Sderot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sderot
Coat of arms of Sderot.png
Brasão de armas de Sderot
Sderot Shelter.JPG
Abrigo antiaéreo em Sderot
Hebraico שְׂדֵרוֹת
Árabe سديروت
Significado Boulevards
Fundada em 1953
Governo Cidade
Distrito Sul
Coordenadas 31° 31′ N 34° 35′ E
População 19.300 (2007)
Jurisdição 4.472 dunams (4,472 km²)
Prefeito David Buskila

Sderot (hebraico שׂדרות, significado: "boulevard", árabe سديروت) é uma cidade israelense, localizada no distrito Sul, perto da Faixa de Gaza. Foi declarada como cidade em 1996. Segundo o Escritório Central de Estatísticas de Israel, a população de Sderot, no fim de 2006 era de 19.300.[1]

Sua proximidade com a Faixa de Gaza (situada a menos de 2.5km) faz com que Sderot seja um alvo fácil de foguetes Qassam, lançados do território palestino desde o início da Segunda Intifada. [2]

Sderot é uma das cidades mais pobres de população judia no país[carece de fontes?]. Somente 3 de 10 alunos conseguem o diploma do ginásio[carece de fontes?].

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros habitantes de Sderot chegaram em 1951 ao acampamento de trânsito (ma'abara) de Gevim-Dorot, parcialmente situado em terras do antigo vilarejo árabe de Najd. O vilarejo havia sido destruído como parte do plano D (em hebraico, Daleth) da Haganah e a população expulsa refugiou-se na Faixa de Gaza, no contexto do êxodo palestino ligado à guerra civil no Mandato da Palestina e à primeira guerra israelo-árabe, que se seguiram à criação do Estado de Israel.[3] .

Os novos residentes da área eram, em maior parte, refugiados judeus curdos e iranianos, que, por vários anos, permaneceram acampados em barracas. As primeiras casas só foram construídas em 1954.

Ao longo da década de 1950, Sderot recebeu também numerosos imigrantes originários do Marrocos e da Romênia. Era a mais ocidental das chamadas "cidades de desenvolvimento" do norte do deserto de Negev. Para essas cidades, implantadas no meio do nada e sem real perspectiva de desenvolvimento econômico, foram enviados os imigrantes judeus mais pobres, vindos do Marrocos [4] e depois, da URSS e da Etiópia. Nos fim dos anos 1990 essas cidades detinham apenas 17% da população de Israel mas respondiam por 40% dos desempregados do país%. Enquanto a taxa de desemprego do país era de aproximadamente 9%, nas "cidades de desenvolvimento" chegava a ser o dobro. [5] . Ainda hoje, essas cidades apresentam uma taxa de desemprego bem superior à média nacional, e centenas de famílias ali vivem abaixo do limiar de pobreza [6] [7]

Sderot obteve o estatuto de conselho local em 1958. À época do censo de 1961, 87% dos imigrantes provinham da África do Norte (principalmente do Marrocos) enquanto que 11% eram originários do Curdistão.[8]

Na década de 1990, Sderot recebeu também um grande contingente oriundo da ex-URSS e sua população dobrou. Em 1996, obteve o estatuto de cidade.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Population of Localities Numbering Above 1,000 Residents and Other Rural Population (PDF) Israel Central Bureau of Statistics (30 de junho de 2008).
  2. 23 Years and 6,311 Rockets, 7 de dezembro de 2008.
  3. Ilan Pappé, Le nettoyage ethnique de la Palestine, p.195.
  4. Shlomo Elbaz (24 de fevereiro de 1999). Les Maghrébins en Israël : identité, culture, intégration..
  5. (em inglês) Andrew Humphreys, Neil Tilbury ; colab. : Andrew Humphreys, Neil Tilbury. Israel & the Palestinian Territories, 3rd, illustrated, revised, Lonely Planet Publications, 1998, ISBN 9780864423993.
  6. Fonte : AUJF .
  7. Israel: report highlights deteriorating social conditions. Por Jean Shaoul. 11 de janeiro de 2001.
  8. Meron Rapoport: Os pioneiros de Sderot, Haaretz, 31 de Maio de 2007. (em inglês)
O mapa mostra quão próxima Sderot está da Faixa de Gaza
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de Israel é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.