Sexto problema de Hilbert

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde Setembro de 2014).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Setembro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O sexto Problema de Hilbert é um dos mais complicados problemas da famosa lista,[carece de fontes?] pois a sua proposta é transformar toda a física em axiomas [P 1] e vai de encontro ao fato de que muitas verdades matemáticas algumas vezes não serem correspondidas na física e vice-versa.

Buscando a unificação[editar | editar código-fonte]

Se fossemos montar então axiomas unificados (física e matemática) teríamos que anular algumas verdades matemáticas ou algumas verdades físicas. Porém com os novos avanços tanto na matemática quanto na física muitos axiomas puderam ser reformulados graças a física quântica e a teoria da computação algorítmica na matemática. Através desses dois campos "teóricos", com eles não seria possível apenas vários axiomas que definam matematicamente a física, mas uma lei matemática geral que defina toda a física, como um algoritmo finito, mas esse caminho é o mais difícil por estar muito distante, as teorias físicas se renovam com frequência notável e um algoritmo que defina infinitos números de dados tão complexos, aleatórios e caóticos seria impossível pelo menos para a capacidade humana, para definir toda física de maneira matemática é bem mais fácil pensar em um universo físico como um todo, algo que "segue padrões quantitativos", porém quando vamos considerar o universo como um todo e trazer isso para um ou uns algoritmos matemáticos encontramos cálculos ilimitados e incalculáveis humanamente, por isso o problema ainda não foi resolvido de forma matemática.

Fontes primárias[editar | editar código-fonte]

  1. David Hilbert, Mathematical Problems., Bulletin of the American Mathematical Society, vol. 8, no. 10 (1902), pp. 437-479. Earlier publications (in the original German) appeared in Göttinger Nachrichten, 1900, pp. 253-297, and Archiv der Mathematik und Physik, 3dser., vol. 1 (1901), pp. 44-63, 213-237.