Sara Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sara Norte
Nome completo Sara Sofia Gaspar Branco Norte Ribeiro
Nascimento 8 de Abril de 1985 (29 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Actriz, Escritora
Atividade 1992 -
IMDb: [http://www.imdb.com/name/nm0635973

personalidade =/ (inglês)]


Sara Sofia Gaspar Branco Norte Ribeiro (Lisboa, 8 de Abril de 1985) é uma actriz e escritora portuguesa. É filha dos actores Vítor Norte e Carla Lupi e irmã do actor Diogo Norte.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Sara Norte estreou-se em publicidade aos 4 anos. O seu primeiro anúncio foi um detergente da loiça Super Pop Limão. A fama chegou quando a atriz tinha 12 anos. A sua família, juntamente com ela, foram ao programa Super Bebés da RTP com apresentação de Alexandra Lencastre. Piet-Hein, na altura, diretor da Endemol, comentou com Sara Norte que iria haver um casting para crianças, procurando atores para uma nova série. Assim, surgiu a série da SIC Médico de Família.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Tu e Eu - 2013
  • Há Vagas para Raparigas de Fino Trato - 2003

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Eu, Sara, Me Confesso - 2013

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Sara está afastada da representação nos últimos anos. Em 2010 trabalhava no Deluxe Clube, um bar de striptease, em Lisboa. O pai, Vítor Norte, veio a público referir que não sabia que a filha trabalhava no Deluxe Clube. "Estou estupefacto! Estou chocado (...) Não tenho falado com ela regularmente", afirmou o ator, assumindo preocupação sobre o futuro da filha. Posteriormente, Sara disse que esse trabalho fortaleceu a relação com o pai[1] .

Após sair da prisão, voltou a representar a 13 de julho de 2013 no Teatro da Comuna na peça ‘Tu e Eu’[2] . Em outubro de 2013 iniciou um romance com o futebolista Fábio Paim[3] , que terminou em dezembro do mesmo ano[4] .

Acusada de destruir casa[editar | editar código-fonte]

Em 2010, Sara foi acusada de danos e de abuso de confiança, já que durante os seis meses que habitou uma casa que arrendou, nunca pagou a renda, no valor de 500 euros mensais. Quando o contrato acabou, Sara nunca devolveu a chave do imóvel. Simplesmente abandonou-o. Quando a proprietária lá chegou viu que tinha sido tudo destruído deliberadamente. A casa ficou inutilizada, devastada com verdadeiros actos de vandalismo, buracos nas portas, cabos eléctricos arrancados, tubos de canalização entupidos, paredes escritas, mobiliário e vidros partidos. Na altura, a proprietária do imóvel ameaçou levá-la a tribunal. A promessa foi cumprida e a primeira audiência esteve marcada para o dia 3 de fevereiro de 2012, tendo sido adiada para junho de 2012.

Além de incorrer numa pena que poderá atingir os três anos de prisão, Sara Norte deverá ter que pagar uma indemnização, pois o prejuízo ascende aos 10 mil euros[5] .

Condenação em Espanha[editar | editar código-fonte]

Em 6 de fevereiro de 2012, Sara Norte foi detida em Algeciras (Espanha) com 800 gramas de haxixe no estômago. A ex-atriz regressava com dois amigos (um deles menor) de uma viagem a Marrocos e foi interceptada na fronteira pela polícia espanhola. Sara Norte ficou imediatamente detida porque já tinha antecedentes criminais naquele país pelo crime de tráfico de droga[6] . Após ter sido detida recusou a ajuda do Consulado português em Sevilha.

Em 21 de Fevereiro de 2012, Sara foi condenada a uma pena de 16 meses de prisão, que foi cumprida no Centro Penitenciário de Botafuegos, em Algeciras[7] .

À pena de 16 meses, juntou-se uma outra de 14 meses de uma condenação anterior pelo mesmo crime e também em Algeciras. A pena anterior de 14 meses ficou suspensa, com a condição de a atriz não voltar a incorrer em novo delito. Ao ser novamente condenada a suspensão da primeira pena foi revogada, pelo que tem de cumprir dois anos e meio de prisão numa cadeia espanhola[8] .

Sara Norte saiu da prisão em 4 junho de 2013, depois de passar 486 dias encarcerada[9] .

Em entrevista à RTP, revelou que realizou mais de 30 viagens a Marrocos e que ganhava mil euros por cada uma e ingeria 100 bolas de haxixe de cada vez. Também afirmou que não se considera traficante, mas "mula"[10] .

Em setembro de 2013, Sara Norte apresentou o seu livro, “Eu, Sara, Me Confesso“, onde recorda os 16 meses que passou na prisão[11] .

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]