Sei donne per l'assassino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde agosto de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Sei donne per l'assassino (no Brasil: Seis Mulheres para o Assassino) é um filme italiano dirigido por Mario Bava e lançado em 14 de março de 1964. Foi o primeiro filme do estilo giallo.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Isabella (Francesca Ungaro), uma jovem modelo, é assassinada por uma misteriosa figura mascarada em um ateliê de moda pertencente a Condessa Cristiana (Eva Bartok). Após o crime, o diário da vítima, contendo informações que poderiam levar ao assassino, desaparece. O mascarado passa então a matar todas as modelos da casa para encontrar o diário.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • A atriz Mary Arden, que interpreta Peggy no filme, escreveu a maior parte do diálogo em inglês para o filme, já que era o único membro da equipe que era inglesa.
  • Para o seu lançamento original nos Estados Unidos os distribuidores não gostaram de créditos de abertura de Bava, que mostravam o elenco posando ao redor do salão de beleza em uma série de poses criativas. Os distribuidores usaram novos créditos de abertura, com uma série de animações macabras de manequins.
  • A maquiagem de queimadura de Mary Arden levava quatro horas para aplicar. Certa noite, após filmarem a cena em que Greta encontra o corpo de Peggy em seu quarto, Arden, cansada demais para que ela fosse removida de seu rosto, foi para casa usando a maquiagem. A mãe de Arden, que morava com ela na época, ficou muito assustada quando viu sua filha.
  • Durante a filmagem da cena em que o corpo de Peggy cai do porta-malas do carro ocorreu um acidente. Quando Lea Lander abriu a tampa da mala esta não ficou aberta o suficiente e voltou a fechar-se, batendo no rosto de Arden. Este acidente deixaria uma cicatriz no seu rosto.
  • Imagens mais gráficas de Peggy com o rosto queimando no fogão quente foram cortadas do filme.

Referências

  1. Alberto Pezzotta. Mario Bava. Milano, Il Castoro Cinema, 1995.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.