Santana do Acaraú

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Santana do Acaraú
Bandeira de Santana do Acaraú
Brasão de Santana do Acaraú
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 3 de novembro de 1862 (151 anos)
Gentílico santanense
Prefeito(a) Antônio Helder Arcanjo (Pcdob)
(2013–2016)
Localização
Localização de Santana do Acaraú
Localização de Santana do Acaraú no Ceará
Santana do Acaraú está localizado em: Brasil
Santana do Acaraú
Localização de Santana do Acaraú no Brasil
03° 27' 39" S 40° 12' 43" O03° 27' 39" S 40° 12' 43" O
Unidade federativa  Ceará
Mesorregião Noroeste Cearense IBGE/2008[1]
Microrregião Sobral IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Norte: Leste: Amontada e Miraíma, Sul: Sobral, Oeste:
Distância até a capital 228 km
Características geográficas
Área 969,323 km² [2]
População 29 977 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 30,93 hab./km²
Altitude 61m m
Clima Tropical semiárido brando
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,619 médio PNUD/2000[4]
PIB R$ 104 889,054 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 491,53 IBGE/2008[5]
Página oficial

Santana do Acaraú é um município do estado do Ceará, no Brasil. Sua população estimada em 2008 era de 30 041 habitantes. Seu primeiro nome foi Curral Velho. É banhado pelo Rio Acaraú.

Fica distante 228 km de Fortaleza, 35 km de Sobral e 270 km de Parnaíba. Em julho, é comemorada a festa da padroeira da cidade, Nossa Senhora Sant'Anna. As famílias predominantes são: Camilo, Alves, Araújo, Tomaz, Vasconcelos, Arcanjo, Mendes, Carneiro, Pereira e Farias.

História[editar | editar código-fonte]

A cidade comemora seu aniversário de emancipação política (ocorrida em 1862) no dia 3 de novembro. Comemorou 148 anos em 2010.

Suas origens remontam ao início do século XVII e estão divididas em três fases distintas. A primeira relaciona-se com o que se poderia classificar de acidente de percurso, considerando o seu caráter de acidentalidade. A segunda, registrada pouco mais de um século após, vincula-se à primeira excepcionalidade na formação do reduto. E a terceira, já em pleno estado de funcionalidade, registra o agregamento de fazendeiros, colocando em atividade a segunda fase e formando a povoação que só teoricamente existia. Sobre as origens de Santana cf. FREITAS, Vicente. Bela Cruz - biografia do município. Bookess Editora, Florianópolis, 2012. pp. 413–14.

Evolução Política: Depois de chamar-se Olho d’água, deu-se a elevação do povoado à categoria de vila com a denominação de Curral Velho. Houve, como instrumento de apoio, a Lei Provincial 1 012, de 3 de novembro de 1862, ocorrendo sua instalação a 27 de junho de 1863, oportunidade em que se instalaram, também, câmara e senado. Constam, dessa primeira legislatura: 1) Luis Henrique de Oliveira Magalhães – Presidente; 2) Antônio Ferreira Gomes – Vereador; 3)Antônio Carneiro de Araújo – Vereador; 4) Raimundo Xavier Nogueira – Vereador; 5) Joaquim Gomes Carneiro – Juiz de órfãos; 6) João Adeodato Ferreira – Juiz de órfãos; 7) Vicente Casimiro Cavalcante – Procurador.

A elevação do Distrito à categoria de Município provém da Lei 1 740, de 30 de agosto de 1876, com a denominação de Santana.

Igreja: as primeiras manifestações de apoio eclesial estão consignadas na prometida e edificada capela de frei Cristóvão de Lisboa, tendo, como executante, o padre Antônio dos Santos Silveira (1773/1859). Pertencia inicialmente ao Curato da Caiçara, mesmo após a divisão deste com a Freguesia de Amontada, então vinculada ao Curato do Acaraú. Tornou-se freguesia, segundo a Lei Provincial 465, de 29 de agosto de 1848, sendo seu primeiro vigário o padre-encomendado Miguel Francisco da Frota e, como vigário-colado, o padre Barreto, vigário do Crato. Na impossibilidade de assumir, Barreto deu procuração ao seu colega Francisco de Paula Menezes, vindo, por morte do seu constituinte, a transformar-se em vigário-colado, pelo menos até que o cargo fosse levado a concurso e se sagrasse vencedor o padre Francisco Xavier Nogueira.

Urcesino Xavier de Castro Magalhães, nascido em 1841, foi nomeado tabelião do público, judicial e notas. Escrivão do Crime e Cível na Vila de Santana do Acaraú, em 1867 quando a cidade era chamada de Licânia, permanecendo na função até seu óbito no primeiro quartel de 1900. Segundo consta do livro "Assembléia Legislativa 1835-1947", de autoria de Hugo Vitor Guimarães, Urcesino Xavier de Castro Magalhães, que era líder político de grande influência e tinha a patente de coronel da Guarda Nacional, logo que foi criado, em 1891, o Centro Republicano Santanense, foi eleito seu segundo vice-presidente. Registre-se que Urcesino Xavier de Castro Magalhães, possivelmente descendente dos Castros e Silva de Aracati que migraram para o vale do Acaraú através de uma linha de batina ainda não devidamente comprovada, foi um dos 36 deputados constituintes do Ceará, que elaboraram e assinaram a Constituição Estadual, promulgada em 1892, havendo exercido outros mandatos legislativos no final do século XIX.

Outro filho muito ilustre de Santana do Acaraú foi o senador João Cordeiro, grande abolicionista nascido em 31 de agosto de 1842, e que exerceu muitos importantes cargos públicos e políticos, dentre êles o de senador pelo Estado do Ceará de 1892 a 1905 e o de deputado federal também pelo Ceará de 1905 a 1911.

Santana do Acaraú é um dos berços da sabedoria brasileira, berço da intelectualidade cearense, a cidade brasileira que mais coloca pessoas nas universidades, e também a que mais forma médicos, já foi o berço da educação cearense, terra do médico José Osvaldo Soares, terra de pessoas cultas como Audifax Rios,terra do grande politico Dr. Chagas Vasconcelos. Terra de José Alcides Pinto, contemporâneo escritor cearense ganhador de vários prêmios Nacionais de Literatura, entre eles o Prêmio Ficção 2007 da Academia Brasileira de Letras, J. Camelo Ponte, escritor, poeta, compositor e professor universitário. Paulo de Tarso ("Pardal") escritor, professor, músico, poeta, artista plástico.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Ceará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.