Satcitananda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde maio de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Satcitānanda, Satchitānanda, ou Sat-chit-ānanda (em sânscrito: सच्चिदान) "existência, consciência, êxtase”, é uma descrição da experiência subjetiva de Brâman. Essa experiência sublime, de pura e infinita consciência é um vislumbre da realidade definitiva.

Na escola de filosofia hindu Advaita Vedânta, uma pessoa que passa pela experiência de Brâman é chamada de jivanmukta.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A descrição compreende três palavras em sânscrito - ‘’sat’’, ‘’chit’’ e ‘’ananda’’:

  • sat सत् (particípio presente): "Verdade", "ser absoluto", "uma força palpável de virtude e verdade". Sat descreve uma essência que é pura e eterna, que nunca muda;
  • cit चित् (substantivo): "consciência", "verdadeira consciência”, "estar consciente de", "entender", "compreender";
  • ānanda आनन्द (substantivo): "êxtase", "verdadeiro êxtase", "felicidade”, "alegria", "deleite", "prazer".

"Sat-Chit-Ananda” é a palavra composta em sânscrito que pode ser traduzida de diversas formas:

  • “Introspecção é a verdade feliz viva";
  • "Consciência de Felicidade Eterna"
  • "Consciência de Felicidade Absoluta"
  • (adjetivo) "Composto de existência, pensamento e alegria".

Interpretação[editar | editar código-fonte]

Filosofia Vaishnava[editar | editar código-fonte]

Para os vaishnavas (devotos de Vishnu), saccidānanda está relacionada à Vaikuntha, casa de Vishnu.

Filosofia Vedanta[editar | editar código-fonte]

A filosofia vedântica entende que saccidānanda é um sinônimo para os três atributos fundamentais de Brâman.

Hinduísmo moderno[editar | editar código-fonte]

Na visão evolucionária da alma e do Universo de Sri Aurobindo, na qual saccidānanda é o principal termo, embora a alma seja encarnada em maya e sujeita ao espaço, matéria e tempo, ela mantém uma singularidade contínua com saccidānanda.

Aurobindo sustenta que existe um poder supremo, que é a primeira emanação da saccidānanda e pode ser invocada através da prática da yoga.