Servidor Raiz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Réplica do servidor K-Root-Server em Amsterdam.

Um Servidor Raiz (Root Name Server) é um servidor de nome para a zona raiz do DNS (Domain Name System). A sua função é responder diretamente às requisições de registros da zona raiz e responder a outras requisições retornando uma lista dos servidores de nome designados para o domínio de topo apropriado. Os servidores raiz são parte crucial da internet por que eles são o primeiro passo em traduzir nomes para endereços IP e são usados para comunicação entre hosts.

Devido aos limites do DNS no tamanho dos pacotes UDP (User Datagram Protocol) em 512 bytes, o número de endereços dos servidores raiz que são acomodados nas pesquisas de nome do DNS é limitado. Esse limite determina que o número de servidores raiz seja 13 atualmente, servindo as necessidades da internet no mundo inteiro.

Os 13 Servidores Raiz[editar | editar código-fonte]

Existem 13 servidores raiz distribuídos ao redor do mundo (10 nos EUA, 2 na Europa e 1 na Ásia; dos 10 nos EUA, a maioria é operada por agências governamentais americanas). Este é o número máximo tecnicamente possível. Se um servidor quebrar, os outros 12 ainda continuam funcionando, e mesmo se os 13 servidores caírem simultaneamente a resolução dos nomes de domínio (a principal função dos servidores raiz) continuaria sendo feita em outros servidores de nome de domínio distribuídos hierarquicamente através da Internet. Para aumentar a base instalada destes servidores, foram criadas réplicas localizadas por todo o mundo, inclusive no Brasil.

Servidores Raiz
Letra Endereço IPv4 Endereço IPv6 ASN Antigo nome do servidor Operador Localização Software
A 198.41.0.4 2001:503: ba3e :: 02:30 AS26415 ns.internic.net Estados UnidosVerisign Inc. distribuído (anycast)
6/0
BIND
B 192.228.79.201 (desde janeiro de 2004; originalmente era 128.9.0.107) 2001:478:65::53 (na zona raíz) AS4 ns1.isi.edu Estados UnidosUSC - ISI Estados UnidosMarina del Rey, CA, Estados Unidos
0/1
BIND
C 192.33.4.12 2001:500:2::c (na zona raíz) AS2149 c.psi.net Estados UnidosCogent Communications distribuído (anycast)
6/0
BIND
D 199.7.91.13 (desde 3 de janeiro de 2013; originalmente era 128.8.10.90) 2001:500:2d::d AS27 terp.umd.edu Estados UnidosUniversidade de Maryland Estados UnidosCollege Park, MD, Estados Unidos
1/0
BIND
E 192.203.230.10 AS297 ns.nasa.gov Estados UnidosNASA Estados UnidosMountain View , CA, Estados Unidos
1/0
BIND
F 192.5.5.241 2001:500:2f::f AS3557 ns.isc.org Estados UnidosInternet Systems Consortium distribuido (anycast)
2/47
BIND 9[1]
G 192.112.36.4 AS5927 ns.nic.ddn.mil Estados UnidosDefense Information Systems Agency distribuído (anycast)
6/0
BIND
H 128.63.2.53 2001:500:1::803f:235 AS13 aos.arl.army.mil Estados UnidosUnited States Army Research Laboratory Estados UnidosAberdeen Proving Ground, MD, Estados Unidos
2/0
NSD
I 192.36.148.17 2001:7fe::53 AS29216 nic.nordu.net SuéciaNetnod (antes Autonomica) distribuído (anycast)
38
BIND
J 192.58.128.30 (desde Novembro de 2002; originalmente era 198.41.0.10) 2001:503:c27::2:30 AS26415 Estados UnidosVersign Inc. distribuído (anycast)
63/7
BIND
K 193.0.14.129 2001:7fd::1 AS25152 Países BaixosRIPE NCC distribuído (anycast)
5/13
NSD[2]
L 199.7.83.42 (desde Novembro de 2007; originalmente era 198.32.64.12)[3] 2001:500:3::42 AS20144 Estados UnidosICANN distribuído (anycast)
103/0
NSD[4]
M 202.12.27.33 2001:dc3::35 AS7500 JapãoProjeto WIDE distribuído (anycast)
5/1
BIND

Operação de Resolução de Endereço[editar | editar código-fonte]

Quando um computador na Internet precisa resolver um nome de domínio, ele usa o software de resolução para executar a pesquisa. A resolução quebra o nome em rótulos da direita para a esquerda. O primeiro componente, o Domínio de Topo (TLD - Top Level Domain) é obtido usando um servidor raiz para conseguir o servidor responsável autoritário. As consultas retornam, para cada rótulo, servidores de nomes mais específicos até que um servidor de nomes retorne a resposta da consulta original.

Na prática, a maior parte desta informação não muda com muita frequência ao longo de várias horas e, portanto, é armazenada em cache por servidores de nomes intermediários, ou por um cache de nomes incorporados a aplicação do usuário. Pesquisas de Sistema de Nomes de Domínio (DNS - Domain Name System) para os servidores de nomes raiz podem ser relativamente pouco frequentes. Um levantamento em 2003[5] relata que apenas 2% de todas as consultas para os servidores raiz eram legítimos. Acesso incorreto ou inexistente ao cache foi responsável por 75% das consultas, 12,5% foram para TLD’s desconhecido, 7% foram para pesquisas que usam endereços IP, como se fossem nomes de domínio, etc. Alguns computadores tipo desktop mal configurados tentaram atualizar os registros de servidor raiz das TLD’s. Uma lista de problemas semelhantes aos verificados e as correções recomendadas tem sido publicada na RFC 4697.

Apesar de toda a execução local do DNS poder implementar seus próprios servidores raiz privados, o termo "servidor raiz" é geralmente usado para descrever os 13 servidores raiz conhecidos que implementam o espaço de domínio dos nomes raiz para a implementação oficial do DNS pela Internet.

Robustez do DNS[editar | editar código-fonte]

A função e robustez do DNS podem ser ilustradas analisando o fato de que a Internet não entraria em colapso se os servidores raiz fossem incapacitados. Milhares de servidores de nome de domínio possuem cópias do arquivo de zona raiz e uma catástrofe imediata não ocorreria. Demoraria um bom tempo antes de conseqüências funcionais sérias serem notadas e durante esse tempo seria possível reativar os servidores originais, ou criar novos.

Gerenciamento dos Servidores Raiz[editar | editar código-fonte]

Os 13 servidores raiz são gerenciados por uma diversidade de organizações. Instituições públicas e acadêmicas gerenciam 6 servidores, companhias comerciais, 3 servidores e instituições governamentais, 3 servidores. Estas instituições recebem um arquivo da zona raiz proposto pela IANA (ICANN) e aprovado pelo governo dos EUA (Departamento de Comércio). Uma vez que o conteúdo é aprovado pelo departamento de comércio, ele é integrado ao servidor raiz mestre operado pela VeriSign. O arquivo no servidor raiz mestre é automaticamente replicado em todos os outros servidores raiz.

Arquivo de Zona Raiz[editar | editar código-fonte]

O arquivo de zona raiz é um pequeno (em torno de 100 kB) arquivo de computador cuja publicação é o propósito primário dos servidores raiz de nomes, servidores estes que constituem a espinha dorsal da Internet.

O arquivo de zona raiz é um arquivo que é o principal propósito dos servidores raiz. Ele é o ápice da hierarquia do DNS. Essa base de dados é usada em quase todas as aplicações na internet para traduzir nomes únicos como www.wikipedia.org para outros indentificadores como endereços IP. Os conteúdos dos arquivos de zona raiz são listas de nomes e endereços numéricos de IP dos [DNS] autoritários para todos os TLD’s, como por exemplo “.com” ou “.org”. Em 12 de Dezembro de 2004, havia 258 TLD’s e 773 servidores autoritários distintos para esses TLD’s listados. Outros servidores de nome fizeram pesquisas nas quais eles não tinham qualquer informação sobre isto. Os servidores raiz de nome, usando seus respectivos arquivos de zona raiz, respondem apropriadamente com um TLD ou dizendo que não existe resultado possível.[6]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. F-root | Internet Systems Consortium
  2. K-root Homepage
  3. ICANN (24-10-2007). Advisory — “L Root” changing IP address on 1st November (em inglés). Página visitada em 6 de mayo de 2012.
  4. ICANN. L.ROOT-SERVERS.NET (em inglés). Página visitada em 6 de maio de 2012.
  5. Wow, That’s a Lot of Packets (PDF) (2003). Página visitada em 2008-02-05.
  6. ISOC, "DNS Root Name Servers explained for the non-expert". (Available online, accessed 19 March 2010.)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]