Sede do BankBoston

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sede do BankBoston
Edifício Itaú Bank
Sede do BankBoston.JPG
Sede do BankBoston visto na Marginal Pinheiros
São Paulo, SP, Brasil Brasil
Inauguração 2002
Período de construção 2000
Uso Escritórios
Altura
Telhado 145 m (476 ft)
Características
Andares 35

Sede do BankBoston (também conhecido como Edifício Itaú Bank e Itaú Fidelité Marginal Pinheiros) é um arranha-céu, atualmente é o 230º arranha-céu mais alto do mundo, com 145 metros (476 ft). Edificado na cidade de São Paulo, Brasil, foi concluído em 2002 com 35 andares, o que também o torna um dos maiores e mais modernos arranha-céus do país. Recentemente o edifício foi adquirido pela Hines do Brasil, uma das líderes mundiais em Real Estate, e é locado à Nestlè. A estrutura é um grande arranha-céu de escritórios, localizado na Vila Cordeiro, junto ao centro financeiro do Brooklin, à beira da Marginal do Rio Pinheiros, na zona oeste da cidade, inaugurado em 2002. Em 2006 a filial brasileira do BankBoston foi vendida para o Banco Itaú. Hoje, algumas pessoas o chamam de Edifício Itaú Bank.

Início da Construção[editar | editar código-fonte]

Vista do edifício e do Brooklin ao fundo.

A construtora Hochtief, de capital alemão, foi a escolhida para erguer a nova sede do BankBoston, no terreno localizado na Marginal Pinheiros da capital paulista. O projeto da instituição financeira demandaria o investimento de cerca de US$ 65 milhões, segundo o gerente de Desenvolvimento de Novos Negócios da Hochtief, Léo Teixeira. A sede do BankBoston ocupa uma área de 30 mil metros quadrados e deverá contar com 25 pavimentos. De acordo com a instituição, as obras foram iniciadas em maio de 2000 e finalizadas em 28 meses até a conclusão em 2002. Ao lado do edifício do banco, foram construídos um hotel da rede Hyatt, dos Estados Unidos e uma torre de escritórios da ACD, empresa do ex-acionista do Grupo Pão de Açúcar.

Atualmente, o prédio é locado a empresa Nestlé.

Materiais[editar | editar código-fonte]

A atenção com a qualidade dos materiais selecionados e o atendimento às especificações dos projetos foram um item relevante durante a obra. A determinação do BankBoston em substituir os granitos branco e preto provenientes dos EUA e Zimbábue pelo produto nacional é um exemplo.

Procurando manter as mesmas características do projeto original, foi realizada uma pesquisa de campo, resultando na escolha de jazidas do Ceará e Paraíba, de onde foram extraídos cerca de 500 m³ de Granito Branco e 200 m³ de Granito Preto para o revestimento do edifício.

Em São Pauto, os blocos foram serrados e lustrados, sob rigorosa fiscalização, e depois cortados em placas sob medida. A fixação foi toda feita com elementos em aço inoxidável e o silicone de vedação das juntas é monocomponente e não acético. O sistema metálico de fixação foi escolhido por ser o mais moderno em termos de segurança, desempenho e alta durabilidade. Além disso, o colchão de ar que se forma por detrás das placas interfere positivamente na eficiência e economia no calculo do ar-condicionado.

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

Vista da sede do BankBoston à noite. Ao fundo, o Espigão da Paulista.

A Sede do BankBoston é uma das obras de arquitetura e de engenharia mais complexas e inovadoras erguidas em solo brasileiro no período recente. O complexo, com sua importante área verde, aproxima a construção e seu entorno. O conceito geométrico da torre e as áreas para pedestres formam um pano de fundo axial na paisagem. O espaço de escritórios do edifício abriga 3.000 usuários, sendo 8% do mesmo destinados a particulares. 10 % da área construída referem-se a salas de reunião e áreas comuns. O espaço total é utilizado para atividades bancárias, comerciais e administrativas. Há, igualmente, lanchonete com capacidade para 500 pessoas, auditório com 300 lugares e centro de reuniões. A torre, concebida como fachada em forma escalonada, é composta por granito, metal e vidro. Sua estrutura, de concreto moldado in loco com vigas protendidas, cria silhueta moderna e distinta no perfil da cidade.

Dificuldades[editar | editar código-fonte]

Vista da Sede do BankBoston, CENU, Ponte Octávio Frias de Oliveira, e a Sede da Rede Globo em São Paulo

A maior dificuldade encontrada pela equipe responsável pela implantação da obra do edifício foram, sem dúvida, a compatibilização dos projetos e a adaptação dos mesmos aos sistemas construtivos e materiais disponíveis no mercado nacional. Originalmente concebido nos EUA, o projeto contou com a intervenção de diversos projetistas nacionais, cuja missão foi tropicalizar e ajustar o projeto à realidade brasileira. Esta tropicalização fez com que os executores da obra tivessem que se adaptar às especificações previamente estipuladas, o que efetivamente gerou alguns contratempos de ajuste. Mesmo assim, a experiência foi proveitosa. No BankBoston, foram envolvidos no projeto, um aspecto interessante que foi poder compatibilizar as diversas visões que ocorrem numa equipe composta de profissionais de várias nacionalidades.

Implantação[editar | editar código-fonte]

A logística de abastecimento e o transporte vertical de materiais e equipamentos são aspectos relevantes na implantação da obra. Para isso, em boa parte do período da sua execução, a obra contou com duas gruas e dois elevadores de cremalheira montados na fachada. Com a instalação dos elevadores definitivos do prédio, parte deles foi utilizada ainda durante a execução da obra, permitindo a desmobilização dos elevadores de cremalheira existentes na fachada. Ao todo, mais de 1.500 trabalhadores fizeram parte da obra, em um movimento que chegou a até 100 caminhões de entulho por dia.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Sede do BankBoston

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Plaza Centenário
Arranha-céu mais moderno do Brasil
2002 - 2007
145 m
Sucedido por
Eldorado Business Tower
Precedido por
West Side
Arranha-céu mais alto do Brasil
Posição 13º
145 m
Sucedido por
Edifício Banco do Brasil