Shenzhou 7

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Shenzhou 7
Insígnia da missão
Estatísticas da missão
Número de tripulantes 3
Lançamento 25 de Setembro de 2008
Centro de Lançamentos de Satélites de Jiuquan
Aterrissagem 28 de Setembro de 2008
Mongólia Interior
Imagem da tripulação
Da esq. p/ dir:Boming, Zhigang e Haipeng
Da esq. p/ dir:
Boming, Zhigang e Haipeng
Navegação
Último
Último
Shenzhou 6.svg.png Shenzhou 6
Shenzhou 8
Próximo
Próximo

Shenzhou 7 foi a terceira missão espacial tripulada do programa espacial chinês, a primeira com três taikonautas, lançada em 25 de setembro de 2008 com o objetivo principal de realizar a primeira caminhada espacial de um chinês em órbita. [1] A nave foi lançada do Centro de Lançamento de Satélite de Jiuquan às 21:10, hora de Pequim,[2] e pousou três dias depois, às 17:37 no interior da Mongólia.[3]

Esta foi a primeira vez que a China colocou três homens no espaço numa única nave espacial e foi o terceiro passo de um detalhado e cuidadosamente executado plano de “pequenos passos”, para colocar chineses na Lua antes de 2020.A missão consolidou a posição da China como terceira potência espacial, colocando homens no espaço por meios próprios.

Esta missão também preparou terreno para a missão posterior, não-tripulada, que teve como objetivo colocar a primeira estação espacial chinesa em órbita, em setembro de 2011.[4]

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Missão[editar | editar código-fonte]

A nave foi lançada no topo de um foguete Longa Marcha 2F às 13:10 UTC de 25 de setembro numa órbita elíptica de 200X300 km, estabelecendo-se sete horas depois numa órbita de 330X336 km de altitude.[5] Em 27 de setembro, o comandante Zhigang, usando o novo traje espacial chinês Feitian - criado para suportar mais de sete horas de exposição à radiação solar no espaço [6] - levou a cabo uma caminhada espacial de 22 minutos, a primeira realizada por um chinês.[7] Ele saiu do módulo de cabeça para cima e vagou num espaço limitado próximo à escotilha ao redor da nave, preso por cabos, recolhendo experimentos conectados do lado exterior e abanando a bandeira chinesa para as câmeras.[8] O segundo tripulante, Liu Boming, usando um traje espacial russo Orlan, permaneceu com parte do corpo fora da escotilha para ajudar se necessário. O terceiro taikonauta, piloto Jing Haipeng, permaneceu no interior do módulo de reentrada monitorando a situação geral.[9] A caminhada foi transmitida ao vivo pela televisão para toda a China e duas câmeras produziram imagens panorâmicas.[10]

Com a bandeira da China na mão, o comandante Zhigang realiza a primeira caminhada espacial de um chinês na história da exploração espacial.

Durante a missão, cientistas chineses na terra controlaram no espaço uma experiência com a exposição de um lubrificante sólido no vácuo. Uma peça de equipamento do tamanho de um livro foi instalada na parte externa da nave antes do lançamento e foi recuperada por Zhigang durante a EVA, depois de 40 horas de exposição, e trazida de volta à Terra para estudos sobre o uso de um lubrificante ideal em futuras instalações espaciais.[11]

Outro ponto importante foi o lançamento no espaço de um pequeno satélite, BX-1, colocado em órbita depois do retorno do comandante ao interior da nave. Pesando cerca de 40 kg, a sonda tinha duas câmeras e equipamento de comunicação. Poucas horas depois da caminhada espacial, a Shenzhou 7 passou a uma distância muito próxima e não esperada da Estação Espacial Internacional, cerca de 45 km, o que provocou especulação da NASA de que o satélite fora lançado para fazer testes militares de tecnologia de interceptação anti-satélite.[12]

Com a missão completada com sucesso, a nave desacoplou às 08:48 de 26 de setembro, iniciando a deorbitagem, e pousou em segurança na Mongólia Interior às 09:37 UTC.[13] Em seguida ao término da missão, o governo chinês foi congratulado por diversos líderes estrangeiros pelo completo sucesso do voo, que marcou diversos "primeira-vez" para o programa espacial chinês.[14]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "China manned mission to follow Olympics", 20 November 2006. Página visitada em 20 November 2007. [ligação inativa]
  2. "China manned mission to follow Olympics", 20 November 2006. Página visitada em 20 November 2007. [ligação inativa]
  3. Chinese taikonauts return as heros after landmark spacewalk Window of China. China View (28 September 2008). Página visitada em 28 September 2008.
  4. China to launch unmanned space module by Sept 30 SpaceToday. Página visitada em 17/06/2012.
  5. McDowell, Jonathan (26 September 2008). Jonathan's Space Report, Number 600 Jonathan's Space Report.. Página visitada em 28 September 2008.
  6. China's astronaut outfitters design material for spacewalk suits ChinaView. Página visitada em 17/06/2012.
  7. McDowell, Jonathan (29 September 2008). JSR No. 601 draft Jonathan's Space Report.. Página visitada em 29 September 2008.
  8. Chinese taikonaut greets nation, world in first spacewalk ChinaView. Página visitada em 17/06/2012.
  9. 神七日志:第三天 Xinhua. Página visitada em 17/06/2012.
  10. 神七舱外新装2台摄像机拍摄航天员太空行走 (em chinês) Xinhua. Página visitada em 17/06/2012.
  11. Chief designer says Shenzhou-7 has four tasks Xinhua (26 September 2008). Página visitada em 28 September 2008.
  12. Fisher, Richard D., Jr., "China's Close Call", The Wall Street Journal Asia, 31 October 2008, p. 15.
  13. Chinese taikonauts return as heroes after landmark spacewalk Window of China. Página visitada em 17/06/2012.
  14. Foreign leaders congratulate China on successful space mission Window of China. Página visitada em 17/06/2012.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]