte marítimo, serviços de webhosting para empreendimentos comerciais e serviços de domain name registry.[3]

Ao longo dos anos, as sanções tiveram um maior impacto sobre a economia e o povo iraniano. Desde 1979, os Estados Unidos têm conduzido os esforços internacionais para usar sanções para influenciar as políticas do Irã, [4] incluindo o programa de enriquecimento de urânio iraniano, que os governos ocidentais temem que seria destinado a desenvolver a capacidade de produzir armas nucleares. O Irã responde que seu programa nuclear é para fins civis, incluindo a geração de energia elétrica e uso médico.[5] Uma vez que negociações nucleares entre o Irã e os governos ocidentais têm falhado, novas propostas para impor sanções econômicas mais fortes contra o Irã estão sendo discutidas. [6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ariel Zirulnick. "Sanction Qaddafi? How 5 nations have reacted to sanctions: Iran", 24 February 2011.
  2. "Security Council demands Iran suspend uranium enrichment by 31 August, or face possible economic, diplomatic sanctions", 31 July 2006.
  3. 31 CFR 560.540 - Exportation of certain services and software incident to Internet-based communications. Legal Information Institute, Cornell University Law School. United States Statutes at Large (10 March 2010).
  4. Younis, Mohamed (7 February 2013). Iranians Feel Bite of Sanctions, Blame U.S., Not Own Leaders Gallup World. Gallup.
  5. U.N. chief says sanctions on Iran affecting its people Reuters. United Nations (5 October 2012).
  6. Timothy Alexander Guzman (10 April 2013). New Economic Sanctions on Iran, Washington’s Regime Change Strategy Global Research.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Videos