Sebastia (Nablus)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sebastia
سبسطية , Sebastiya , Sebaste
—  Cidade antiga  —
Sebastia vill.jpg
Sebastia está localizado em: Territórios Palestinos
Sebastia
Localização de Sebastia na Palestina
32° 16' 34" N 35° 11' 43" E
País  Palestina
Província Nablus
Administração
 - prefeito Ma’amun Harun Kayed[1]
Área
 - Total 4,8 km²
População (2007)
 - Total 4 114
    • Densidade 857,1/km2 
Sítio www.sabastiya.org.ps
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Sebastia

Sebastia (em árabe: سبسطية, Sebastiya; em grego: Σεβαστη, Sebastē em latim: Sebaste) é uma vila palestina menos de 5 000 habitantes[2] localizada na Província de Nablus na Cisjordânia, por volta de 12 quilômetros a noroeste de Nablus[3] . A maior parte das terras da vila estão localizadas na Área C, nos termos dos Acordos de Oslo[4] .

História e arqueologia[editar | editar código-fonte]

Em Sebastia estão diversos locais de importância arqueológica[5] . A antiga Sebaste na Samaria está localizado logo acima da área habitada da vila moderna, no declive oriental das montanhas vizinhas[6] . As ruínas dominam a região à beira dos montes e compreendem os restos de pelo menos seis culturas que ocuparam o local sucessivamente nos últimos 10.000 anos: os canaanitas, os israelitas, os helenos, os herodianos, os romanos e os bizantinos[7] .

A cidade foi destruída por Alexandre, o Grande, em 331 a.C., e foi novamente arrasada por João Hircano em 108 a.C.[8] . Pompeu reconstruiu a cidade em 63 a.C. e, em 27 a.C., Augusto a deu para Herodes, o Grande. O novo dono expandiu e renovou a cidade, rebatizando-a de "Sebaste" (que significa "Augusto"), em homenagem ao imperador romano[8] . Herodes também fez com que seus dois filhos, Alexandre e Aristóbulo, fossem levados para Sebaste e estrangulados em 7 a.C. após um julgamento em Berito (com a permissão de César)[9] .

Sebastia também é mencionada nas obras de Yaqut al-Hamawi (1179–1229), um geógrafo sírio que a situou como parte da província filistina de Jerusalém, localizada a dois dias de viagem da cidade, no distrito de Nablus. Ele também escreveu "Estão ali as tumbas de Zakariyyah (Zacarias) e Yahya, o filho de Zakariyyah (João Batista), e a de muitos profetas e homens-santos"[10] .

Na moderna Sebastia, a principal mesquita da vila, conhecida como Mesquita de Nabi Yahya, está localizada sobre os restos da catedral cruzada, à beira da praça principal[6] . Estão ali também tumbas reais do Império Romano[5] e uns poucos edifícios medievais, ao passo que existem lá diversos outros prédios da época do Império Otomano, preservados em bom estado de conservação[6] .

Referências

  1. Municipalities Nablus Municipality
  2. 2007 PCBS Census. Palestinian Central Bureau of Statistics. p.110.
  3. Nablus. Visitado em 2007-09-14.
  4. Shavei Shomron's buffer zone legalized by Israel's supreme court Applied Research Institute Jerusalem (1 July 2006). Visitado em 2007-09-15.
  5. a b United Nations Development Programme (23 April 2003). Spain helps restore Sebastia, Palestinian town with historic sites United Nations. Visitado em 2007-09-14. [ligação inativa]
  6. a b c Michael Hamilton Burgoyne and Mahmoud Hawari. (May 19, 2005). "Bayt al-Hawwari, a hawsh House in Sabastiya". Levant 37: 57–80. Council for British Research in the Levant, London.
  7. Holy Land Blues Al-Ahram Weekly (5–11 January 2006). Visitado em 2007-09-14.
  8. a b Sebaste, Holy Land Atlas Travel and Tourism Agency.
  9. Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas 16.11.7
  10. LeStrange, 1890, p. 522.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]