Saturday Night Live

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde maio de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Saturday Night Live
Saturday Night Live (PT/BR)
Informação geral
Formato Programa de auditório
Gênero Programa de variedades, stand-up comedy
Duração 90 minutos (com comerciais)
Criador(es) Lorne Michaels
País de origem  Estados Unidos
Idioma original (em inglês)
Produção
Diretor(es) Dave Wilson (1975–1986, 1989–1995)
Paul Miller (1986–1989)
Beth McCarthy-Miller (1995–2006)
Don Roy King (2006–presente)
Produtor(es) Steve Higgins
Marci Klein
Narrador(es) Don Pardo (1975–1981, 1982–presente)
Bill Hanrahan (1981)
Mel Brandt (1981–1982)
Elenco Vanessa Bayer
Aidy Bryant
Taran Killam
Kate McKinnon
Seth Meyers
Bobby Moynihan
Nasim Pedrad
Jay Pharoah
Cecily Strong
Kenan Thompson
Bret Bennett
John Milhiser
Kyle Mooney
Mike O'Brien
Noël Wells
Brooks Wheelhan
Exibição
Emissora de
televisão original
Estados Unidos NBC
Formato de exibição 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Transmissão original 11 de outubro de 1975 - presente
N.º de temporadas 37
N.º de episódios 724 (lista de episódios)
Cronologia
Programas relacionados Saturday Night Live (versão brasileira)

Saturday Night Live (abreviado como SNL) é um programa de televisão semanal de comédia criado por Lorne Michaels e desenvolvido por Dick Ebersol.[1] O programa teve o seu primeiro episódio exibido pela NBC em 11 de outubro de 1975, sob o título original de NBC's Saturday Night. O programa gira em torno de uma série de sketches parodiando a cultura e a política americana[2] , realizada por um grande e variado elenco a cada semana.[2] [3] Cada episódio é apresentado por uma celebridade convidada que atua no monólogo de abertura e participa de croquis com o elenco, contando com um convidado musical. SNL normalmente começa com um teaser que termina com um ator saindo do personagem e proclamando, "Live from New York, it's Saturday Night!", abrindo o programa na sequência.[4] Em Portugal, foi inicialmente transmitido pela SIC Comédia até ao cancelamento do canal, actualmente passa no FX Portugal. No Brasil, o programa norte-americano é transmitido no canal Sony e uma versão brasileira foi exibida e cancelada em 2012 pela RedeTV, apresentado pelo humorista Rafinha Bastos[5] e contando com mais dez humoristas no elenco.[6]

Gravado no estúdio 8H na sede da NBC no GE Building, SNL já foi ao ar com 724 episódios desde sua estréia e terminou sua trigésima sétima temporada em 19 de maio de 2012, tornando-o um dos mais prolongados de programas da rede de televisão nos Estados Unidos a partir de 2012. O formato de programa é desenvolvido e recriado em vários países, incluindo Espanha, Itália, Japão, Coréia do Sul e Brasil, cada versão com diferentes níveis de sucesso. Sketches de sucesso foram produzidas fora do programa, como em filmes, embora só dois se encontraram com sucesso de crítica e financeira: The Blues Brothers (1980) e Wayne's World (1992). O programa tem sido comercializado em outras formas, incluindo versões home media de estações, livros e documentários sobre as atividades por trás das cenas de execução e desenvolvimento do show.

Michaels deixou a série em 1980 para explorar outras oportunidades, e ele foi substituído por Jean Doumanian que levou a atração para comentários desastrosos e foi substituído por Ebersol depois de uma temporada. Ebersol continuou a executar o programa até 1985, quando Michaels voltou e onde permanece desde então. Muitos do elenco do SNL descobriram o estrelato nacional quando se apresentou no programa e conseguiu o sucesso no cinema e na televisão, tanto em frente e atrás da câmeras.[5] Em particular, SNL ajudou a lançar as carreiras de Dan Aykroyd, John Belushi, Chevy Chase, Jimmy Fallon, Will Ferrell, Tina Fey, Eddie Murphy, Bill Murray, Mike Myers e Adam Sandler.[5] Além disso outros associados com o programa, como os escritores, passaram a carreiras de sucesso, incluindo Conan O'Brien, Brooks Max, Stephen Colbert, Larry David, Al Franken, Sarah Silverman e Robert Smigel.

Ao longo de suas mais de três décadas no ar, Saturday Night Live recebeu uma série de prêmios, incluindo 21 Prêmios Emmy do Primetime, um prêmio Peabody e três Writers Guild of America Award. Em 2000, foi empossado na National Association of Broadcasters Hall of Fame. Foi classificado em décimo lugar na TV Guide no ranking dos "50 Grandes Shows de TV de Todos os Tempos" da lista, e em 2007 ela foi listada pela revista Time como um dos "100 maiores shows de TV de todos os tempos".[7] Em 2009, recebeu 13 indicações ao Emmy trazendo o programa um total de 126, dando-lhe as maiores indicações ao Emmy na história da televisão. O aspecto ao vivo da atração resultou em diversas controvérsias e atos de censura, com erros e atos intencionais de sabotagem por artistas e convidados.

Produção[editar | editar código-fonte]

Tina Fey além de atriz era produtora executiva do programa.

Kenan Thompson(1978), Nasim Pedrad (1981), Abby Elliott (1987), Jenny Slate (1982), Andy Samberg (1978), Bobby Moynihan (1977) e Bill Hader (1978 são os únicos membros do elenco a terem nascido após a criação desse espetáculo.

Equipe[editar | editar código-fonte]

Elenco[editar | editar código-fonte]

O elenco atual do programa está listado abaixo[8] :

Atuais Membros do Elenco Membros Eventuais
  • Beck Bennett (2013–presente)
  • John Milhiser (2013–presente)
  • Kyle Mooney (2013–presente)
  • Mike O'Brien (2013–presente)
  • Noël Wells (2013-presente)
  • Brooks Wheelhan (2013-presente)
  • Colin Jost (2014-presente)
  • negrito denota âncora do quadro Weekend Update.

Apresentadores[editar | editar código-fonte]

Palco do SNL.

Convidados[editar | editar código-fonte]

Episódios[editar | editar código-fonte]

Melhores de SNL[editar | editar código-fonte]

  • Os humoristas indicados em verde, foram os eleitos como os melhores de Saturday Night Live.
Ator Anos Temporadas Número de Episódios "Melhor de SNL"
Darrell Hammond 1995–2009 14 258
Al Franken 1977–1980; 1985–1986; 1987–1995 12 90
Tim Meadows 1991–2000 10 190
Seth Meyers 2001–presente 10 138
Fred Armisen 2002–presente 9 118
Kevin Nealon 1986–1995 9 175
Maya Rudolph 1999–2007 9 135
Phil Hartman 1986–1994 8 155
Chris Kattan 1996–2003 8 150
Horatio Sanz 1998–2006 8 162
Chris Parnell 1998–2006 8 148
Amy Poehler 2001–2008 8 140
Dana Carvey 1986-1993 7 125
Rachel Dratch 1999–2006 7 138
Will Ferrell 1995–2002 7 140
Will Forte 2002–2009 7 118
Tracy Morgan 1996–2003 7 146
Mike Myers 1989-1995 7 122
Molly Shannon 1995-2001 7 118
Adam Sandler 1991-1995 4 44

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Sinéad O'Connor[editar | editar código-fonte]

Em 3 de outubro de 1992, O'Connor foi programada para aparecer, realizando uma performance a cappella de "War", canção de Bob Marley. Durante o ensaio, O'Connor levantou uma foto de uma criança dos Bálcãs como um protesto para o abuso de crianças na guerra antes de se curvar e deixar o palco, onde o diretor do episódio, Dave Wilson, descreveu como um "momento muito sensível".[9] No entanto, durante o show ao vivo, O'Connor alterou um trecho lírico de "War", "lutar contra a injustiça racial", para "combater o abuso de crianças" como um protesto contra os casos de abuso sexual na Igreja Católica Romana. Ela apresentou uma foto do Papa João Paulo II e, ao cantar a palavra "mal", rasga a imagem em pedaços e dizendo "Combata o inimigo real".[9] [10] A NBC não tinha conhecimento prévio do plano de O'Connor, e Wilson, propositadamente, não usou o botão "aplauso", deixando o público a sentar-se em silêncio. Michaels fez a decisão de permitir O'Connor para subir ao palco com o resto do elenco no final do programa, para o qual foi posteriormente punido. A NBC recebeu milhares de telefonemas furiosos na sequência do incidente, e protestos contra O'Connor ocorreram fora do prédio 30 Rock, onde um rolo compressor esmagou dezenas de suas fitas, CDs e LPs.[9] Nas semanas seguintes no SNL, os convidados Joe Pesci e Madonna, manifestaram a sua falta de apoio para O'Connor.[9] [10]

Em 2012, a NBC ainda se recusa a retransmitir a seqüência com a exceção de uma entrevista com O'Connor no programa The Rachel Maddow Show, exibido pelo canal MSNBC em 24 de abril de 2010, quando o clipe foi exibido na íntegra. Em reprises o incidente é substituído com a performance do ensaio geral. O episódio original foi disponibilizado em quatro volumes do DVD especial Saturday Night Live - 25 Years of Music, com uma introdução de Michaels sobre o incidente. Em 20 de fevereiro de 2011, o clipe foi exibido no especial "Backstage", mostrando imagens do ensaio e performance ao vivo lado a lado. Foram feitos cortes para os entrevistados durante o momento em que a foto foi rasgada.

O incidente foi ironizado durante um episódio da série de televisão 30 Rock, em que uma mulher vai para um palco da NBC, e as lágrimas, rasga a foto de O'Connor pela metade.[11]

Rage Against the Machine[editar | editar código-fonte]

Em 13 de abril de 1996, a banda Rage Against the Machine (RATM) foi programa para executar duas músicas. O programa foi apresentado naquela noite pelo ex-candidato presidencial republicano Steve Forbes. De acordo com o guitarrista do RATM, Tom Morello, "RATM queria ficar em justaposição afiada para um bilionário contando piadas e promover seu imposto fixo, fazendo nossa própria declaração".[12] Para este fim, a banda pendurou, de cabeça para baixo, duas bandeiras dos Estados Unidos nos seus amplificadores. Segundos antes de subir ao palco para executar "Bulls on Parade", SNL e NBC enviaram ajudantes para puxar as bandeiras para baixo.[13] Após a remoção das bandeiras durante a primeira apresentação, a banda foi abordada por funcionários do SNL e NBC e obrigada a sair imediatamente do edifício. Ao ouvir isso, o baixista Tim Commerford supostamente invadiu o camarim de Forbes, jogando retalhos de uma das bandeiras arrancadas. Morello observou que os membros do elenco do SNL e da equipe técnica, a quem ele se recusou a citar, "expressou solidariedade com as nossas ações, e um senso de vergonha que seu programa havia censurado a performance".[12]

Filmes baseados no SNL[editar | editar código-fonte]

Filme Estréia Ganho Gross Rotten Tomatoes
Avaliação
Metacritic
Avaliação
The Blues Brothers 1980 $27 million $57,229,890 76% -
Wayne's World 1992 $20 million $121,697,323 83% 53
Wayne's World 2 1993 $40 milhões $48,197,805 58% -
Coneheads 1993 ? $21,274,717 27% -
It's Pat 1994 ? $60,822 0% -
Stuart Saves His Family 1995 $15 milhões $912,082 29% -
A Night at the Roxbury 1998 $17 milhões $30,331,165 10% 26
Blues Brothers 2000 1998 $28 milhões $14,051,384 45%
Superstar 1999 $14 milhões $30,636,478 33% 42
The Ladies Man 2000 $11 milhões $13,616,610 11% 22
MacGruber 2010 $10 milhões

Outras versões[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

No dia 1 de março de 2012, a Rede TV! anunciou que o humorista Rafinha Bastos seria o produtor-executivo da versão brasileira do SNL. O programa manterá o esquema tradicional do original americano: um apresentador por noite, sketchs e um convidado musical. Apesar do nome original ser mantido, o programa é apresentado aos domingos. Além de Rafinha, outros humoristas que fazem parte do elenco do SNL são: Marcela Leal, Anderson Bizzocchi, Claudio Carneiro, Marco Gonçalves, Carol Zoccoli, Rudy Laducci e Fernando Muylaert. A direção é de Tininha Araújo.

Referências

  1. Geoffrey, Hammill. Saturday Night Live — The Museum of Broadcast Communications. The Museum of Broadcast Communications. Página visitada em 14 de fevereiro de 2010.
  2. a b NBC.com > Saturday Night Live (About). NBC.com. Página visitada em 14 de fevereiro de 2010.
  3. Saturday Night Live Cast and Crew. TV.com. Página visitada em 14 de fevereiro de 2010.
  4. Tom, Shales (10 de novembro de 2002). FIRST CHAPTER: 'Live From New York'. New York Times. Página visitada em 14 de fevereiro de 2010. [ligação inativa]
  5. a b c Felipe Virgili. Saturday Night Live: saiba como deve ser o programa de Rafinha Bastos. RedeTV!.com.br. Página visitada em 28 de maio de 2012.
  6. Rede TV! divulga data de estreia e detalhes de novo programa de Rafinha Bastos. UOL. Portal Imprensa (16 de maio de 2012). Página visitada em 17 de maio de 2012.
  7. Poniewozik, James. "Os 100 Maiores shows de TV de todos os tempos", Time, 2007-09-06.
  8. SNL Cast from NBC
  9. a b c d Jake, Tapper (12 de outubro de 2002). Sinéad was right. Arts & Entertainment. Salon.com. Página visitada em 24 de outubro de 2006.
  10. a b The Onion AV Club "Inventory: Ten Memorable Saturday Night Live Musical Moments."
  11. 30 Rock: Live From Studio 6H. Página visitada em 6 de maio de 2012.
  12. a b Anon., Saturday Night Live Incident, Public release and distribution. Retrieved November 12, 2007.
  13. Rage Against the Machine. The Flag Burning Page. Página visitada em 2008-03-16.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre televisão nos Estados Unidos é um esboço relacionado ao projeto televisão. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.