Semana Académica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde maio de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A semana académica é uma festividade estudantil do Ensino Superior. Normalmente, cada universidade tem a sua própria semana académica. Apesar dos vários nomes dados a essa semana ("Enterro" na Universidade de Aveiro, "Enterro da Gata" na Universidade do Minho etc.), esta é comummente chamada de "Queima", referindo-se à "Queima das Fitas", por ser o nome da semana académica mais antiga do país (Universidade de Coimbra), e também o nome mais comum das semanas académicas de todo o país.

Tradições académicas
Praxe.jpg

No Brasil, a semana acadêmica é um evento estudantil do Ensino Superior em que ocorrem palestras e oficinas para os estudantes, ao invés de aulas normais. Geralmente pessoas de fora da universidade são convidadas para compartilhar conhecimento.

No ano 2012, a Queima das Fitas de Coimbra bateu o recorde de espectadores num só concerto com a passagem de cerca de 60 mil pessoas pelo recinto na noite que a cidade dos estudantes recebeu o famoso DJ Steve Aoki. No final da semana festiva nesta cidade nesse mesmo ano, o recinto dos espectáculos viu passar 200 mil pessoas para assistir a concertos.

No ano seguinte (2013), o DJ Hardwell (na altura número 6 do Mundo), ultrapassou a fasquia do ano anterior, e registou o maior número de pessoas de sempre,na Queima das Fitas de Coimbra, tornando-se meses depois, o melhor DJ do Mundo.

Queima das Fitas[editar | editar código-fonte]

A tradição académica da Queima das Fitas é uma semana festiva que acontece todos os anos durante o mês de Maio. Entre diversas actividades, estão a serenata estudantil, os concertos musicais e o cortejo académico.

Cortejo académico do Porto[editar | editar código-fonte]

Cortejo da Queima das Fitas no Porto

Antes de mais, é importante dizer que tudo isso começou em Coimbra. Toda a tradição académica radica na mais antiga universidade portuguesa. Originalmente, no cortejo, que faz parte das actividades académicas da Queima das Fitas, os finalistas iam à frente e os carros alegóricos e os caloiros seguiam na parte traseira do cortejo. Actualmente, os finalistas vão espalhados pelas respectivas casas (faculdades, instituições etc.), imediatamente à frente do seu carro. Frequentemente, em cima dos carros vão os Fitados. Atrás do carro, a fechar cada casa vêm os caloiros. Nesse dia do cortejo, os caloiros, ao passarem pela tribuna, deixam de ser caloiros e passam a pastranos.

A ordem do cortejo é determinada pelo Magnum Consilium Veteranorum, órgão máximo da praxe portuense e conforme a antiguidade académica. Assim, em primeiro lugar desfilam as casas da Universidade do Porto, depois as da Universidade Católica Portuguesa e da Universidade Portucalense Infante D. Henrique, depois as do Instituto Politécnico do Porto. Seguem-se as demais instituições reconhecidas como integrando o Magnum Consilium, depois as chamadas casas convidadas (casas em processo de admissão ao Magnum Consilium Veteranorum) e por fim o Carnaval (casas sem nenhuma ligação ao Magnum Consilium Veteranorum, mas cuja presença é autorizada pelo mesmo). Encerra o cortejo uma casa da Academia, a Universidade Fernando Pessoa, que foi - em tempos idos - relegada para o último lugar.

O cortejo segue actualmente o trajecto Palácio de Cristal - Rua da Restauração - Cordoaria - Rua dos Clérigos - Avenida dos Aliados. Nesse último ponto, situa-se a tribuna, onde está o Reitor da Universidade do Porto (e outras autoridades académicas e civis), a quem o Dux Veteranorum simbolicamente pede autorização para que a Academia Portucalense possa passar. Após isso, o Dux Veteranorum assume o seu lugar na tribuna e as casas começam a sua passagem.

Nos últimos anos, o cortejo tem começado pelas 15 horas, com a chegada junto da tribuna do Dux Veteranorum, devidamente acompanhado pelo Magnum Consilium e demais Veteranos, Decanos e antigos alunos, pelas 16h30, e tem durado até cerca das 2 horas da manhã já de quarta-feira.

A indumentária correcta para todos os participantes no cortejo é o traje académico, excepto para os caloiros. Os finalistas usam, com o traje académico, uma cartola e uma bengala com as cores da sua instituição académica como sinal de terem chegado ao fim da vida de estudante, que receberam na Imposição de Insígnias (no Domingo anterior).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.