Satyrium (orquídea)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaSatyrium
Satyrium pumilum

Satyrium pumilum
Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Asparagales
Família: Orchidaceae
Subfamília: Orchidoideae
Tribo: Diseae
Subtribo: Satyriinae
Género: Satyrium
Sw. 1800
Espécie-tipo
Orchis bicornis
L. 1760
Distribuição geográfica
Satyrium distribution map.png
Espécies
83 espécies, ver quadro abaixo
Sinónimos
Diplectrum Pers. 1807
Hipporkis Thouars 1809
Aviceps Lindl. 1838
Satyridium Lindl. 1838

Satyrium é um género botânico pertencente à família Orchidaceae, composto por 83 espécies terrestres, muito raramente epífitas, dispersas pela África tropical e setentrional, Madagascar, Ilhas Comores e Reunião, Iemen, Sri-Lanka, e subcontinente indiano até o sudoeste da China e Mianmar, geralmente em áreas montanhosas ou de clima temperado, com maior concentração na Africa do Sul.[1] Junto com Pachites forma a subtribo Satyriinae de Diseae. O nome deste gênero vem do grego satyrus, sátiro, figura mitológica meio homem meio bode, em referência ao labelo de suas flores que apresenta dois calcares.[2]

As espécies de Satyrium encontram-se adaptadas a diversas condições ambientais. Na África do Sul, são comuns sob luz solar direta, em solos arenosos, e mesmo rupícolas, tanto em encostas como areias costeiras. Mais ao norte, na África tropical, habitam tanto áreas de savanas como alagadiços ao longo das correntezas ou sobre pedras cobertas de musgo. Na Ásia são encontradas tanto em campinas de elevadas altitudes como no solo de florestas sujeitas às monções. A floração da grande maioria das espécies aparentemente é estimulada por incêndios ocasionais.[2]

Satyrium é um gênero que comporta plantas anuais muito variáveis, dotadas de poucas raízes que apresentam tubérculos que origina plantas de caules, em regra lisos, com até oitenta centímetros de altura, com poucas folhas basais ou caulínias. A inflorescência apresenta brácteas esverdeadas, ocasionalmente brancas ou róseas, não se ramifica e comporta pequenas flores terminais não ressupinadas de cores diversas, com sépalas e pétalas parecidas, frequentemente unidas na base. O labelo é côncavo até elmiforme prolongando-se em dois calcares na base, raramente quatro. A coluna é variável e auriculada e contém duas polínias.[2] A polinização das flores de Satyrium, as quais apresentam enorme variabilidade morfológica, dá-se por diversos tipos de moscas, borboletas, mariposas, abelhas e mesmo pássaros.[3]

Aparentemente Satyrium passa por ativo ciclo evolutivo e a variabilidade de suas espécie deriva da multiplicidade de agentes polinizadores diferentes decorrentes de sua ampla dispersão, e também de acentuada tendência de hibridização natural, criando grande gama de grupos de plantas cuja identidade exata é de difícil determinação.[3]

Em 1999 foi publicada uma revisão das espécies de Satyrium baseada em caracteres morfológicos,[4] na qual se dividia o gênero em três subgêneros, Brachysaccium, Bifidum, e Satyrium. No entanto, análises moleculares de 2005 parecem indicar, que estes três subgêneros não são monofiléticos, e mesmo lançam algumas dúvidas sobre o correto posicionamento da subtribo Satyriinae em Diseae, aventando a hipótese de ser na realidade mais proximamente relacionada a outros grupos da subfamília Orchidoideae, principalmente Orchideae.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. R. Govaerts et al.: World Checklist of Orchidaceae. The Board of Trustees of the Royal Botanic Gardens, Kew. Publicado na Internet (em inglês) (Consultada em fevereiro de 2009).
  2. a b c Kurzweil, H. & Linder, P.: (2001) Phylogenetics of Orchidoideae. In A. M. Pridgeon, P. J. Cribb, M. W. Chase, and F. N. Rasmussen eds., Genera Orchidacearum, vol. 2, Orchidoideae part 1. Oxford University Press, Oxford, UK ISBN 0198507100.
  3. a b Van Der Niet, Timotheüs e Lindera, H. Peter: Dealing with incongruence in the quest for the species tree: A case study from the orchid genus Satyrium. Institute of Systematic Botany, University of Zurich, Switzerland, Dezembro de 2007. publicado na internet
  4. Johnson, S.D., Linder, H.P. e Steiner, K.E. (1998). Phylogeny and radiation of pollination systems in Disa (Orchidaceae). American Journal of Botany, 85, 402-411,
  5. Van Der Niet, Timotheüs; Linder, H. Peter; Bytebier, Benny; Bellstedt, Dirk U.: Molecular Markers Reject Monophyly of the Subgenera of Satyrium (Orchidaceae) em Systematic Botany Vol. 30-2, pp. 263-274. American Society of Plant Taxonomists, Junho de 2005. publicado na internet

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Satyrium
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Satyrium (orquídea)
Ícone de esboço Este artigo sobre orquídeas (família Orchidaceae), integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.