Segundo Concílio de Latrão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Segundo Concílio de Latrão
Data 1139
Aceite por Catolicismo
Concílio anterior Primeiro Concílio de Latrão
Concílio seguinte Terceiro Concílio de Latrão
Convocado por Papa Inocêncio II
Presidido por Papa Inocêncio II
Afluência 1000
Tópicos de discussão Cisma do Antipapa Anacleto II
Documentos trinta cânones, a maior parte dos quais repetindo os de Latrão I; declara inválido o casamento de padres; regulamenta as vestimentas eclesiásticas; ataca os clérigos excomungados
Todos os Concílios Ecuménicos Católicos
Portal do Cristianismo

O Segundo Concílio de Latrão é tido como o Décimo concílio ecumênico pela Igreja Católica. Ele foi realizado pelo Papa Inocêncio II em abril de 1139 e teve o comparecimento de quase mil clérigos. Sua tarefa mais premente era neutralizar os efeitos do cisma que tinha surgido após a morte do Papa Honório II em fevereiro de 1130 e a ascensão de Petris Leonis como o Antipapa Anacleto II.

Concílio[editar | editar código-fonte]

Após a morte de Honório II, Petrus Leonis, sob o nome de Anacleto II foi eleito como um rival ao Papa Inocêncio II. Em 1135, Inocêncio segundo realizou um concílio em Pisa que confirmou sua autoridade e condenou Anacleto. A morte deste em 1138 ajudou muito a solução da tensão entre as facções rivais. Ainda assim, Inocêncio convocou o décimo concílio ecumênico[1] .

O concílio se reuniu no Palácio de Latrão e quase mil prelados compareceram. Inocêncio abriu o concílio com um discurso e depôs todos os que tinham sido ordenados e instituídos por antipapa Anacleto ou qualquer de seus partidários. Nomeadamente o rei Rogério II da Sicília que foi excomungado por manter o que foi considerada uma "atitude cismática". O concílio também condenou os ensinamentos dos pedrobrusianos e os henriquianos, seguidores de Pedro de Bruys e Arnaldo de Brescia. Finalmente, o concílio também rascunhou as medidas para corrigir as questões de moral e disciplina ecleasiásticas que os líderes do concílio consideraram que estavam frouxos. Muitos dos cânones em relação a estes assuntos foram, em sua maior parte, republicações de decretos do Concílio de Reims e do Concílio de Clermont[1] .

Cânones importantes[editar | editar código-fonte]

Os mais importantes resultados deste concílio incluem:

  • Cânone 4: injunção contra os bispos e outros clérigos para que não provoquem escândalo ao vestir roupas muito ostensivas e recomendando que se vistam modestamente.
  • Cânones 6, 7 e 11: repetiram a condenação do Primeiro Concílio de Latrão sobre o casamento e o concubinato entre padres, diáconos, subdiáconos, monges e freiras.
  • Cânone 10: excomunhgou os leigos que falharem em pagar os dízimos devidos aos bispos.
  • Cânone 12: fixou os períodos e a duração da "Paz de Deus" (ou "Trégua de Deus").
  • Cânone 14: proibição, sob pena de lhe ser negado um enterro cristão, de duelos com lanças a cavalo e torneios que coloquem a vida em perigo.
  • Cânone 20: ordenou-se que reis e príncipes dispensem a justiça sempre em conjunto com os bispos.
  • Cânone 25: proibiu que os clérigos recebam benefícios de leigos.
  • Cânone 27: freiras foram proibidas de cantar no mesmo coro que os monges.
  • Cânone 28: nenhuma igreja deve ser deixada vaga mais de três anos a partir da morte do bispo; cânones seculares que excluíam da eleição episcopal cânones regules ou monges foram condenados[1] .

O concílio pode também ter banido o uso de funda, arco e besta contra cristãos[2] [3] embora a autencidade, interpretação e tradução desta fonte é contestada[4] [5] .

Outra decisão que confirmou o direito de casas religiosas de uma dioscese de participar das eleições do bispo da diosce[6] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Wikisource-logo.svg "Second Lateran Council (1139)" na edição de 1913 da Catholic Encyclopedia (em inglês)., uma publicação agora em domínio público.
  2. As fontes foram coletadas em Hefele. In: H. Leclerq. Histoire des conciles d'apres les documents originaux (em inglês). [S.l.: s.n.], 1907-52. Capítulo: 5/1.  721-722 pp.. Ver também, Bernhardi Jahrbuecher der deutschen Geschichte, I Leipzig 1883, 154-160.
  3. Décimo Concílio Ecumênico: Latrão II (1139) (em inglês) (1 novembro 1996).
  4. Turner, Monte. A não tão diabólica A não tão diabólica besta (arma): um reexame do suposto banimento de Inocêncio II do uso dela no segundo concílio de Latrão.. [S.l.]: Tese, 2004.
  5. Turner, Monte. A não tão diabólica A não tão diabólica besta (arma): um reexame do suposto banimento de Inocêncio II do uso dela no segundo concílio de Latrão.. [S.l.: s.n.], 2004.
  6. Burton, Janet. Ordens monásticas e religiosas na Grã Bretanha (1000 - 1300). Cambridge UK: Cambridge University Press, 1994. ISBN 0-521-37797-8