Santa Rita do Trivelato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Santa Rita do Trivelato
Bandeira de Santa Rita do Trivelato
Brasão de Santa Rita do Trivelato
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 28 de Dezembro
Fundação 28 de Dezembro de 1999
Gentílico trivelatense
Prefeito(a) Hugo Garcia Sobrinho (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Santa Rita do Trivelato
Localização de Santa Rita do Trivelato no Mato Grosso
Santa Rita do Trivelato está localizado em: Brasil
Santa Rita do Trivelato
Localização de Santa Rita do Trivelato no Brasil
13° 48' 43" S 55° 16' 01" O13° 48' 43" S 55° 16' 01" O
Unidade federativa  Mato Grosso
Mesorregião Norte Mato-grossense IBGE/2008[1]
Microrregião Alto Teles Pires IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Nova Mutum, Rosario Oeste, Sorriso, Parantinga, Nobres, Nova Ubiratã
Distância até a capital 327 km
Características geográficas
Área 4 728,204 km² [2]
População 2 466 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 0,52 hab./km²
Clima sub-úmido
Fuso horário UTC−4
Indicadores
PIB R$ 288 363,059 mil IBGE/2008[4]
PIB per capita R$ 110 272,68 IBGE/2008[4]
Página oficial

Santa Rita do Trivelato é um município brasileiro do estado de Mato Grosso. Sua população estimada em 2009 era de 2.751 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Santa Rita do Trivelato surgiu no ano de 1977, através de um projeto de colonização da empresa paranaense Colonizadora Trivelato no município de Nobres.

A colonizadora vendia terrenos rurais na região de Santa Rita do Trivelato para agricultores provenientes do Sul do Brasil, principalmente do Estado do Paraná, quais eram atraídos em razão dos baixos preços das terras e da fertilidade do solo.

Para dar apoio às famílias que estavam se instalando na região, a Colonizadora implantou uma pequena vila, que foi denominada de Vila Santa Rita.

O município de Santa Rita do Trivelato foi criado em 28 de dezembro de 1999, através da Lei Estadual nº 7.234, sendo seu território desmembrado do município de Nova Mutum e de Rosário Oeste, após uma mobilização dos moradores de Santa Rita e da região leste do município de Rosário Oeste, que formaram uma Comissão Pró-Criação do município.

O nome do município foi sugerido por Petrônio Sobrinho, em outubro de 1999, sendo uma homenagem a Colonizadora Trivelato e a padroeira da cidade, Santa Rita de Cássia.

Limite Territorial[editar | editar código-fonte]

O art. 3º da Lei Estadual nº 7.234/1999 estabeleceu os seguintes limites territoriais para o município de Santa Rita do Trivelato:

“Inicia na confluência do Córrego Morocó com o Rio Teles Pires ou São Manoel, segue pelo Rio Teles Pires ou São Manoel acima até a barra do Ribeirão Beija-Flor; deste ponto segue pelo Ribeirão Beija-Flor acima até a sua cabeceira, de coordenadas geográficas 14º14’42”S e 55º15’23”WGr; daí segue pelo divisor de águas das cabeceiras dos Rios Novo e Verde e dos Córregos Pilão e Quilombo até a cabeceira do Córrego Alegre, de coordenadas geográficas 14º08’34”S e 55º22’47”WGr; deste ponto segue pelo Córrego Alegre abaixo até a sua barra no Ribeirão do Alegre; segue por este ribeirão abaixo até a sua barra no Rio Verde, daí segue pelo Rio Verde abaixo até a barra do Ribeirão do Moderno; deste ponto segue pelo Ribeirão do Moderno acima até a barra do Córrego São Carlos; segue pelo Córrego São Carlos acima até a sua cabeceira, de coordenadas geográficas 13º22’43”S e 55º38’38”WGr; deste ponto segue por uma linha reta até atingir a cabeceira do Córrego Morocó, de coordenadas geográficas 13º22’04”S e 55º37’05”WGr; daí segue por este córrego abaixo até a sua barra no Rio Teles Pires ou São Manoel, ponto de partida.”

Posteriormente, a Lei Estadual nº 7.805, de 5 de Dezembro de 2002, que anexou ao município de Santa Rita do Trivelato uma área desmembrada do município de Rosário Oeste-MT, determinou novos limites territoriais para o município de Santa Rita do Trivelato:

"Inicia na confluência do córrego Morocó com o rio Teles Pires ou São Manoel, segue pelo rio Teles Pires ou São Manoel acima até a ponte na travessia da rodovia MT-240, daí segue por esta rodovia até o ponto de coordenadas geográficas 14º14’37”S e 55º14’23”WGr, deste ponto segue por uma linha reta até a cabeceira do córrego Limoeiro, de coordenadas geográficas 14º14’29”S e 55º14’22”WGr, daí segue por outra linha reta até a cabeceira do córrego Santidade, de coordenadas geográficas 14º14’42”S e 55º15’23”WGr, daí segue pelo divisor de águas das cabeceiras dos rios Novo e Verde e os córregos Pilão e Quilombo, até a cabeceira do córrego Alegre, de coordenadas geográficas 14º08’34”S e 55º22’47”WGr, daí segue por este córrego abaixo até sua barra no ribeirão do Alegre, daí segue por este ribeirão abaixo até sua barra no rio Verde, segue pelo rio Verde abaixo até a barra do ribeirão do Moderno, daí segue por este ribeirão acima até a barra do córrego São Carlos, segue pelo córrego São Carlos acima até sua cabeceira, de coordenadas geográficas 13º22’43”S e 55º38’38”WGr, deste ponto segue por uma linha reta até a cabeceira do córrego Morocó, de coordenadas geográficas 13º22’04”S e 55º37’05”WGr, daí segue por este córrego abaixo até sua confluência com o rio Teles Pires ou São Manoel, ponto de partida”.

Economia[editar | editar código-fonte]

A principal atividade econômica do município é a agricultura, se destacando pela grande área cultivada de soja.

Além disso, o cultivo de milho e de algodão tem se intensificado nos últimos anos em Santa Rita do Trivelato.

A presença da pecuária é pouco significativa.

Segundo a estimativa do IBGE em 2008, Santa Rita do Trivelato foi o município que apresentou o maior crescimento econômico do país entre os anos de 1991 e 2003, com um indice de 82% ao ano nesse período.

Turismo[editar | editar código-fonte]

O município de Santa Rita do Trivelato tem um grande potencial turístico, sendo cortado por diversos rios e nascentes, incluindo o Rio Teles Pires, o Verde, o Beija Flor e o Morocó e a nascente do Rio Cuiabá.

A vegetação no município é constituída por cerrado e por mata de transição amazônica, ambas ainda bem preservadas.

No município de Santa Rita do Trivelato está situado duas áreas de Proteção Ambiental Estadual: a APA Salto Magessi e a APA Cabeçeiras do Rio Cuiabá.

O Salto Magessi é a grande atração turística do município, sendo inclusive um dos mais belos pontos turísticos do Estado de Mato Grosso e abrigando o festival da pesca em Santa Rita do Trivelato.

As péssimas condições das estradas não-pavimentadas no município e a inexistência de infra-estrutura local dificultam o acesso e a visitação de turistas no Salto Magessi.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE Nº 1, DE 15 DE JANEIRO DE 2013. Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Mato Grosso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.