Serviço Canadense de Inteligência de Segurança

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde setembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Canadian Security Intelligence Service (CSIS) (em francês: Service canadien du renseignement de sécurité) em português Serviço Canadense de Inteligência de Segurança é o serviço de inteligência do governo do Canadá equivalente à NSA americana. Ė responsável por coletar, analisar e reportar inteligência (informações) que ameacem a segurança nacional do Canadá, bem como conduz operações no Canadá ou fora dele.[1] Não confundir Serviço Canadense de Inteligência de Segurança, (CSIS) com o Serviço de Segurança de Comunicações (CSEC ou CSE). Estes são dois órgãos diferentes, embora compartilhem varias tarefas. CSIS e o equivalente da CIA americana e CSEC o equivalente da NSA.Os serviços secretos canadenses trabalham em conjunto com a CIA e NSA[2] como membros parte do Five Eyes ou Cinco Olhos[3] , como é conhecido o acordo.[4] [2]

Localização[editar | editar código-fonte]

Seu quartel general está localizado em Ottawa, Ontário, Canadá.

Operação[editar | editar código-fonte]

O Serviço Secreto Canadense opera em relacionamento estreito com a CIA. CSIS opera com estreita ligacao com O Communications Security Establishment , tambem conhecido como (CSEC) ou (CSE).

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Recentes revelações da presença de agentes do serviço secreto canadense em locais relacionados ao programa de tortura americano como Guantanamo bem como a participação de agentes do serviço em atividades que levaram a tortura de cidadãos canadenses pela CIA, têm colocado a agência em posições controvérsias e relacionadas a tortura e sequestros, nos moldes da Operação Condor na America Latina nos Anos de Chumbo.[5] [6]

Espionagem do Brasil[editar | editar código-fonte]

A revelação de que Communications Security Establishment (CSEC), parceiro do Serviço Canadense de Inteligência de Segurança (CSIS), tem feito uso de embaixadas canadenses no exterior para operações de espionagem eletrônica em conjunto com os Estados Unidos foi publicada pelo The Guardian em 6 de junho de 2013.

Foi divulgado que através de CSEC o Canada vem espionando no Brasil [7] em assuntos relacionados aos interesses econômicos principalmente americanos.[8]

As recentes revelações de Edward Snowden[9] , mostram que no caso da espionagem no BrasilO Senado Federal Brasileiro abriu investigação cujo foco do colegiado são as denúncias de que os Estados Unidos também fazem espionagem econômica e empresarial. A CPI cogita, inclusive, pedir ao governo russo para trocar informações com o técnico americano Edward Snowden, responsável pelos vazamentos da espionagem, e refugiado naquele país., o Serviço Canadense de Inteligência de Segurança (CSIS), o equivalente a CIA americana e o Communications Security Establishment (CSES)[4] , o equivalente canadense da NSA americana, foram participantes ativos na espionagem incluindo no caso da espionagem da Petrobrás[10] e do Ministério das Minas e Energia[11] [12] .


Referências

  1. http://www.csis-scrs.gc.ca/bts/rlfcss-eng.asp
  2. a b The Globe and Mail: Keeping an eye on Canada’s spies - The Globe and Mail
  3. Os “Cinco Olhos” e os cegos. Carta Capital (11 de novembro de 2013). Página visitada em 17 de março de 2014.
  4. a b New York Times: Canada's Security Agency Accused of Spying on Canadians - New York Times
  5. Atividades de CSIS documentadas no livro "Dark Days: The Story of Four Canadians Tortured in the Name of Fighting Terrorism", (Dias Negros: A história de quatro canadenses torturados em nome da luta contra o terrorismo", em português) da autora Kerry Pither [1] em Inglês - consultado em 23 de Setembro de 2009.
  6. Documentos liberados através de FOIA pela ACLU - Programa de Tortura - CIA Documentos liberados através de FOIA - Programa de Tortura - CIA. em Inglês - consultado em 29 de Agosto de 2009.
  7. Ministério de Minas e Energia foi alvo de espionagem do Canadá. G1 (06 de outubro de 2013). Página visitada em 14 de Marco de 2014.
  8. CPI vai investigar espionagem empresarial e tentará falar com Snowden. Valor Econômico (09 de setembro de 2013). Página visitada em 14 de Marco de 2014.
  9. The Americas Blog: Greenwald Testifies to Brazilian Senate about NSA Espionage Targeting Brazil and Latin America | The Americas Blog
  10. Petrobras também foi espionada pelos EUA. CartaCapital (09 de setembro de 2013). Página visitada em 14 de março de 2014.
  11. Ministério de Minas e Energia foi alvo de espionagem do Canadá. Fantástico (06 de outubro de 2013). Página visitada em 14 de março de 2014.
  12. Espionagem mira recursos naturais, diz Celso Amorim Não é à toa que a Petrobrás e o nosso Ministério das Minas e Energia foram alvo de espionagem digital, afirmou o ministro. O Estado de S. Paulo (24 de fevereiro de 2014). Página visitada em 14 de março de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre espionagem é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.