San Marino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Serenissima Repubblica di San Marino
Sereníssima República de San Marino
Flag of San Marino.svg
Coat of arms of San Marino.svg
Bandeira Brasão de armas
Lema: Libertas
(latim: "Liberdade")
Hino nacional: Inno Nazionale
Gentílico: samarinês;[1] são-marinense[2] , são-marinhense[3] , san-marinense

Localização  São Marinho

Localização de San Marino na Europa (em vermelho)
Capital Cidade de San Marino
Cidade mais populosa Dogana
Língua oficial Italiano
Governo República parlamentarista
 - Capitães-regentes Valeria Ciavatta
Luca Beccari
Independência do Império Romano 
 - Data 3 de setembro de 301 
 - Reconhecido pelos Estados Pontifícios 1291 e 1631 
 - Reconhecido pelo Congresso de Viena 9 de junho 1815 
 - Constituição 8 de outubro de 1600 
Área  
 - Total 61 km² (190.º)
 - Água (%) 0
População  
 - Estimativa de 2013[4] 32 538 hab. (189.º)
 - Densidade 448 hab./km² (13.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2004
 - Total US$ 850 milhões (195.º)
 - Per capita US$ 41.900 (17.º)
IDH (1997) 0,944 (n/a.º) – muito elevado
Moeda Euro (EUR)
Fuso horário 1
Cód. Internet .sm
Cód. telef. +378

Mapa  São Marinho

Sereníssima República de San Marino[5] [6] [7] (também conhecido como São Marinho[8] [9] [10] e São Marino[11] [12] [13] – em italiano: Serenissima Repubblica di San Marino) é um país situado nos Apeninos. Ele é um enclave encravado, completamente envolto pela Itália. Seu tamanho é de apenas 61 km² com uma população estimada em 30 000 hab. Sua capital é a Cidade de San Marino. Um dos microestados europeus, junto com Liechtenstein, Vaticano, Mônaco, Andorra, e Malta, San Marino tem a menor população de todos os membros do Conselho da Europa.

San Marino é o mais antigo Estado soberano e república constitucional do mundo, tendo sido fundada em 3 de setembro de 301 por Marinus de Rab. Diz a lenda que Marinus deixou Rab, então uma colônia romana, em 257, quando o futuro imperador, Diocleciano, emitiu um decreto solicitando a reconstrução dos muros da cidade de Rimini, que havia sido destruída por piratas Libúrnios.[14]

A Constituição de San Marino, promulgada em 1600, é a mais velha constituição do mundo ainda em exercício.[15] Ela estabelece uma forma parlamentar de governo. O parlamento, chamado de Grande e Geral Conselho, possui sessenta membros e é presidido por dois capitães-regentes, que são Chefes de Estado por um prazo de seis meses. O poder executivo é exercido pelo Congresso de Estado, formado de dez conselheiros escolhidos entre os membros do Grande e Geral Conselho.

Apesar de não ser muito industrializado, San Marino tem uma das maiores rendas per capita da Europa. O turismo é a principal fonte de renda do país, devido a sua proximidade com o porto de Rimini, no mar Adriático. Outras fontes de renda são os bancos, produtos eletrônicos e cerâmicas. Cultivam-se vinhas e cereais e criam-se ovinos nos campos.

San Marino tem uma das menores forças armadas do mundo. Seus diferentes ramos têm variadas funções, incluindo: desempenho cerimonial, patrulhamento das fronteiras, montar guarda em prédios do governo, da polícia e de assistência nos principais processos penais. Existe também uma polícia, que é tecnicamente parte das forças militares da República de San Marino.

História[editar | editar código-fonte]

Por volta dos anos 300 San Marino foi fundado por um canteiro cristão da Dalmácia, que se decide refugiar na zona de San Marino. No início do século V, San Marino já era habitado por uma grande comunidade e foi capaz de manter a sua independência.[16]

Vista de San Marino.

Em 1243, foram nomeados os primeiros "grandes conselheiros", os chefes de Estado daquele país. Em 1291, o Papa Nicolau IV passa a reconhecer a independência de San Marino, sendo reafirmada em 1631 pelo Papa Urbano VIII. Depois de Napoleão invadir a península Itálica, em 1797, San Marino rejeitou servir a expansão dos estados papais. Depois das guerras napoleónicas acabarem, o Congresso de Viena, em 1815, reconheceu a independência de San Marino.[16]

Em 1849, foi oferecido por San Marino refúgio a Garibaldi, depois de ter tentando expulsar da Itália os austríacos. Em 1862, foi assinado tratado de amizade com Itália mas San Marino recusou unir-se a ela. O tratado será renovado muitas vezes. Depois na Primeira Guerra Mundial, durante os anos 1915 a 1918 lutou juntamente com Itália. Na Segunda Guerra Mundial manteve neutro e abrigou cerca de 100 mil refugiados. No entanto em 1944 foi bombardeado por um avião dos aliados ao combater os alemães em território italiano. Entre 1943-57, foi governado pelo partido PCS.[16]

Depois, até 1978 o país foi governado por democratas-cristãos (PDCS), de seguida por socialistas coligados com comunistas até 1986. Entretanto em 1960 as mulheres passaram a ter direito ao voto e em 1973 puderam exercer cargos públicos. Em 1986, escândalos financeiros levaram uma coligação dos comunistas e democratas-cristãos ao poder, depois reeleita em 1988.[16]

San Marino entrou para a ONU em 1992. No mesmo ano, com o colapso do comunismo no mundo o partido comunista foi substituído pelos socialistas no governo. Em 2001, o Partido Comunista, agora com o nome do Partido dos Democratas, tem 20% dos votos. Nessas eleições, os sociais-democratas ganharam com 41% e pelos socialistas com 24%. Em 2002, o Euro foi introduzido.[16]

Geografia[editar | editar código-fonte]

San Marino é um enclave no centro da Itália. Está situado entre as regiões de Emília-Romanha e Marcas. Até a independência de Nauru em 1968, San Marino era o menor Estado republicano do mundo. Seu território é montanhoso, incrustado no monte Titano, ramificação oriental dos Apeninos. O Pico de la Rocca (749 m) é o ponto mais alto do país. San Marino possui clima mediterrânico.

Demografia[editar | editar código-fonte]

  • Composição étnica: samarinenses, italianos e outros.
  • Religião: Catolicismo (90%).
  • Idiomas: italiano (oficial) e dialeto romanholo.

Política[editar | editar código-fonte]

A constituição de San Marino tem origem nos estatutos de 1600 e estabelece a forma parlamentar de governo. Com sessenta membros, o Grande e Geral Conselho (Parlamento) é presidido por dois capitães-regentes que são chefes de Estado por um prazo de seis meses. O poder executivo é exercido pelo Congresso de Estado, formado de dez conselheiros escolhidos entre os membros do Grande e Geral Conselho.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Mapa de San Marino, subdividido em seus nove castelli.

San Marino encontra-se dividido em nove municípios ou castelli, que são:

Os nove municípios (castelli) estão subdivididos em 43 fracções comunais[17] , correspondente às fracções comunais italianas. Serravale conta com 8, a cidade de San Marino com 7, Chiesanuova com 7, Borgo Maggiore com 6, Domagnano com 5, Faetano com 4, Fiorentino com 3, Acquaviva com 2 e, Montegiardino com 1. As fracções comunais são as seguintes, por ordem alfabética: Cà Berlone, Cà Chiavello, Cà Giannino, Cà Melone, Cà Ragni, Cà Rigo, Cailungo, Caladino, Calligaria, Canepa, Capanne, Casole, Castellaro, Cerbaiola, Cinque Vie, Confine, Corianino, Crociale, Dogana, Falciano, Fiorina, Galavotto, Gualdicciolo, La Serra, Lesignano, Molarini, Montalbo, Monte Pulito, Murata, Pianacci, Piandivello, Poggio Casalino, Poggio Chiesanuova, Ponte Mellini, Rovereta, San Giovanni sotto le Penne, Santa Mustiola, Spaccio Giannoni, Teglio, Torraccia, Valdragone, Valgiurata e Ventoso.

Economia[editar | editar código-fonte]

Cidade de São Marinho - via Santa Croce (à esquerda) e via Salita alla Roca (à direita).

Apesar de não ser muito industrializado, San Marino tem uma das maiores rendas per capita da Europa. O turismo é a principal fonte de renda do país, por sua proximidade com o porto de Rimini, no mar Adriático. Outras fontes de renda são os bancos, produtos eletrônicos e cerâmicas. Cultivam-se vinhas e cereais e criam-se ovinos nos campos.

Um número considerável de habitantes do país trabalha na cidade italiana de Rimini. Para facilitar o deslocamento dos seus habitantes, existe uma linha de ônibus internacional ligando a cidade de San Marino até Rimini. Mas, como o país está constituído no monte Titano, não é possível para o ônibus chegar ao topo, por isso existe um sistema de teleférico que transporta seus habitantes até as partes mais altas com intervalos de 15 minutos entre uma condução e outra.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Culinária[editar | editar código-fonte]

Desporto[editar | editar código-fonte]

O país é conhecido mundialmente por dar nome ao Grande Prémio de San Marino de Fórmula 1, e ao Grande Prémio de San Marino de MotoGP. No entanto, estes eventos nunca foram realizados na República de San Marino, mas sim nas comunas italianas de Imola (ver artigo: Autódromo Enzo e Dino Ferrari) e de Misano Adriatico (ver artigo: Misano World Circuit Marco Simoncelli), respectivamente.

A República de San Marino possui uma seleção de futebol, considerada como uma das piores do mundo, tendo inclusive levado dez gols da Seleção Belga de Futebol durante as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002 e 13 da Alemanha na qualificação para o Campeonato Europeu de Futebol de 2008[18] . Em abril de 2009, a seleção de San Marino perdeu novamente por dez golos sendo desta vez para a Seleção Polonesa de Futebol em jogo válido para as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010.[19] Seu principal clube é o Murata, que fez história por ser a primeira equipe samarinesa a participar da Liga dos Campeões da UEFA. O jogador mais famoso do Murata é o tetracampeão mundial Aldair, que jogou três Copas do Mundo, e que fez sucesso na Roma.

San Marino também tem seu comité Olímpico reconhecido pelo COI, e ao contrário do que ocorre com outros microestados, como o Principado de Mónaco e a Cidade do Vaticano, tem sua federação nacional de futebol como membro da FIFA.

Notas e referências

  1. Artigo "samarinês" no Dicionário Houaiss
  2. Artigo "são-marinense" no dicionário da Academia Brasileira de Letras, onde não se registra, por exemplo, a forma "são-marinhense".
  3. Ciberdúvidas da Língua Portuguesa - Azerbaijão, Cazaquistão, Andorra, etc.
  4. Bilancio Demografico (movimento della popolazione residente) (PDF). Ufficio Informatica, Tecnologia, Dati e Statistica della Repubblica di San Marino (Março de 2013). Página visitada em 17 de maio de 2013.
  5. Artigo "samarinês" no Dicionário Houaiss, onde aparece como gentílico da "República de San Marino".
  6. http://www.mre.gov.br/index.php?option=com_content&task=category&sectionid=5&id=17&Itemid=298
  7. Manual de Redação e Estilo do jornal O Estado de São Paulo - 2 Edição
  8. Decisão nº 4/92 do Comité de Cooperação CEE-São Marinho de 22 de Dezembro de 1992 relativa a determinados métodos de cooperação administrativos para aplicação do acordo provisório e ao procedimento de reexpedição das mercadorias para a República de São Marinho
  9. ACORDO ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DE SÃO MARINHO SOBRE RELAÇÕES CONSULARES
  10. Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa da Porto Editora (disponível na Infopédia)
  11. Serviço das Publicações Oficiais das Comunidades Europeias - Código de Redacção Interinstitucional - Anexo A5 Lista dos Estados
  12. MNE - Missões Diplomáticas Acreditadas em Lisboa
  13. Livro de estilo do jornal Público
  14. http://www.sanmarinosite.com/eng/leggenda.html
  15. Law Library of United States Congress. Guide to Law Online: San Marino. Página visitada em 2008-05-21.
  16. a b c d e Série de autores e consultores, Dorling Kindersley, History (título original), 2007, ISBN 978-989-550-607-1, pág 521
  17. A subdivisão em fracções comunais para efeitos eleitorais.sm
  18. Match: San Marino vs Germany - European Championship Qualifying - ESPN Soccernet (em inglês). Página visitada em 12 de junho de 2009.
  19. Polônia vence San Marino por 10 a 0 (em inglês)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre San Marino
Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Bandeira de São Marinho São Marinho
Bandeira • Brasão • Hino • Cultura • Demografia • Geografia • História • Imagens