Santo Estêvão (Bahia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Santo Estêvão
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação Não disponível
Gentílico santoestevense
Prefeito(a) Orlando Santiago (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Santo Estêvão
Localização de Santo Estêvão na Bahia
Santo Estêvão está localizado em: Brasil
Santo Estêvão
Localização de Santo Estêvão no Brasil
12° 25' 48" S 39° 15' 03" O12° 25' 48" S 39° 15' 03" O
Unidade federativa  Bahia
Mesorregião Centro Norte Baiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Feira de Santana IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Ipecaetá, Rafael Jambeiro, Castro Alves, Antônio Cardoso e Cabaceiras do Paraguaçu.
Distância até a capital 148 km
Características geográficas
Área 365,141 km² [2]
População 52 186 hab. IBGE/2013[3]
Densidade 142,92 hab./km²
Altitude 242 m
Clima Tropical Alternadamente Úmido e Seco
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,626 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 203 212,511 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 383,36 IBGE/2008[5]
Página oficial

Santo Estêvão é um município brasileiro do estado da Bahia. Localiza-se a uma latitude 12º25'49" sul e a uma longitude 39º15'05" oeste, estando a uma altitude de 242 metros acima do nível do mar. Faz parte do Vale do Paraguaçu. Sua população é de 52.186 habitantes de acordo com a estimativa populacional em 2013. Vem alavancando crescimento da economia devido à chegada da fábrica de sapatos Dilly, em 2001, que injeta mais de 9 milhões de reais todo ano na economia local.

Localizada as margens da BR 116, na Microrregião de Feira de Santana. Tem como municípios vizinhos Ipecaetá, Rafael Jambeiro, Antônio Cardoso, Castro Alves e Cabaceiras do Paraguaçu.

Tem a topografia em forma de tabuleiros, assim como Feira de Santana e clima comum ao agreste baiano.

Tem um bom comércio, mas tem ótima atividade rural agropecuária, com destaque à produção de fumo, maior da Bahia, e indústria. A feira-livre no século passado era realizada aos domingos, ao lado da Igreja Matriz, onde também se encontrava o antigo cemitério, até quando foi construída a Praça Sete de Setembro, juntamente com a construção do Mercado Municipal em 1924, pelo Intendente Temístocles Pires de Cerqueira, cuja finalidade era o assentamento das feiras-livres, mas só a partir de 1935 a feira-livre principal passou a ser realizada aos sábados, permanecendo até hoje. O dia de sábado, portanto continua sendo o maior dia de expressão comercial do município, o dia de negócios, entretenimento e relacionamento social.

Chegada da Dass[editar | editar código-fonte]

Em 1999 começou a construção da fábrica de calçados Dilly Nordeste, que em 01 de janeiro de 2010 mudou a razão social para Dass Nordeste Calçados e Artigos Esportivos Ltda. que trouxe esperança de melhores condições econômicas para o município e oportunidade de emprego para a população jovem. Essa indústria passou a mudar a cara do comércio, com o seu funcionamento a partir do ano de 2001. Nesses dez anos, 8.765 funcionários já passaram por ela. Hoje, o número ativo de funcionários é de 2.886, injetando, aproximadamente, dois milhões de reais que passaram a aquecer os diversos setores da economia em todo o município, fortalecendo de forma impressionante o crescimento do comércio.

O comércio local sofreu um estímulo quantitativo na rede de estabelecimentos comerciais, atingindo uma margem de 370% em crescimento - (395 casas comerciais em 2001 para 1.475 em 2011), conforme dados fornecidos pelo Diretor de Tributos do Município Antônio Marcos de Souza Gomes. Este crescimento interno tem atraindo investidores de outros municípios com o surgimento de novas lojas (Real Calçados, Todo Dia, G.Barbosa, Motopel, Guaibim, Cometa Calçados). Com a chegada da fábrica, a forma de vida da população foi transformada, aumentando o crescimento urbano que era de 7.745 lotes registrados em 2001, para 11.000 em 2011, aumentando a construção civil, fortalecendo assim, o ramo de material de construção, gerando mais empregos diretos e indiretos e melhor distribuição de renda para a população.

O número de veículos na cidade aumentou consideravelmente, principalmente o de moto, chegando a vender cerca de 120 motos por mês pela Motopel, conforme dados fornecidos pelo funcionário da área de vendas Gildásio Gomes de Sena, sem falar o número de casas de peças para moto. Essa economia influencia o próprio estilo de vida da população, como a forma de se vestir, de cuidar da estética corporal, freqüentar festas particulares, formas de lazer, viagens, visitações a espaços públicos, passeios e etc.

Radio FM[editar | editar código-fonte]

Paraguassu FM 87.9

História[editar | editar código-fonte]

Existe uma lenda local, de que a cidade teria surgido, através das incursões de um padre que estava a procura de água para os seus animais. Ele teria andado por dias, até chegar em um local que continha água, conhecido como "Riacho Salgado", devido a sua água ser salobra. Isto teria ocorrido por volta de 1739. No ano de 1751 foi criada a freguesia de Santo Estêvão. Em 1827, tornou-se Distrito da Paz. Nessa época Santo Estêvão fazia parte de Cachoeira. Em 12 de julho de 1921 ocorreu a emancipação política de Santo Estêvão, desmembrando o novo município do território pertencente à Cachoeira. Em 21 de setembro do mesmo ano ocorreu a efetivação do novo município, sendo esta data feriado municipal.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Rodoviária da cidade.

Santo Estevão tem, uma geografia semelhante a de estados como Goiás e Tocantins, por ser de topografia plana. Lá também é muito seco, por isso em certas época do ano, muitos agricultores chegam a perder dezenas de cabeças de gado, devido a forte seca existente na região. Sua urbanização é maior que 50%.

Possui uma área de 366,597 km².

Justiça[editar | editar código-fonte]

A instalação do Juizado Especial Criminal é tida como certa, o que irá contribuir para a melhoria dos serviços oferecidos à população. A construção do novo fórum da comarca se deu na gestão do desembargador Edmilson Jatahy Fonseca, natural de Santo Estevão, sendo a primeira comarca do interior do estado da Bahia a ser totalmente informatizada. Recentemente o município de Santo Estevão foi alvo de inestigações da Polícia Federal, investigação essa batizada de Cárcara. funcionários da prefeitura municipal estariam supostamente envolvidos em uma super-manipulação de licitação, além de desvios de verba pública. Ainda em processo de investigações, dois funcionários já foram presos (Gabriela, Bersa) pela Policia Federal, acusados de estarem envolvidos nas supostas manipulações, além de um irmão (Mário de Adém) do Ex-prefeito do município (Orlando Santiago). Ainda em fase inicial das investigações, a Polícia Federal espera, através desta operação, combater a corrupção em todo o estado da Bahia.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Inscrição na entrada do município.

A comemoração do São João é um dos pontos de maior referência na cultura do município, elogiado pelos moradores e turistas. Santo Estevão atrai uma multidão quando o assunto é festa de junina. A cidade se ilumina e ganha estrutura de um autêntico arraiá. Por dia, a praça recebe mais de 30 mil pessoas. Essa época é o ápice da cultura no município.

Toda a festa e agitação acontecem na Praça Sete de Setembro, no centro. Para os turistas que não conhecem a cidade, a bandeirolas são um guia para o palco principal. Este recebe atrações do autêntico pé de serra, forró e sertanejo universitário, que atrai principalmente os jovens. A praça fica lotada. As barracas, com as diversas e saborosas comidas típicas, servem de reabastecimento para o público que curte e dança ao som das melhores bandas.

A comemoração do dia de Santo Estevão, o padroeiro da cidade, no dia 26 de dezembro também é muito comemorado por fieis tanto da zona rural como da zona urbana.

Distante de Salvador apenas 157 km, o município possui abastecimento público de água adequado, estradas que permitem o acesso às principais cidades da região e, com investimentos do setor empresarial e dos Governos do Estado e da União, oferece as condições necessárias para avançar no mercado, gerando emprego e renda.

Os jovens acreditam que através da educação conseguirão melhorar sua qualidade de vida, sendo que muitos estudantes estão cursando cursos técnicos e nível superior, tanto no polo presencial da UNEB Ead do município, quanto na UEFS em Feira de Santana. Atualmente alguns estudantes fazem mestrado e doutorado na UEFS e na UFBA.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 23 de agosto de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.