Semyon Timoshenko

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Semyon Konstantinovich Timoshenko
Comissário do Povo para Defesa da União Soviética
Nascimento 18 de fevereiro de 1895
Furmanka, Império Russo
Morte 31 de março de 1970 (75 anos)
Moscou, União Soviética
Nacionalidade Russo
Ocupação Militar
Cargo Inspetor Geral do Ministério da Defesa
Serviço militar
Patente União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Marechal da União Soviética

Semyon Konstantinovich Timoshenko, em russo: Семён Константинович Тимошенко, translit. Semjon Konstantinovič Timošenko; em ucraniano: Семе́н Костянти́нович Тимоше́нко, translit. Semen Kostiantinovič Tymošenko (Furmanka, pequena vila na província de Odessa - atualmente parte da Ucrânia, 18 de fevereiro de 1895 - 31 de Março de 1970).

Foi um dos grandes comandantes soviéticos, responsável direto por algumas vitórias, durante a invasão alemã Operação Barbarossa em 1941.

Oriundo de uma família de origem camponesa ingressou no Exército Imperial Russo em 1915, servindo como cavalariano no front ocidental. Em 1917, com o início da Revolução Russa, apoiou os revolucionários, unindo-se ao Exército Vermelho em 1818, que estava em formação. Em 1919 associou-se ao partido Bolchevique.

Durante a Guerra Civil Russa, lutou em várias frentes, durante uma destas em Tsartsyn, conhecida mais tarde como Stalingrado, conheceu Stalin. Isto mais tarde o ajudaria em sua carreira. Com a subida de Stalin ao controle do Partido Comunista no final da década de 1920, assumiu mais tarde o comando do 1.º Exército de Cavalaria, que anteriormente pertencia a Semyon Budyonny. Juntos se tornariam mais tarde a base do Exército Vermelho.

Em 1933, foi nomeado comandante–adjunto da Bielorrússia, participando de grandes manobras militares que combinavam blindados com tropas aerotransportadas.

Foi um dos poucos Generais que sobreviveram ao Grande Expurgo (1937), no qual Stalin eliminou grande parte dos militares que não eram ou não estavam alinhados com o partido e as novas doutrinas que se instalavam na então União Soviética.Sobrevivente ao Grande Expurgo ele suportou com enorme pressaão durante a guerra. Seu valor era reconhecido pelo próprio Stalin, que sempre lhe confiava as missões mais difíceis.[1]

Em 1939, foi-lhe dado o comando de toda a região fronteiriça ocidental e liderou o fronte ucraniana e a ocupação soviética da Polônia oriental. Ele também se tornou um membro do Comitê Central do Partido Comunista.

A Guerra de Inverno[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 1940, Timoshenko comandou os exércitos soviéticos combatendo a Finlândia na Guerra Soviético-Finlandesa. Sob a liderança de Timoshenko, os soviéticos sucederam a quebra da Linha Mannerheim finlandês no Istmo da Carélia.

Timoshenko, era um competente mas tradicionalista chefe militar mas via a necessidade urgente de modernizar o Exército Vermelho devido ao fato do que já acontecia com outros países. Superando a oposição de outros líderes mais conservadores, ele empreendeu a mecanização do Exército Vermelho e a produção de mais tanques.

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Duante a invasão alemã em junho de 1941, Stalin assumiu o posto de Comissário Defesa e Timoshenko foi enviado ao front central para conduzir a retirada para Smolensky, sofrendo pesadas baixas. Mas apesar disto salvou um grande parte do exército russo que posteriormente seria reequipada para defesa de Moscou.

Condecorações[editar | editar código-fonte]

  • Herói da União Soviética (Março de 1940 e 1965)
  • Ordem da Vitória (1945)
  • Ordem de Lenin (5 vezes)
  • Ordem de Revolução de Outubro
  • Order of the Red Banner (5 vezes)
  • Ordem de Suvorov (3 vezes)

Referências

  1. Coleção 70º Aniversário da Segunda Guerra Mundial - Abril, 2009, Fascículo 3, pag 118

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Coleção 70º Aniversário da Segunda Guerra Mundial - Abril, 2009

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.