Segundo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Medidas
Tempo
Segundo | Minuto | Hora | Dia | Semana | Quinzena | Mês | Bimestre | Trimestre | Semestre | Ano | Biênio | Triênio | Quadriênio | Quinquênio | Década | Século | Milênio
Comprimento
Yoctômetro | Zeptômetro | Attômetro | Femtômetro | Picômetro | Nanômetro | Micrômetro | Milímetro | Centímetro | Decímetro | Metro | Decâmetro | Hectômetro | Quilômetro | Megametro | Gigametro | Terametro | Petametro | Exametro | Zettametro | Yottametro

Outras:
Ångström

Massa
Grama | Decigrama | Centigrama | Quilograma | Megagrama | Gigagrama | Teragrama | Petagrama | Exagrama

Segundo (símbolo: s, que deve ser grafado em letra minúscula, com exceção de inícios de frase, também como símbolo " ) é uma unidade de medida angular usada também para medir intervalos tempo. Originalmente, o segundo deveria ser o tempo que o sol a pino leva para percorrer a distância de 1/86400 da circunferência terrestre, ou seja, 462,962 metros na linha do equador. Em 1818, juntamente com o metro, passou a ser uma unidade padrão no Sistema Internacional de Unidades (SI). Hoje o segundo é definido tecnicamente como a duração de 9'192'631'770 períodos da radiação correspondente à transição entre dois níveis hiperfinos do estado fundamental do átomo de césio 133.

Embora seja uma prática relativamente comum, a escrita do segundo com dois apóstrofos, com o objetivo de designar uma grandeza temporal e não trigonométrica, isto é, oficialmente, considerado um erro.[1]

Big Ben, o relógio que é referência mundial na determinação do tempo

História[editar | editar código-fonte]

Desde a pré-história, o homem busca realizar a contagem do tempo e, para isto, utiliza medidas[2] . Os sumérios, residentes na mesopotâmia, foram um dos primeiros povos a elaborar um calendário. Ao longo de toda a história, as unidades criadas pelos povos para medir o tempo basearam-se em fenômenos celestes.

Antes do relógio mecânico[editar | editar código-fonte]

Os egípcios subdividiam o dia e a noite em períodos de doze horas cada um desde pelo menos 2000 AC, o que levava a que a duração de uma hora variasse com a estação do ano. Os astrônomos gregos Hiparco (c. 150 AC) e Ptolemeu (c. AD 150) subdividiram o dia de maneira sexagesimall e usaram a hora média como (124 dia), frações de hora (14, 23, etc.) e tempo-graus (1360 dia ou quatro segundos modernos), mas não minutos modernos ou segundos.[3]

O dia foi subdividido sexagesimalmente, ou seja por 160, depois 160, depois 160 sucessivamente, até 6 casas depois do ponto sexagesimal (uma precisão de mais de 2 microsegundos) pelos babilônicos depois de 300 AC. F[4] Os babilônios não usava a hora, mas usavam a hora-dupla (120 minutos), o minuto grau (4 minutos) e a cevada com duração de 313 de segundo (equivalente ao helek hebraico),[5] , porém não subdividiam de maneira sexagesimal essas unidades menores de tempo.

No ano 1000AD, o erudito persa al-Biruni calculou as luas novas de semanas específicas como sendo um número de dias, horas, minutos, segundos, terços e quartos depois do meio-dia de domingo. [6] Em 1267, o cientista medieval Roger Bacon definiu o horário de luas cheias como um número de horas, minutos, segundos, terços e quartos (horae, minuta, secunda, tertia, e quarta) depois do meio-dia de datas específicas do calendário.[7] Apesar de um terço de 160 de segundo permanece em algumas línguas, como por exemplo polonês(tercja) e turco (salise), o segundo moderno é subdividido decimalmente.

O segundo contemporâneo[editar | editar código-fonte]

Historicamente, o segundo era entendido como 1/86400 de um dia solar médio (ou 1/3600 de uma hora, ou 1/60 de um minuto), sendo assim definido em relação às dimensões e a rotação da Terra.

Note-se que o dia solar não é exatamente o tempo da rotação da terra; a diferença entre ambas as medidas se dá pelo fato de que, ao longo de um dia, a terra percorre uma fração de sua translação em torno do sol.

No entanto, entendeu-se que a rotação terrestre era demasiadamente imprecisa e por isso se optou por usar uma fração da revolução da Terra em torno do Sol, definindo-se (em 1954 e ratificado em 1960 pela 11ª Conferência Geral de Pesos e Medidas) o segundo como 1/31 556 925,9747 do tempo que levou a Terra a girar em torno do Sol a partir das 12 horas do dia 4 de janeiro de 1900.[8]

Com o desenvolvimento de relógios atómicos, tornou-se mais fácil medir a duração da transição entre dois níveis de energia de um átomo ou molécula. Isto tornou também possível medir o tempo com maior precisão que utilizando a definição corrente.[8] Assim, a 13ª Conferência Geral de Pesos e Medidas, em 1967, substituiu a definição do segundo:

Cquote1.svg O segundo é a duração de 9 192 631 770 períodos da radiação correspondente à transição entre dois níveis hiperfinos do estado fundamental do átomo de césio 133. Cquote2.svg
13ª CGPM, 1967-1968, Resolução 1[8] [9]

O Comitê Internacional de Pesos e Medidas, em 1997, afirmou que a definição do segundo refere-se ao átomo de césio cuja temperatura termodinâmica seja igual a 0 K.[8]

O símbolo ν (hfs Cs) é utilizado para designar a frequência de transição hiperfina do átomo de césio no estado fundamental[10]

Múltiplos e submúltiplos[editar | editar código-fonte]

  • Um microssegundo é uma unidade de tempo do SI igual a um milionésimo (10−6) de segundo. É frequentemente usado para medir fenômenos como reações químicas e atômicas, que ocorrem normalmente em intervalos imperceptíveis de tempo.
  • O uso do nanossegundo é muito comum, especialmente na área de telecomunicações, pulsos de lasers e algumas áreas da eletrônica. Em 1 ns, a luz percorre 29,9792458 cm exatos no vácuo (pela definição do metro). Mas a velocidade da luz é menor quando dentro de materiais, indicado por um índice de refração maior que 1. Assim, no ar (1,003), a luz viaja 29,89 cm em 1 ns, mas percorre "apenas" 22,54 cm na água (1,33) cada nanossegundo.
  • As ondas de luz visível oscilam com períodos em torno de 1 fentossegundo.
Múltiplo Equivalente decimal Nome Símbolo
10−3 0,001 milissegundo ms
10−6 0,000001 microssegundo µs
10−9 0,000000001 nanossegundo ns
10−12 0,000000000001 picossegundo ps
10−15 0,000000000000001 fentossegundo fs
10−18 0,000000000000000001 atossegundo as
10−21 0,000000000000000000001 zeptossegundo zs
10−24 0,000000000000000000000001 yoctossegundo ys

Ajustes[editar | editar código-fonte]

Um segundo bissexto, também chamado segundo intercalar ou segundo adicional é um ajuste de um segundo para manter os padrões de contagem de tempo próximos ao tempo solar. Os segundos bissextos são necessários para manter os padrões sincronizados com os calendários civis, cuja base é astronômica.

Aplicações[editar | editar código-fonte]

A Era UNIX teve início no dia a 1 de janeiro de 1970. O nome se deve ao fato de esta data, dia 1 de janeiro de 1970 às 00:00:00 do Tempo Universal Coordenado (UTC) no calendário gregoriano proléptico, ser o marco zero do sistema de calendário usado pelo sistema operacional UNIX. Também pode ser chamada de era POSIX.

O horário Unix, definido como o número de segundos passados desde o epoch, não considerando segundos bissextos, é largamente utilizado em sistema operacionais do tipo Unix bem como em outros sistemas. Ele não é uma representação linear nem uma representação verdadeira do tempo UTC, por não considerar os segundos bissextos (e.g. 31-12-1998-12 23:59:60).

Referências

  1. IPEM. Grafia dos Nomes e Símbolos do SI. IPEM. Página visitada em 11 de fevereiro de 2012.
  2. Paula, Ricardo Normando Ferreira de. A Origem da contagem do Tempo. Info Escola.
  3. G. J. Toomer. Ptolemey's Almagest. Princeton, New Jersey: Princeton University Press, 1998. ISBN 978-0-691-00260-6
  4. O Neugebauer. A history of ancient mathematical astronomy. [S.l.]: Springer-Verlag, 1975. ISBN 038706995X
  5. Veja p. 325 em Neugebauer, O. The astronomy of Maimonides and its sources, Hebrew Union College Annual, volume 22 , pp. 321–360, 1949.
  6. al-Biruni. The chronology of ancient nations: an English version of the Arabic text of the Athâr-ul-Bâkiya of Albîrûnî, or "Vestiges of the Past". [S.l.: s.n.], 1879.
  7. R Bacon. The Opus Majus of Roger Bacon. [S.l.]: University of Pennsylvania Press, 1928. ISBN 9781855068568
  8. a b c d Sistema Internacional de Unidades. INMETRO. Página visitada em 2 de novembro de 2009.
  9. Le Système international d’unités (em francês). Bureau international des poids et mesures. Página visitada em 2 de novembro de 2009. "La seconde est la durée de 9 192 631 770 périodes de la radiation correspondant à la transition entre les deux niveaux hyperfins de l’état fondamental de l’atome de césium 133."
  10. Alciene Salvador Paulo Roberto da Fonseca Santos(Coordenadores Editoriais) (2006). Le Système international d`unitès - SI. BIPM - 8ª edição internacional de 2006 de sua publicação bilíngue Le Système international d’unités, conhecida como Brochure sur le SI em francês, ou The International System of Units, conhecida como SI brochure em inglês. Página visitada em 2012.

Ver também[editar | editar código-fonte]