San Lorenzo in Damaso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde novembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Interior de San Lorenzo in Damaso.

A igreja de São Lourenço em Damaso ou São Lourenço Fora dos Muros é uma igreja em Roma, imediatamente no exterior da muralha da cidade.

Fica ao lado do maior cemitério de Roma, o Campo Verano.

Está dedicada à memória do mártir São Lourenço. Recusando-se a entregar o tesouro da igreja, que o Papa Sisto II lhe confiara, ao imperador Valeriano, o qual reinou de 253 a 260, Lourenço o confiou a alguns cristãos, retirando-o do alcance dos funcionários imperiais, e aos pobres. Como castigo, foi espancado com pedaços de chumbo, queimado numa grelha e sepultado na catacumba de Santa Ciríaca em Campo Verano.

O imperador Constantino I mandou erguer um santuário sobre seu túmulo em 330 e, mais para o sul, erguer uma enorme igreja, uma basílica. Nada se pode identificar hoje dessas construções.

A basilica atual, particularmente bem adornada com spolia, foi construída pelo Papa Pelágio II cujo pontificado decorreu de 579 a 590, sobre a sepultura do santo. Serviu depois como coro de uma nova igreja, construída no século XIII sob o pontificado do Papa Honório III (1216-1227), que mandou remover a velha ábside e acrescentou uma nave com pórtico que, assim como outras partes internas, se atribui à marmoaria de Vassalletti. Nas paredes ainda se vêem partes dos frescos que mostram cenas da vida de São Lourenço e de Santo Estêvão. Durante a II Grande Guerra, esta igreja foi o único monumento de Roma gravemente atingido, sendo muito reconstruída em 1949.

O coro é sua parte mais esplêndida. O arco triunfal com mosaico que mostra Cristo em esplendor marca a transição para a igreja de Pelágio. O coro pertence ao edifício anterior, e duas das colunas tem capitéis raros, compostos, mostrando troféus da vitória e armas capturadas. No centro, sobre relíquias de São Lourenço e Santo Estêvão, mostra-se um cibório de altar do século XII; tem estrutura tríplice e é considerado entre os mais perfeitos exemplares em Roma.