Sendim (Miranda do Douro)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Sendim (Português)
Sendin (Mirandês)
 
—  Freguesia  —
Antiga estação de Sendim, na Linha do Sabor, hoje desativada
Antiga estação de Sendim, na Linha do Sabor, hoje desativada
Bandeira de Sendim (Português) Sendin (Mirandês)
Bandeira
Brasão de armas de Sendim (Português) Sendin (Mirandês)
Brasão de armas
Sendim (Português) Sendin (Mirandês) está localizado em: Portugal Continental
Sendim (Português)
Sendin (Mirandês)
Localização de Sendim (Português)
Sendin (Mirandês) em Portugal
41° 23' 22" N 06° 25' 33" O
País  Portugal
Concelho MDR.png Miranda do Douro
(Miranda de l Douro)
 - Tipo Junta de freguesia
Área
 - Total 38,31 km²
População (2011)
 - Total 1 366
    • Densidade 35,7/km2 
Gentílico: Sendinês
Código postal 5225 Sendim
Orago São Pedro

Sendim (em mirandês Sendin) é uma vila e freguesia portuguesa do concelho de Miranda do Douro, com 38,31 km² de área e 1366 habitantes, de acordo com os censos de 2011 (densidade de 35,7 h/km²).

Elevada a vila em 1989, é parte integrante da área em que se fala o mirandês, na sua variedade sendinês.

São características de Sendim o seu dialecto, Sendinês, que de certa forma é uma variação do Mirandês; hoje considerada a segunda língua de Portugal.

Sendim pertence ao planalto Mirandês em Trás-os-Montes e como tal bem no interior do Portugal.

A freguesia de Sendim está inserida na zona do Parque Natural do Douro Internacional, uma zona rica em fauna e flora. É uma vila situada a poucos quilómetros do rio Douro e que como tal se identifica com as arribas, sendo mesmo denominada a "Capital das Arribas". As rochas que constituem as margens do Rio, proporcionam vistas magníficas.

Pode-se encontrar junto ao rio um cais fluvial.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Na vila predomina a qualidade gastronómica, onde se destaca a posta Mirandesa.

A posta Mirandesa nasceu na rua em Sendim pelas mãos de Ti Gabrila, onde nas feiras nacos de carne eram servidos sobre o pão. Mais tarde a receita foi adaptada ao Restaurante, sendo este manjar servido actualmente no Restaurante "A Gabriela".

Sendim tem muitas pessoas activas e criativas, exemplo disso é a banda Pica-Tumilho, a primeira banda de Rock Agrícola onde as letras das suas músicas são em sendinês.

Desde 1999 é realizado nesta vila anualmente no primeiro fim de semana de Agosto o Festival Intercéltico de Sendim, festival que atrai milhares de pessoas apreciadoras de música folk.

Património[editar | editar código-fonte]

Actividades Económicas[editar | editar código-fonte]

Uma actividade predominante em Sendim é a agricultura. Sendim possui Cooperativa Agrícola Ribadouro onde é produzido vinho Pauliteiros, Lhengua e o Medalhado Vinho Ribeira do Corso. Existem ainda actividades a nível de comércio, serviços e construção civil.

Festas e Romarias[editar | editar código-fonte]

Festas de Santa Bárbara

São realizadas no segundo fim de semana de Agosto as Festas de Santa Bárbara. Todos os anos são nomeados novos mordomos de Santa Bárbara pelos seus antecessores, cabendo a eles organizar e angariar verbas através de petições, sorteios e fornecimento de serviços para a Festa do ano seguinte. Todos os anos as festas decorrem durante a semana contando sempre com grupos ou cantores reconhecidos portugueses.

Associações[editar | editar código-fonte]

Bombeiros Voluntários de Sendim

Os Bombeiros de Sendim têm um papel activo no combate de incêndios na região. Apoiados na formação continua vêm reconhecidos o seu esforço, dedicação e trabalho em prol da comunidade. Auxiliam ainda no transporte de doentes. Contam actualmente com um renovado quartel e meios adequados à sua função. São várias as viaturas de que dispõem e possuem ainda um barco para auxílio fluvial.

História[editar | editar código-fonte]

No que diz respeito a Sendim, em termos toponímicos, poderá advir do genitivo "sandini" ou "sindini" de uma "villa de Sandinus ou Sendinus" que são nomes pessoais germânicos da alta Idade Média.

Havia diversas "vicus e villae" de origem romana nesta região e que teriam sido soterradas e destruídas com as invasões árabes. Atenor, Urrós, Picote, Aldeia Nova, só para referir as que ficam mais perto de Sendim e à sua volta, são um verdadeiro testemunho, dados os vestígios nelas encontrados e as lápides funerárias com nomes similares, o que vem demonstrar uma identidade do povo desta região, nessa época.

De notar que nesta região esteve acampado um destacamento da "Legio VII Gemina".

Este destacamento teria como missão, proteger a exploração mineira nesta região e a protecção da via que ia de Moncorvo a Astorga e passava perto de Sendim. Ainda hoje se pode ver em alguns locais e está devidamente identificada. Esta via era cruzada por outra que passava também perto de Sendim e que seguia na direcção de Fermoselhe indo entroncar na "via da prata" a nascente e que seguia para poente na direcção de Algoso indo entroncar na via romana que seguia de Braga para Astorga.

A "Légio VII" esteve acampada na região de León (Espanha), localidade que deve o seu nome a esse facto.

É muito provável que neste local tenha existido uma "villa" romana que os Visigodos ocuparam e dela fizeram uma povoação medieval. Junto da igreja e na zona envolvente, na direcção da rua do Baiunco e rua da Frágua encontramos vários vestígios dessa época e até pré-romanos.

Em documentos medievais ainda aparece o nome Sindin.

Não oferece também qualquer dúvida que o reino Visigodo fez fronteira com o reino Suevo, nesta região.



Ligações externas[editar | editar código-fonte]