Sancho IV de Leão e Castela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sancho IV
Rei de Leão e Castela
Sancho IV de León y Castilla.jpg
D. Sancho IV de Leão e Castela
no passeio das estátuas do Retiro de Madrid
Governo
Reinado 4 de Abril de 1284 - 25 de Abril de 1295
Antecessor Afonso X de Leão e Castela
Sucessor Fernando IV de Castela
Dinastia Borgonha
Títulos Rei de Castela, Toledo, Leão, Galiza, Sevilha, Córdova, Múrcia, Jaén, Algarve e Algeciras
Vida
Nascimento 12 de Maio de 1258
Valladolid, Espanha
Morte 25 de Abril de 1295 (36 anos)
Toledo, Espanha
Sepultamento Catedral de Santa María, Toledo
Pai Afonso X de Leão e Castela
Mãe Violante, infanta de Aragão

Sancho IV de Leão e Castela (12 de Maio de 1258 - 25 de Abril de 1295), o Bravo, era o segundo filho de Afonso X o Sábio, e de Violante, infanta de Aragão (filha do rei Jaime I de Aragão, o Conquistador, e de sua esposa Violante, Princesa da Hungria). Foi rei desde a morte de seu pai, em 1284, até à sua morte.

Uma vez que primogénito do rei Afonso X, D. Fernando de La Cerda, morreu em Novembro de 1275, o Sábio legou o reino em testamento ao seu neto Afonso de Lacerda, deserdando o seu segundo filho, Sancho.

Assim, em 1282 Sancho juntou uma coligação de nobres para se declararem por si contra o seu sobrinho, e quando o rei Afonso X morreu em 1284, fez-se coroar rei em Toledo. Reconhecido pela maioria das cidades e dos nobres, tinha ainda um grupo bastante numeroso de partidários dos infantes de La Cerda, que reclamavam o seu legado no testamento, e durante todo o reinado, este monarca teve de enfrentar lutas internas.

Um dos personagens que provocou mais discórdias foi o infante D. João, irmão de Afonso X, ao qual se uniu D. Lopo Dias III de Haro, oitavo senhor da Biscaia. Sancho IV acabou por executar de Haro e encarcerar o seu tio D. João. Também, segundo as crónicas, deu a ordem de executar à facada 4000 seguidores dos infantes de La Cerda em Badajoz, 400 em Talavera e outros tantos em Ávila e Toledo.

Arco de Tarifa com uma placa dedicada aos combatentes no conflito de Tarifa

Depois deste saneamento perdoou o seu tio, que pouco depois voltou a rebelar-se, ocasionando o conflito de Tarifa. D. João pediu ajuda aos berberes merínidas e sitiou a praça defendida pelo governador Gusmão o Bom, senhor de Leão, que perdeu o seu filho na batalha. Tarifa foi fielmente defendida e os merínidas regressaram a Marrocos, acabando com os planos do infante D. João e do rei de Marrocos, que pretendia uma invasão.

Quando Jaime II subiu ao trono de Aragão aproximou-se de Sancho IV, e unidos, os dois reis deram um novo impulso à Reconquista. Foi também grande amigo, e tutor do seu primo, o escritor, político e guerreiro, infante D. João Manuel.

O Bravo morreu em batalha, em 25 de Abril de 1295, pouco antes de completar 37 anos de idade. Deixou o seu filho Fernando como herdeiro, sob a regência da sua consorte, D. Maria de Molina. Mas deixou também a herança das disputas e rivalidades com os infantes de La Cerda e os seus partidários.

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Do seu casamento em 1282 com Maria de Molina, senhora de Molina e Mesa (filha de Maior Afonso de Meneses, 5ª senhora de Meneses e de Afonso de Molina, sendo por isso neta da rainha Berengária de Castela e de Afonso IX de Leão), teve:

  1. Isabel, infanta de Castela, viscondessa de Limoges (1283-1328), esposa de Jaime II de Aragão e depois de João III, duque da Bretanha
  2. Fernando IV de Castela (1284-1312), o Emprazado, casado com Constança de Portugal (1290-1313)
  3. Afonso, infante de Castela (1286-1291)
  4. Henrique, infante de Castela (1288-1299)
  5. Pedro, infante de Castela, senhor de Cameros (1290-1319) casou-se com Maria, infanta de Aragão e foi pai de Branca de Castela, primeira consorte de D. Pedro I de Portugal
  6. Filipe, infante de Castela, senhor de Ribera e Cabrera (1292-1359), casou-se com Margarida de la Cerda, neta de Fernando de La Cerda
  7. Beatriz de Castela (1293-1359), consorte de Afonso IV de Portugal

Ainda teve numerosos filhos bastardos de diferentes damas. De uma dama desconhecida nasceu:

  1. Teresa Sanches (1280-?), casou-se com João Afonso Teles de Meneses, 1.º conde de Barcelos.

De Maria Afonso Teles de Meneses (c.1250-?), filha de Afonso Telo de Meneses (1225 -?) “o Tição” e de Maior Gonçales Girão, (1230 -?), filha de Gonçalo Rodrigues Girão e de Sancha Rodriguez, teve:

  1. Violante Sanches, senhora de Uzero (1275-?), casou-se com D. Fernando de Castro, senhor de Lemos e de Monforte

De Maria Peres (c.1260-?):

  1. Afonso Sanches (c. 1280-?), casou-se com Maria Lopes de Haro

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Lecturas históricas españolas, Claudio Sánchez Albornoz & Aurelio Viñas, Madrid (1981). ISBN 84-321-2086-3.
  • C.E.D.R.E. (Cercle d'Etudes des Dynasties Royales Européennes)
  • Larousse encyclopédique en couleurs, France Loisirs (1979).
  • Les Rois qui ont fait la France Philippe le Bel, Georges Bordonove, Edit.Pygamlion (1985)
Precedido por:
Afonso X
Armas do reino de Leão e Castela
Rei de Castela, Toledo, Leão,
Galiza, Sevilha, Córdova, Múrcia,
Jaén, Algarve e Algeciras

1284-1295
Sucedido por:
Fernando IV
Precedido por:
Fernando de La Cerda
Herdeiro de Castela
25 de Julho de 1275 - 4 de Abril de 1284