Serial Attached SCSI

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde outubro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

SAS: Serial Attached SCSI - SCSI com Conexão Serial ou SCSI anexado serial: Novo padrão SCSI onde a comunicação é feita em série, em vez de em paralela, como no SCSI tradicional. É um protocolo de gerenciamento e armazenamento de dados (por exemplo: discos rígidos de computadores). Foi espelhado no sistema SATA. A tecnologia SAS (Serial Attached SCSI) como nome já diz é uma tecnologia que faz uso dos comandos SCSI, porém de forma serializada. Ela tem compatibilidade com a SATA e pode tornar um projeto mais barato se utilizar SAS com SATA. O padrão SAS permite total compatibilidade com o padrão Serial ATA (SATA). Enquanto o SATA é destinado ao mercado de desktops (usuários finais) o padrão SAS é destinado ao mercado de servidores.

INTRODUÇÃO

A necessidade ou até uma obsessão que os usuários têm de obter maior desempenho em seus computadores faz com que novas tecnologias apareçam entre os dispositivos que o compõe. Os processadores cada vez mais rápidos, memória com maior taxa de transferência de dados e maior capacidade de armazenamento, placas de vídeo mais velozes, são provas da evolução. Nos dispositivos de armazenamento não seria diferente. Surgiram diversos padrões de comunicação (interfaces) sempre com o objetivo de melhorar o atual cenário. Estas interfaces especificam a forma que os dispositivos devem ser conectados fisicamente aos outros dispositivos do computador e qual o protocolo de comunicação a ser utilizado no envio e recebimento dos dados.

O objetivo de sua existência é a de obter maior agilidade na transmissão dos dados, junto com a confiabilidade, escalabilidade, gerenciamento e o alto desempenho em aplicações que exige um certo paralelismo que apenas a tecnologia SCSI proporciona. Ela resolve problemas de entrada/saída e conexão direta que a SCSI tradicional não atende.

O padrão de comunicação SAS possui transmissão serial, full-duplex, taxa de transmissão máxima de 3 Gbps (375 MB/s), freqüência máxima de 3.0 GHz, comprimento de cabo de no máximo 8 metros, suporta hot-plug, permite 4 dispositivos por cabo, cabo de 32 pinos e o consumo de 800mV.

A SAS tem conexão dedicada ou exclusiva para evitar concorrência, porém pode ser compartilhada com o uso de um expansor e ela elimina a perda de sincronismo (clock skew).

Sua grande vantagem em relação ao padrão Serial SCSI existente atualmente (Fibre Channel, FC) é que ele permite o uso de discos de várias taxas de transmissão, usando a taxa máxima do dispositivo. O Fibre Channel nivela por baixo, isto é, se você tem um disco lento misturado com outros rápidos no sistema, o barramento passa a operar na velocidade do dispositivo mais lento, comprometendo o desempenho de todo o sistema. Outras melhorias são:

  • Melhoria no desempenho e confiabilidade
  • Capacidade de redundância de cabos no mesmo disco
  • Interface serial ponto-a-ponto de simples cabeamento
  • Possibilidade de aumento de configuração e desempenho
  • Capacidade de expansão e atualização
  • Possibilidade de clientes e usuários escolherem entre discos SAS de dupla redundância de cabos e alto desempenho ou discos SATA de alto desempenho e baixo custo no mesmo sistema.

O padrão SAS é hot swap, isto é, permite a troca de discos rígidos mesmo com o micro ligado.
O SAS é um barramento serial que tende a ser utilizado em servidores, por ser mais confiável, rápido e versátil que o SCSI. O custo do SAS tende a ser inferior ao SCSI, mas superior ao SATA, portanto sua aplicação deverá se manter para os servidores de alto padrão. As primeiras versões do SAS possuíam taxas de transferência de até 300 MB/s e atualmente as taxas atingem 1200 MB/s. O grande diferencial do SAS é a possibilidade de ligar os HDs com extensores a uma única porta SAS. A configuração típica é de um enorme rack com os discos SAS, que pode ser posicionado até 5 metros do servidor. O rack permite que os discos sejam gerenciados de maneira mais eficiente e até mesmo trocados sem a parada do servidor (hotswap), sendo as informações restabelecidas via RAID diretamente pelas controladoras SAS, geralmente instaladas no barramento PCI Express do servidor.



Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.