Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Saint Helena, Ascension and Tristan da Cunha
Santa Helena (território), Ascensão e Tristão da Cunha
Bandeira
Brasão de armas
Bandeira Brasão
Lema: Loyal and Unshakeable (inglês: "Leal e Inabalável" - em Santa Helena)
Our faith is our strength (inglês: "A nossa fé é a nossa força" - em Tristão da Cunha)
Hino nacional: God Save the Queen (inglês: "Deus Salve a Rainha")

Localização  Santa Helena (território), Ascensão e Tristão da Cunha

Localização de Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha no Oceano Atlântico (em vermelho).
Capital Jamestown
15°55′28″S 5°43′5″O
Cidade mais populosa Jamestown
Língua oficial Inglês
Governo Território Britânico Ultramarino
 - Monarca Isabel II do Reino Unido
 - Governador de Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha Mark Andrew Capes
 - Administrador da Ilha de Ascensão Colin Wells
 - Administrador de Tristão da Cunha Alex Mitham
História  
 - Concedido foral a Santa Helena 1657 
 - Encerra a Companhia das Índias Orientais 22 de Abril de 1834 
 - Junção de Ascensão 12 de Setembro de 1922 
 - Junção de Tristão da Cunha 12 de Janeiro de 1938 
 - Constituição actual 1 de Setembro de 2009 
Área  
 - Total 420 km² (n/a.º)
 - Água (%) Desprezível
 Fronteira Oceano Atlântico
População  
 - Censo 2008 5661 hab. 
 - Urbana  (n/a.º)
 - Densidade 88 hab./km² hab./km² 
Moeda Libra de Santa Helena (em Tristão da Cunha, Libra esterlina) (SHP)
Fuso horário UTC+0
Cód. ISO SHN / SH
Cód. Internet .sh e .ac
Cód. telef. +290 (em Ascensão, +247)

Mapa  Santa Helena (território), Ascensão e Tristão da Cunha

Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha[1] é um território britânico ultramarino e um território ultramarino da União Europeia, sendo constituído pelas ilhas de Santa Helena, Ascensão, Gough (ou Gonçalo Álvares) e pelo grupo de Tristão da Cunha. Está localizado no centro do Oceano Atlântico Sul, a meio caminho entre a América do Sul e a África. Até 1 de setembro de 2009, quando entrou em vigor uma nova constituição que deu igualdade de estatuto dentro do território entre as três ilhas, o território era conhecido por Santa Helena e Dependências, sendo informalmente chamado apenas Santa Helena.[2]

O território é conhecido em todo o mundo por abrigar a estratégica Base Aérea da Ilha de Ascensão, além de ter sido o local do exílio de Napoleão Bonaparte, que esteve aprisionado na ilha de Santa Helena durante os seus últimos cinco anos de vida (de 1815 a 1821).

Já o arquipélago de Tristão da Cunha é notoriamente conhecido por ser a região habitada mais remota da Terra.

Divisões administrativas[editar | editar código-fonte]

Administrativamente, o território está dividido em três áreas, cada uma governada por um conselho. O governador do território preside ao Conselho Legislativo de Santa Helena, enquanto é representado por administradores em Ascensão e em Tristão da Cunha, que por sua vez presidem aos conselhos de cada uma das ilhas.

Área
Administrativa
Área
km²
População Centro administrativo Código ISO
Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha Santa Helena 122 4 255 Jamestown SH
Reino Unido Ascensão 91 1 122 Georgetown AC
Flag of Tristan da Cunha.svg Tristão da Cunha 207 284 Edimburgo dos Sete Mares TA
Total 420 5 661 Jamestown SH

História[editar | editar código-fonte]

A Longwood House, onde Napoleão Bonaparte residiu durante boa parte do seu exílio em Santa Helena.

Geologicamente, todas de origem vulcânica, as ilhas de Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha foram todas antigas colónias separadas pertencentes à coroa inglesa, apesar de terem sido todas descobertas por diferentes navegadores portugueses entre 1502 e 1504. Os portugueses acharam-nas desabitadas, com abundância de árvores e água potável. Importaram gado, árvores de fruta e vegetais e construíram uma capela e uma ou duas casas. Apesar de não terem uma população permanente, as ilhas foram-se tornando crucialmente importantes para a recolha de comida e água, e como ponto de encontro para os navios regressados da Ásia.

O inglês Francis Drake, muito provavelmente terá colocado a ilha na volta final da sua circum-navegação do mundo (1577–1580).[3] Seguir-se-iam novas visitas de exploradores ingleses, e a partir do ponto em que a localização de Santa Helena se tornou bem definida nos mapas, barcos de guerra ingleses começaram a utilizar o local para emboscadas aos navios portugueses vindos da Índia. Ao desenvolverem comércio no Extremo Oriente, também os neerlandeses começaram a frequentar a ilha.

A República das Províncias Unidas inicialmente reivindicou Santa Helena em 1633, não se instalando no entanto na ilha. A revindicação inglesa data da suposta visita por parte de Francis Drake. Em 1657, Oliver Cromwell autoriza a Companhia Inglesa das Índias Orientais a governar Santa Helena,[4] e no ano seguinte a mesma companhia decide fortificar a ilha e colonizá-la com plantadores. O primeiro governador, o capitão John Dutton, chegou em 1659, e é com base nesta data que Santa Helena afirma ser a segunda mais antiga (restante) colónia britânicas (depois da Bermuda). Um forte foi construído e foram construídas casas. Após a restauração da monarquia inglesa em 1660, a Companhia das Índias Orientais recebeu um Decreto Real dando-lhe o direito exclusivo de fortificação e colonização da ilha. O forte seria renomeado James Fort e a cidade Jamestown, em honra do Duque de Iorque e herdeiro aparante, mas tarde Jaime II de Inglaterra.

Panorama da ilha de Ascensão.

Em manobras geopolíticas subsequentes, as outras ilhas eventualmente passaram para o recém-criado Reino Unido, enquanto o Império Britânico se transformava numa potência colonial mundial. A ilha mais importante e a primeira a ser colonizada, Santa Helena, havia sido governada pela Companhia das Índias Orientais desde 1659, e tornar-se-ia uma colónia da coroa a 28 de agosto de 1833. A desabitada ilha da Ascensão foi ocupada por militares da Royal Navy a 22 de outubro de 1815, quando a sua localização na nas águas calmas equatoriais se tornou menos importante relativamente à sua importância estratégica como uma estação de abastecimento de carvão centralmente posicionada. Por razões semelhantes Tristão da Cunha foi anexada como dependência da Colónia do Cabo (África do Sul Britânica) a 14 de agosto de 1816 no final das Guerras Napoleónicas.

A união entre estas colónias começou a tomar forma a 12 de setembro de 1922, quando Ascensão se tornou dependência de Santa Helena por carta-patente. Pouco povoada, Tristão da Cunha, ainda hoje pouco mais do que um posto avançado com uma população de menos de 300 pessoas, seguiu-se a 12 de janeiro de 1938. Estes três grupos de ilhas partilhariam esta relação constitucional até 1 de setembro de 2009, quando as dependências foram elevadas a um estatuto de igualdade com Santa Helena e o nome do território mudou de "Santa Helena e Dependências" para "Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha".

Durante os anos da batalha do Atlântico da Segunda Guerra Mundial e nos anos seguintes de combate contra a ameaça dos U-Boats no Atlântico, as ilhas de Santa Helena e Ascensão foram utilizadas como "bases de apoio" pelas forças aliadas.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]