Seleuco I Nicator

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Seleuco I Nicator
Rei Selêucida
Seleuco I Nicatore.JPG
Busto de Seluco Nicator, numa cópia de um busto original grego
Governo
Dinastia Selêucida
Vida
Pai Antíoco

Seleuco I Nicator (por vezes designado por Seleucas ou Seleucos; em grego: Σέλευκος Νικάτωρ) (ca. 358 a.C.281 a.C.), foi um oficial Macedónio de Alexandre, o Grande. Nas guerras que opuseram os Diádocos que se seguiram à morte de Alexandre, Seleuco estabeleceu o Império Selêucida em 312 a.C. e inaugurou a dinastia com o mesmo nome. Ficou conhecido mais tarde com o cognome de Nicator que significa "vencedor".

Nasceu em Europos, Macedônia, fundador do reino selêucida, centrado na Síria e no Irã, surgido com a desagregação do império macedônico. Filho de Antíoco, general de Filipe II, este pai de Alexandre, participou da conquista do império persa como oficial de Alexandre (321 a. C.), quando o império foi dividido, coube-lhe a satrapia da Babilônia. Obteve vitórias como aliado de outro general de Alexandre, Antígono Monoftalmo, com quem posteriormente desentendeu-se. Esteve a serviço (316-312 a. C.) de Ptolomeu do Egito e coordenou a união das forças de Ptolomeu, Lisímaco, governante da Trácia, e Cassandro, que reivindicava a Macedônia, na guerra (315-311 a. C.) contra Antígono, que pretendia tornar-se rei do império de Alexandre. Após a reconquista da Babilônia (312 a. C.), deu início à dinastia selêucida. Com o nome de Seleuco I Nicator (o vencedor), governou segundo modelos helenísticos: incentivou a pesquisa científica, fundou novas cidades e expandiu o reino até a fronteira da Índia. Devido a conflitos com Ptolomeu, transferiu a capital do reino da cidade de Selêucia, no Tigre, para a recém fundada Antioquia, no Orontes (300 a. C.). Casou-se (298 a. C.) com Stratonice, filha de Demétrio[desambiguação necessária] e partiu para restabelecer o império de Alexandre. Após uma série de vitórias e prestes a realizar o desejo, foi assassinado (281 a. C.) por Ptolomeu Cerauno, filho de Ptolomeu do Egito, perto de Lisimáquia, na Trácia, quando se dirigia para a Macedônia. Seu filho Antíoco I sepultou-o em Selêucia e ordenou sua veneração como Zeus Nicator.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Alexandre IV da Macedónia
Rei Selêucida
Dinastia Selêucida
Sucedido por
Antíoco I Sóter
Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.