Sebastião Phillipes Martins Estácio da Veiga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Sebastião Phillipes Martins Estácio da Veiga (Tavira, 6 de Maio de 1828 - Lisboa, 7 de Dezembro de 1891), foi um arqueólogo, e escritor, português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carta Archeologica do Algarve 1878

Estácio da Veiga nasceu na cidade de Tavira em 6 de Maio de 1828. Estuda no Liceu de Faro, frequenta a Escola Politécnica de Lisboa, e segue a carreira de oficial de secretaría da Sub-Inspecção Geral dos Correios e Postas do Reino.

Em 1876, após as fortes cheias ocorridas no Algarve, o gabinete de Fontes Pereira de Melo encarrega-o de fazer o levantamento dos vestígios arqueológicos que ficaram a descoberto tanto nesta região (como seja o caso das ruínas de Milreu), como no Alentejo. O resultado do seu trabalho dará origem à Carta Arqueológica do Algarve (1878), culminando na fundação do Museu Arqueológico do Algarve, em Lisboa.

No ano de 1880, Estácio da Veiga secretaría o Congresso Internacional de Antropologia e de Arqueologia Pré-Histórica, em Lisboa.

Estácio da Veiga foi membro de diversas sociedades das quais se destacam a Academia das Ciências de Lisboa, o Instituto Arqueológico de Roma, a Sociedade Francesa de Arqueologia, a Real Academia de História de Madrid, a Academia Belga de Arqueologia e Instituto Arqueológico e Geográfico de Pernambuco.

Sebastião Phillipes Martins Estácio da Veiga teve o foro de fidalgo Cavaleiro da Casa Real, tal como o seu pai, José Agostinho Estácio da Veiga.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Gibraltar e Olivença, Apontamentos para a História da Usurpação Desta Duas Praças, (1863)
  • Plantas da Serra de Monchique Observadas Nesse Ano, (1866)
  • Os Povos Balsenses, Sua Situação Geográfica e Física, Indicada por dois Monumentos Romanos Descobertos em Tavira, (1866)
  • Romanceiro do Algarve, (1870)
  • A Tábula de Bronze de Aljustrel, (1876)
  • Antiguidades de Mafra, (1879)
  • Memórias das Antiguidades de Mértola, (1877)
  • Carta Arqueológica do Algarve, (1878)
  • Ode a Luís de Camões em 10 de Junho de 1880, (1880)
  • Projecto de Legenda Simbólica para a Elaboração e Interpretação da Carta de Arqueologia Histórica do Algarve, (1885)
  • As Orquídeas de Portugal, (1886)
  • As Antiguidades Monumentais do Algarve, (1886-1891, quatro volumes)
  • Programa para a Instituição dos Estudos Arqueológicos em Portugal, (1891)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Redacção Quidnovi, com coordenação de José Hermano Saraiva, História de Portugal, Dicionário de Personalidades, Volume XX, Ed. QN-Edição e Conteúdos,S.A., 2004
  • CHAGAS, Ofir Renato das. Tavira, Memórias de uma Cidade, Edição do Autor. 2004
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.