Scalabrinianos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Congregação dos Missionários de São Carlos, também conhecidos como carlistas ou scalabrinianos, foi fundada pelo Beato João Batista Scalabrini e tem como patrono São Carlos Borromeu. A Congregação tem como lema: Eu era estrangeiro e me acolhestes (Mt 25,35). Por ser um piedoso homem, extremamente preocupado com a difusão do Evangelho, Scalabrini foi definido pelo Papa Pio IX como o Apóstolo do Catecismo.

Os scalabrinianos são uma família religiosa católica, constituída por duas congregações e um instituto secular, fundada por Dom João Batista Scalabrini em Piacenza.

Após elaboradas as regras, a Congregação foi aprovada pelo Papa Leão XIII, a 28 de novembro de 1887. Sua finalidade é a formação religiosa, moral, social e legal dos migrantes. Para cumprir esta finalidade, Dom Scalabrini fundou também, em 1895, um segmento feminino, a Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos, que proporcionou grandes frutos, dentro da pregação e ensino catequético aos imigrantes. Diversas outras congregações scalabrinianas expandiram-se rapidamente pelo mundo.

A Congregação Missionárias Seculares Scalabrianas, foi fundada no ano de 1961, dentro do espírito missionário e catequizador do Beato João Batista Scalabrini.

Lema religioso[editar | editar código-fonte]

A Congregação Scalabriniana adotou como lema a palavra de Jesus Cristo, conforme expressa no Evangelho de Mateus, capítulo 25, versículo 35, parte b:

Cquote1.svg Eu era estrangeiro e me acolheste". Cquote2.svg
Mateus 25,35

Duas congregações[editar | editar código-fonte]

Para ambas as congregações, masculina e feminina, o bispo Scalabrini escolheu como padroeiro o cardeal São Carlos Borromeu. Por isso, os scalabrianianos (ou escalabrinianos), como ficaram sendo conhecidos seus seguidores, são chamados também de carlistas — principalmente no Brasil. Na congregação escalabriniana há irmãos não ordenados, que somente professam seus votos, e há os que são ordenados. O seu carisma é anunciar o mistério da salvação no meio da mobilidade humana dos povos. Reunir o povo de Deus disperso numa família humana, testemunhar a catolicidade do Reino mediante a evangelização das comunidades migrantes.

Missão[editar | editar código-fonte]

Dedica-se fundamentalmente à atenção aos migrantes, especialmente aqueles que, necessitam de um atendimento pastoral específico. Os escalabrinianos servem os migrantes em âmbito espitirual e social em vinte e quatro nações da Ásia, Oceania, Europa, África e Américas, oferecendo centros de primeira acolhida, casas para marítimos, vilas para migrantes idosos, centros de estudos e de pesquisas, além de atuarem na difusão de jornais e programas de rádio e de televisão. Possuem casas de formação para religiosos e leigos, têm presença nos Conselhos Pontifícios para a mobilidade, em comissões episcopais ou diocesanas para as migrações, pregações de missões volantes, ensino, animação de paróquias multiétnicas e de missões étnicas.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A família scalabriniana é formada por:

  • A Congregação dos Missionários de São Carlos Borromeu, uma comunidade religiosa masculina fundada em 1887.
  • As Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeu, uma comunidade fundada em 1895 pelo beato Scalabrini e pelos irmãos Giuseppe e Assunta Marchetti, tendo por missão assistir os migrantes e os peregrinos, de preferência os mais pobres.
  • As Missionárias Seculares Scalabrinianas, um instituto secular fundado em 1961 em Soletta (Suíça).

Ramo feminino[editar | editar código-fonte]

A Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeu ou Escalabrinianas (Missiinariae Sancti Caroli - Scalabinianae) (MSCS)– também foi fundada pelo beato João Batista Scalabrini em Piacenza, Itália, no dia 25 de outubro de 1895 e tem como Co-fundadores os irmãos padre José Marchetti e Madre Assunta Marchetti. Sua missão é o serviço evangélico e missionário aos migrantes, de preferência os mais pobres e necessitados.

A congregação expandiu-se inicialmente no Brasil e, em seguida, na Europa (1936), na América do Norte (1941) e, nos últimos decênios, em outros países da América Latina, na Ásia e na África. Hoje está presente em vinte países e conta com oitocentas e quatorze freiras e cento e cinqüenta e nove comunidades.

Fiel ao carisma e atenta aos desafios da mobilidade humana, a congregação acolhe a proposta da Igreja de servir junto àquela parcela do gênero humano em mobilidade e ser "sinal da ternura de Deus e testemunho particular do mistério da Igreja que é virgem, esposa e mãe" (V.C. 57) em sintonia com as palavras do evangelho: "era estrangeiro e me acolhestes" (Mt 25,35).

Há um ramo feminino de missionárias seculares, instituído Como missionárias seculares, não estáveis, estas mulheres são enviadas não somente a viver no mundo a sua consagração, mas a permanecer em um diálogo constante com ele, a reconhecer em cada ambiente o lugar ideal para criar espaço, no caminho dos votos, à vida de Nosso Senhor Jesus Cristo pobre, virgem e obediente, verdadeiro homem universal.

Ramo leigo[editar | editar código-fonte]

Há um ramo de Missionários Leigos Escalabrinianos (Missionarii Laici Saclabriniani) (MLC), uma espécie de Ordem Terceira, cujo propósito de vida é ver, de um modo específico, o chamado vocacional do batismo e a dimensão de Igreja, através da participação e partilha do carisma escalabriniano anunciando Nosso Senhor Jesus Cristo e testemunhando a identidade de leigo missionário nos diversos âmbitos da vida cotidiana e no empenho missionário com os migrantes, a fim de que: "de todos os povos se forme um só povo e de toda a humanidade um só rebanho sob a guia de um único Pastor".

Breve história[editar | editar código-fonte]

No começo a Congregação teve difusão no Brasil e depois na Europa (1936), na América do Norte (1941), e no fim do século XX em outros países da América Latina, da Ásia e da África.

Bispos Scalabrinianos viventes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Catolicismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.