Santaluz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde setembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Município de Santa Luz
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 18 de julho
Fundação 1935 (79 anos)
Gentílico luzense
Prefeito(a) Zenon Nunes da Silva Filho (Zenonzinho) (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Santa Luz
Localização de Santa Luz na Bahia
Santa Luz está localizado em: Brasil
Santa Luz
Localização de Santa Luz no Brasil
11° 15' 21" S 39° 22' 30" O11° 15' 21" S 39° 22' 30" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Nordeste Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Serrinha IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Valente, Queimadas, Cansanção, Conceição do Coité, Retirolândia, Gavião, Nordestina, Capim Grosso e Araci
Distância até a capital 258 km
Características geográficas
Área 1 563,291 km² [2]
População 36 452 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 23,32 hab./km²
Clima quente
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,598 baixo PNUD/2010 [4]
PIB R$ 102 441,181 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 2 924,47 IBGE/2008[5]
Página oficial

Santaluz é um município brasileiro do estado da Bahia. Sua população estimada em 2013 é de 36.982 habitantes, possui belezas naturais pouco exploradas. É reconhecida na região pela produção do Sisal que foi mais intensivamente explorado até os anos 90, e hoje é o maior produtor de pedra da Bahia, bem como jazidas de ouro recém-descobertas, ainda possui uma das maiores reservas de cromo da região Nordeste, muito embora seja pouco explorado.

História[editar | editar código-fonte]

Igreja Matriz Santa Luzia

A sede municipal de Santaluz se originou, no século passado, de uma estação ferroviária da Leste Brasileiro, obra implantada em local onde havia uma aglomeração de casas, dentro da Fazenda Santa Luzia, no município de Queimadas. Com a inauguração e utilização freqüente da estação, formou-se um arraial, sendo edificadas casas residenciais e comerciais. Município criado com a denominação de Santa Luzia e território desmembrado de município de Queimadas por Decreto Estadual de 18 de Julho de 1935. Em 1943 o topônimo foi alterado para Santaluz. A sede, criada distrito com a denominação de Santa Luzia em 1918, foi elevada a categoria de cidade por Decreto Estadual de 30 de Março de 1938.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Destaca-se também no campo das artes na Literatura de Cordel, Nelci Lima da Cruz, na Literatura Moderna, Guido Guerra, entre outros não citados pelo fato de não haver resgate das culturas marginais. Ainda na produção de artesanatos em barro, sisal, na tradição das manifestações de reizado, piegas, bem como gêneros mais modernos como rock n' roll, possuíndo um movimento bastante veemente, como o Movimento Rock Santa Luz, criado há dez anos, comemorado recentemente, mostrando também tradição nesse tipo de cultura alternativa e assim herdado da geração noventista local esse legado, hoje encontra-se expandindo cada vez mais, muito embora as "autoridades culturais" da região não desempenhem seu papel como deveria, deixando essa cultura riquíssima à margem. Santaluz ficou também conhecida por ser a cidade dos antigos coronéis do sertão, famosos por ser frequentados por grandes coronéis da região sisaleira.

Agricultura[editar | editar código-fonte]

Produção expressiva de sisal, milho,feijão,mandioca,goiaba e hortaliças.

Pecuária[editar | editar código-fonte]

Destacam-se os rebanhos bovinos de leite e corte, ovinos, caprinos, asininos, muares, galinhas caipira de postura e frango.

Indústria e comércio[editar | editar código-fonte]

Conforme registros na JUCEB, o município possui 88 indústrias, 64º. lugar na posição geral do estado da Bahia, e 538 estabelecimentos comerciais, 86ª. posição dentre os municípios baianos. Destaca-se no município o CEFI- Centro de Exercício Físico Integrado, cujo lema é "levando saúde e qualidade de vida para a população".

Mineração[editar | editar código-fonte]

No setor de bens minerais, é produtor de cromo, ouro,magnésio, prata e granito azul para a produção de lages, meiofios, paralelepípedos e artesanatos.

Hotelaria[editar | editar código-fonte]

A rede hoteleira é composta por alguns hoteis e pousadas,como a pousada SantaLuz e os hoteis Requinte, Santa Luzia e Central, o último sendo o primeiro hotel da cidade.

Consumo elétrico residencial[editar | editar código-fonte]

Registro de consumo elétrico residencial (Kwh/hab): 93,62 - 233º. no ranking dos municípios baianos.

Boi Velho: Um dos primeiros povoados de Santaluz[editar | editar código-fonte]

Boi Velho é um povoado do município luzense e surgiu quando Santaluz ainda fazia parte do município de Queimadas. Fica localizado a 9 km da sede luzense, as margens da estrada vicinal que liga Santaluz a cidade de Valente. Sua economia baseia-se na agricultura e na pecuária, sendo o sisal sua principal fonte econômica.

Boi Velho é hoje um dos melhores povoados de Santaluz para residir, pois está localizado numa região atendida por empresas de água, energia, internet e pelas principais empresas de telefonia móvel do Brasil.

O povoado surgiu de uma fazenda chamada Boi Velho. Segundo informações, a fazenda ganhou esse nome pelo fato do fazendeiro ter tido um boi de estimação, que recebia toda atenção do dono. O boi morreu de velho, dando origem ao nome da fazenda Boi Velho. Com o passar do tempo, famílias começaram a construir casas nas proximidades da fazenda e anos depois tornou-se povoado e ganhou o nome de povoado do Boi Velho.

A organização dos imóveis residenciais do povoado obedece a uma localização que privilegia a proximidade de residências de pessoas da mesma família.

Boi Velho deu origem a um povoado do município de Valente, Boi Novo, que faz limite municipal com ele.

Povoados de Santaluz[editar | editar código-fonte]

Boi Velho, Pereira, Algodões, Sisalândia, Nova Campina, Barreirinho, Limeira, Sítio Novo I, Alagoinhas, Mucambinho, Escorrega, Formigueiro, Sítio Novo II, Alagadício do Gato, Gravatá de Dentro, Vargem Funda, Junco, Rua da Palha, Rio Verde, Rio do Peixe, Tanque do Simão, Quixaba, Itarerú, Porco, Sítio Maria Vitória, Casas Velhas, Caldeirão, Queimada Redonda, Queimada do Milho, Cadeirãozinho, Boa Esperança, Ferreiro, Várzea da Pedrinha, Quebradas, Tapinha, Tombador, Antônio Conselheiro, Várzea da Pedra, Lagoa Escura, Miranda, Campo Grande de Cima, Serra Branca, Lagoa das Cabras, Calumbí, Morro Branco, Volta da Serra, Povoado Rose (conhecido Lagoa do Boi), Novo Horizonte, Arapoá, Anjos, Lagoa Escura, Miranda, Aracati, Areial, Capoeira Grande entre outras comunidades.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2013. Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (01 de julho de 2013). Página visitada em 18 de novembro de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 07 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

ref name="IBGE_DTB_2008">Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.