Tempo da Septuagésima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Septuagésima)
Ir para: navegação, pesquisa

Tempo da Septuagésima (em latim: Septuagesimus) é um tempo litúrgico cristão de preparação remota para a Páscoa, sucede ao tempo litúrgico de Natal, e precede a Quaresma. Neste tempo, a liturgia apresenta a criação, elevação e queda do homem[1] . Este tempo inicia com o Domingo da Septuagésima, abrange os domingos da Sexagésima e Quinquagésima, até a Quarta-feira de Cinzas, início da Quaresma[2] [3] [4] .

O Tempo da Septuagésima surge a partir da Quaresma, quando eram quarenta dias de rigoroso jejum, em preparação à Páscoa, não contados os domingos. Dado que em algumas igrejas do Oriente não se jejuava também nos sábados da Quaresma, para supri-los incluíam na Quaresma o Domingo da Quinquasésima. Outras igrejas já não jejuavam também nas quintas-feiras, além dos domingos e sábados, então, para supri-los, acrescentou-se a Sexagésima. Ocorreu também que, algumas igrejas também não contavam a Semana Santa como parte da Quaresma e, por conseguinte, inseriu-se o Domingo da Septuagésima[1] .

O uso oriental influenciou alguns mosteiros do Ocidente, passando em seguida a vigorar em algumas províncias eclesiásticas. Na segunda metade do século V, Roma começou a praticar o jejum nas quartas e sextas-feiras da semana da quinquagésima. Depois, o Papa Hormisdas, no século VI, estendeu o jejum a todos os dias da referida semana. A seguir, após alguns anos, introduziu-se a sexagésima, como breve período de jejum atenuado[1] .

A celebração do tempo septuagesimal foi adotada em Roma nos fins do século VI, dado que o sacramentário gelasiano é o primeiro documento que menciona os domingos da septuagésima, sexagésima e quinquagésima[5] .

A prática de celebrar-se o Tempo da Septuagésima foi suprimida do rito romano da Igreja Católica, a partir da reforma litúrgica do Concílio Vaticano II[6] [7] , que integrou-o no tempo comum que se segue à Epifania. Esta prática está mantida na forma extraordinária do rito romano. O rito bizantino também prevê os domingos pré-quaresmais[8] .

O Tempo da Septuagésima está ainda presente nos calendários litúrgicos luterano[9] e anglicano[10] .


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Missal Romano cotidiano (em latim e português). São Paulo: Paulinas, 1959. 1272 p.
  2. Aldazábal, José. Quinquagésima (em português). Dicionário Elementar de Liturgia. Página visitada em 14 de fevereiro de 2013.
  3. VIEIRA, Antônio (1656). Sermão de Dia de Ramos (em português). Página visitada em 28 de fevereiro de 2013.
  4. Paolo VI (14 de fevereiro de 1965). Santa Messa nella Domenica di Settuagesima (em italiano). Página visitada em 28 de fevereiro de 2013.
  5. Rower, Basílio. Dicionário litúrgico (em português). Rio de Janeiro: Vozes, 1947. 236 p. p. 212.
  6. Pio XII (20 de novembro de 1947). Mediator Dei (em português). Página visitada em 28 de fevereiro de 2013.
  7. Concílio Ecumênico Vaticano II (4 de dezembro de 1963). Sacrosanctum Concilium (Constituição conciliar sobre a sagrada liturgia) (em português). Página visitada em 28 de fevereiro de 2013.
  8. NIN, Manuel. Le domeniche prequaresimali nella tradizione bizantina (em italiano). L’Osservatore Romano. Página visitada em 28 de fevereiro de 2013.
  9. Church Year: Sundays and Seasons (em inglês). The Lutheran Church—Missouri Synod. Página visitada em 28 de fevereiro de 2013.
  10. Septuagesima - Sexagesima - Quinquagesima (em inglês). Lectionary Central. Página visitada em 28 de fevereiro de 2013.