Silas Malafaia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Silas Malafaia
Nascimento 14 de setembro de 1958 (55 anos)
Rio de Janeiro, Brasil
Nacionalidade  brasileiro
Cônjuge Elizete Malafaia
Filho(s) 3[1]
Silas Malafaia Filho
Thalita Malafaia
Thaisa Malafaia
Ocupação Pastor
Prêmios
:Medalha do Pacificador
Medalha do Pacificador

Silas Lima Malafaia (Rio de Janeiro, 14 de setembro de 1958) é um pastor pentecostal brasileiro líder da igreja Vitória em Cristo, ligada à Assembleia de Deus. Malafaia também é televangelista, graduado em psicologia,[2] presidente da editora Central Gospel, além de ser vice-presidente do Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil (CIMEB), entidade que agrega cerca de oito mil pastores de quase todas as denominações evangélicas brasileiras.[3] Malafaia é bastante conhecido por ser bastante crítico a temas como direitos dos homossexuais e direito ao aborto.

Em janeiro de 2013, uma reportagem da famosa revista estadunidense Forbes o classificou como o terceiro pastor neopentecostal mais rico do Brasil, com um patrimônio estimado pela publicação em 150 milhões de dólares.[4] Malafaia, no entanto, negou a informação no programa De Frente com Gabi, quando afirmou que seu patrimônio girava em torno de 6 milhões de reais.[5] [6]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Silas Malafaia é formado em teologia pelo Instituto Bíblico Pentecostal e psicologia pela Universidade Gama Filho.[7]

Conferencista convidado em várias igrejas no Brasil e também em outros países, também organiza eventos como o Congresso Pentecostal Fogo para o Brasil, "Cruzadas Evangelísticas" e etc. Pastor Silas também é o vice-presidente do Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil (Cimeb), entidade que abriga pastores de diversas denominações evangélicas do Brasil e foi membro da mesa diretora da Convenção Geral das Assembleias de Deus (CGADB).[8]

Presidente da Assembléia de Deus Vitória em Cristo, igreja que atualmente conta com cerca de 12 mil membros[8] , o pastor Silas Malafaia é um conferencista conhecido entre evangélicos e entre não-evangélicos no Brasil. É também organizador de eventos de repercussão nacional, como o Congresso Pentecostal Brasileiro Fogo para o Brasil, realizado anualmente.[9]

Televangelismo[editar | editar código-fonte]

Coordena e apresenta o Vitória em Cristo, que anteriormente era chamado "Impacto". Este programa está há mais de 29 anos ininterruptos[10] [11] [12] na televisão, sendo transmitido por várias emissoras em rede nacional. Nos Estados Unidos, é transmitido pela CTNI, e na Europa e África, pela TV ManáSat 1. Hoje, um dos seus maiores objetivos é transmitir o Programa Vitória em Cristo nos horários nobres de rede de televisão do Brasil.

Em entrevista feita a Revista Igreja em novembro de 2010, Silas Malafaia, da igreja e programa de televisão, Vitória em Cristo, chamou os pastores que não pregam a teologia da prosperidade de "idiotas" e que deveriam "perder a credencial de pastor", além de voltar a ser um simples membro para aprender melhor sobre as Escrituras.[13]

Críticas e controvérsias[editar | editar código-fonte]

Silas Malafaia é conhecido por suas manifestações polêmicas através de textos e vídeos em que se posiciona de forma extremamente crítica em relação a temas como o aborto e a homossexualidade.[14]

Em agosto de 2011, Malafaia chamou um vereador do município de São Luís, no Maranhão, de "vagabundo", "bandido" e "idiota", após este ter se oposto ao projeto de lei que concederia o título de "Cidadão Ludovicense" ao pastor por considerá-lo "homofóbico". Em resposta à reação de Malafaia, a câmara de vereadores da cidade arquivou a homenagem e aprovou uma moção de repúdio contra o religioso, considerando-o persona non grata.[15]

O pastor chamou a jornalista Eliane Brum, colunista da revista Época, de "vagabunda" durante uma entrevista concedida ao jornal norte-americano The New York Times, em novembro de 2011. A ofensa foi proferida após a publicação de um artigo de Brum onde ela relatava a intolerância vivida por pessoas ateias no Brasil. Em resposta ao comentário de Malafaia, Eliane Brum disse: "A afirmação do pastor é autoexplicativa: ao atacar minha honra por discordar de minhas ideias, ele proporciona a maior prova do acerto e da relevância do meu artigo."[16] [17] O religioso, no entanto, classificou o episódio como um "mal-entendido" e afirmou que usou um termo "inapropriado" para se referir ao artigo que Brum escreveu e não ao caráter da jornalista.[18]

Em outubro de 2012, após Malafaia ter chamado de "palhaço" um pastor cearense que diz renegar a teologia da prosperidade ao afirmar que é pobre e não tem carro, o grupo virtual Anonymous declarou guerra ao pastor por "prega[r] a prosperidade usando a Bíblia".[19]

Após a publicação de uma reportagem pela revista norte-americana Forbes, que o classificou como o terceiro pastor mais rico do Brasil, com um patrimônio estimado pela publicação em 150 milhões de dólares,[4] Malafaia, no entanto, negou a informação no programa De Frente com Gabi, quando apresentou um extrato da Receita Federal de que seu patrimônio seria em torno de 4 milhões, além de uma participação empresarial em torno de 2 milhões, e chegou a dizer que iria abrir um processo judicial contra a revista por conta da reportagem.[5] [20] Malafaia também afirmou, durante uma entrevista concedida à jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, que iria "ferrar esses caras [da Forbes]" e afirmou não possuir tal patrimônio.[5]

Um vídeo editado e postado no YouTube em 29 de julho de 2013 mostra Malafaia pedindo aos crentes que não se pronunciem contra pastores, dizendo que "ninguém deve se meter com os ungidos de Deus". Em trechos do vídeo, o pastor diz: "…uma meia dúzia de idiotas, de imbecis travestidos de crentes, porque essa gente não é crente, porque quem calunia pastor e fala da igreja não pode ser crente. Vou dar um conselho para você: fica longe de participar de divisão, de calúnia e difamação de pastor. Fica longe disso! Quer arrumar problema para sua vida, entra nisso! […] Teu pastor é ladrão? Teu pastor é pilantra? Você não tá gostando? Sai de lá e vai para outra igreja. Não se mete nisso não, porque não é da tua conta."[21] [22] [23] [24] [25]

Controvérsias sobre homofobia[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2008, liderou uma manifestação diante do congresso nacional, contra o projeto de Projeto de Lei 122 (PL 122). Ele afirma que o projeto não protege os direitos dos homossexuais, mas sim lhes dá privilégios pois suas condutas não poderiam ser mais criticadas ou desestimuladas.[26] Além disso, ao se referir ao projeto em questão, afimou que este seria a "primeira porta para a pedofilia."[27] Em 1 de junho de 2011, no programa Manhã no Parlamento da Rádio Câmara, o pastor acusou o PL 122 de criar "privilégios" para os homossexuais de forma inconstitucional, dizendo que "existe uma diferença gritante entre criticar uma determinada conduta e discriminar pessoas" e ainda que "o que eles não suportam é a crítica".[28]

Na Marcha para Jesus de 2011, Silas Malafaia criticou a aprovação da união estável entre pessoas de mesmo sexo, orientando seus fiéis a não votarem em parlamentares defensores do PL 122. "Ninguém aqui vai pagar de otário, de crente, não. Se for contra a família não vai ter o nosso voto", afirmou Malafia; O pastor fez uso de um vocabulário que foi considerado "vulgar" pelo Portal iG, por conter termos como "otário" e "lixo moral".[29] Segundo Malafaia, este dispositivo (o PL 122) abre um precedente que criminaliza a conduta de um pastor que, por questão de princípios, impedisse a ocorrência ou o prosseguimento manifestações homoafetivas no interior de seu estabelecimento religioso.[30] No mesmo evento, em 2011, criticou a decisão de liberar a Marcha da Maconha e o PL 122.[31]

Em 2012, Silas foi denunciado ao Ministério Público (MP) pela TV Bandeirantes por fazer comentários que foram considerados homofóbicos, de ódio e que poderiam "incitar a violência em relação aos homossexuais" durante um dos seus programas transmitidos pela emissora. Durante o programa, Malafaia disse: "Os caras na Parada Gay ridicularizaram símbolos da Igreja Católica e ninguém fala nada. É para Igreja Católica 'entrar de pau' em cima desses caras, sabe? 'Baixar o porrete' em cima para esses caras aprender (sic). É uma vergonha!" O religioso, porém, afirmou que as expressões "baixar o porrete" e "entrar de pau" significam apenas "formular críticas, tomar providências legais".[32] O processo acabou extinto pelo juiz federal Victorio Giuzio Neto, que o considerou uma forma de censura.[33] [34]

Em fevereiro de 2013, durante uma entrevista concedida ao programa de De Frente com Gabi, apresentado por Marília Gabriela, Malafaia causou uma forte polêmica[35] [36] [37] ao afirmar: "Eu não acredito que dois homens e duas mulheres tenham a capacidade de criar um ser humano. Se tiver pastor homossexual, ele perde o cargo. Não tenho nada contra homossexuais, mas amo homossexuais assim como amo bandidos."[38] O geneticista Eli Vieira, doutorando na Universidade de Cambridge publicou um vídeo de resposta às afirmações de Malafaia na entrevista citada, refutando, com base em publicações científicas, as afirmações do religioso.[39] [40]

Em 7 de fevereiro de 2013, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) publicou uma nota repreendendo a posição de Malafaia. Segundo o Conselho, o pastor "agrediu a perspectiva dos direitos humanos a uma cultura de paz e de uma sociedade que contemple a diversidade e o respeito à livre orientação", também lamentou seu discurso, explicou que a visão atual da psicologia é a de que a homossexualidade não é doença, desvio ou perversão e disse: "É lamentável que exista um profissional que defenda uma posição de retrocesso que chega a ser quase inquisitório, colocando como vertentes do seu pensamento a exclusão e o preconceito na leitura dos direitos humanos."[39] No mesmo mês, Malafaia virou tema de dois abaixo-assinados no site Avaaz. O primeiro, criado no dia 8, pedia que seu registro de psicólogo fosse cassado. Dias depois, um evangélico do Rio Grande do Sul lançou uma petição pela "não cassação" do religioso.[41] A moção a favor de Malafaia, no entanto, foi retirada do site quando registrou 65 mil assinatura e ultrapassou o primeiro pedido, contrário ao religioso, que registrava 55 mil adesões.[42] Em 18 de fevereiro, o religioso afirmou que iria processar judicialmente o Avaaz e seu coordenador de campanha, Pedro Abramovay, por campanha difamatória e assédio moral. Ao jornal Folha de S. Paulo, Abramovay declarou: "estamos muito orgulhosos dessa decisão democrática para rejeitar este tipo de lobby para continuar práticas homofóbicas."[43] [44]

Honrarias[editar | editar código-fonte]

Recebeu o título de cidadão benemérito do estado do Rio de Janeiro, concedido pela Assembléia Legislativa, e a medalha de pacificador, entregue pelo Exército Brasileiro.[45]

Em agosto de 2012 foi selecionado por votação aberta ao público, como um dos 30 brasileiros mais importantes da história do País através do programa do SBT denominado de O Maior Brasileiro de Todos os Tempos.[46]

Livros[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Último Segundo: Pastor Silas Malafaia: “Tenho pastores que ganham entre R$ 4 mil e R$ 22 mil"
  2. Pastor Silas Malafaia: “Tenho pastores que ganham entre R$ 4 mil e R$ 22 mil. iG (19 de maio de 2012). Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  3. Título não preenchido, favor adicionar. Cimeb.org.br.
  4. a b The Richest Pastors In Brazil (em inglês). Forbes (17 de janeiro de 2013). Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  5. a b c Sila Malafaia diz que vai 'ferrar' a Forbes. Revista Época (9 de agosto de 2012). Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  6. Video da entrevista com Marília Gabriela - nos cinco primeiros minutos da entrevista é questionado sobre matéria da Forbes
  7. Título não preenchido, favor adicionar. Portugues.christianpost.com.
  8. a b Apresentação do evento do centenário da Assembleia de Deus.
  9. Batismo 900 pessoas no Piscinão de Ramos no Rio de Janeiro, veiculado pela RJTV. Mrnoticias.com.
  10. Título não preenchido, favor adicionar. Jornalistadenisesantana.blogspot.com.br.
  11. Título não preenchido, favor adicionar. Noticias.gospelmais.com.br.
  12. Título não preenchido, favor adicionar. News.noticiascristas.com.
  13. Silas Malafaia: "Pastores que não pregam Teologia da Prosperidade são idiotas, deveriam perder a credencial". Gospelmais.com. Página visitada em 9 de agosto de 2011.
  14. Editorial Sobre o Homossexualismo. Ministério Silas Malafaia. Página visitada em 20 de Agosto de 2010.
  15. Pastor chama vereador de vagabundo e é declarado 'persona non grata'. iG (16 de agosto de 2011). Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  16. Pastor Silas Malafaia ofende jornalista Eliane Brum em entrevista ao The New York Times. Universo Online. Portal Imprensa (28 de novembro de 2011). Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  17. Evangelical Leader Rises in Brazil’s Culture Wars (em inglês). The New York Times (25 de novembro de 2011). Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  18. Silas Malafaia pede desculpas à Eliane Brum por ofensa em entrevista ao New York Times. Universo Online. Portal Imprensa (29 de novembro de 2011). Página visitada em 30 de julho de 2013.
  19. Anonymous contra Malafaia: guerra contra “teoria da prosperidade”. Felipe Patury. Revista Época (20 de outubro de 2012). Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  20. Video da entrevista com Marília Gabriela - nos cinco primeiros minutos da entrevista é questionado sobre matéria da Forbes
  21. Pastor Silas Malafaia intimida fiéis para NÃO denunciarem Pastores Ladrões (em inglês). Vimeo (2 de agosto de 2013). Página visitada em 4 de agosto de 2013.
  22. Pastor Malafaia intimida fiéis a não denunciarem pastores ladrões. Charles Nisz. Yahoo! (30 de julho de 2013). Página visitada em 30 de julho de 2013.
  23. Polêmica do dia: Silas Malafaia pede para fiéis não denunciarem pastores corruptos. Tatiane Rosset. Veja São Paulo (30 de julho de 2013). Página visitada em 30 de julho de 2013.
  24. Silas malafaia pede a fiéis que não denunciem pastores envolvidos em escândalos financeiros. Rodolfo Cardoso. Diário da Manhã (31 de julho de 2013). Página visitada em 31 de julho de 2013.
  25. Vídeo com Malafaia pedindo a fiéis para não denunciarem pastores gera polêmica. Correio (31 de julho de 2013). Página visitada em 4 de agosto de 2013.
  26. Evangélicos “invadem” Congresso e reivindicam direito de criticar homossexualismo. iG. Último Segundo. Página visitada em 20 de Agosto de 2010.
  27. Abaixo PL122. Associação Vitória em Cristo. Página visitada em 3 de junho de 2011.
  28. Evangélico e presidente da ABGLT debatem homofobia. Agência Câmara (1 de junho de 2011). Página visitada em 24 de junho de 2011.
  29. Marcha para Jesus vira ato contra união homoafetiva. Malafaia ameaçou orientar seus fiéis a não votarem em parlamentares que defendem o Projeto de Lei 122/2006, que criminaliza a homofobia no País. "Ninguém aqui vai pagar de otário, de crente, não. Se for contra a família não vai ter o nosso voto", ameaçou. O pastor defendeu a desobediência por parte de pastores caso o PL 122 seja aprovado. "Eles querem aprovar uma lei para dizer que a Bíblia é um livro homofóbico e botar uma mordaça em nossa boca. Se aprovarem o PL 122 no mesmo dia, na mesma hora, tudo quando é pastor vai pregar contra a prática homossexual. Quero ver onde vai ter cadeia para botar tanto pastor.". IG (23 de junho de 2011). Página visitada em 23 de junho de 2011. "Com palavreado vulgar, usando termos como "otário" e "lixo moral", Malafaia atacou duramente a decisão do STF de legalizar a união estável entre pessoas do mesmo sexo. "O STF rasgou a Constituição que, no artigo 226, parágrafo 3º, diz claramente que união estável é entre um homem do gênero masculino e uma mulher do gênero feminino. União homossexual uma vírgula", disse o pastor. […"
  30. Silas Malafaia (14 de maio de 2011). Porque o PL-122 é inconstitucional. Isto significa dizer que se um pastor, ou padre, ou diretor de escola — que por questões de princípios — não queira que no pátio da igreja, ou escola haja manifestações de afetividade, irão para a cadeia. Boa Vista Agora. Página visitada em 12 de outubro de 2011. "Não serão os pais que vão determinar a educação dos filhos — porque se os pais descobrirem que a babá dos seus filhos é homossexual, e eles não quiserem que seus filhos sejam orientados por um homossexual, poderão ir para a cadeia. […"
  31. Marcha para Jesus vira ato contra união homoafetiva. Malafaia ameaçou orientar seus fiéis a não votarem em parlamentares que defendem o Projeto de Lei 122/2006, que criminaliza a homofobia no País. "Ninguém aqui vai pagar de otário, de crente, não. Se for contra a família não vai ter o nosso voto", ameaçou. O pastor defendeu a desobediência por parte de pastores caso o PL 122 seja aprovado. "Eles querem aprovar uma lei para dizer que a Bíblia é um livro homofóbico e botar uma mordaça em nossa boca. Se aprovarem o PL 122 no mesmo dia, na mesma hora, tudo quando é pastor vai pregar contra a prática homossexual. Quero ver onde vai ter cadeia para botar tanto pastor.". IG (23 de junho de 2011). Página visitada em 23 de junho de 2011. "Malafaia. Com palavreado vulgar, usando termos como "otário" e "lixo moral", Malafaia atacou duramente a decisão do STF de legalizar a união estável entre pessoas do mesmo sexo. "O STF rasgou a Constituição que, no artigo 226, parágrafo 3º, diz claramente que união estável é entre um homem do gênero masculino e uma mulher do gênero feminino. União homossexual uma vírgula", disse o pastor. Na sequência, Malafaia passou a atacar a decisão do STF de liberar as marchas da maconha no Brasil. "Amanhã se alguém quiser fazer uma marcha em favor da pedofilia, do crack ou da cocaína vai poder fazer. Nós, em nome de Deus, dizemos não." […"
  32. MP cobra retratação de pastor Malafaia, que defendeu "baixar o porrete" em gays. Uol (16 de fevereiro de 2012). Página visitada em 30 de julho de 2013.
  33. Malafaia chama de 'absurda' a ação que o acusa de homofobia. Site da Folha de S. Paulo. Página visitada em 4 de maio de 2012.
  34. Polêmico processo do Ministério Público contra o Pastor Silas Malafaia por homofobia é extinto por juiz. Gospel Mais. Página visitada em 4 de maio de 2012.
  35. Pastor Silas Malafaia dá show de homofobia em entrevista na TV. Tribuna Hoje (4 de fevereiro de 2013). Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  36. Absurdo! De Silas Malafaia no 'De frente com Gabi': 'Amo gays como amo bandidos'. Heloisa Tolipan. Jornal do Brasil (3 de fevereiro de 2013). Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  37. Malafaia ataca união homossexual e causa reação nas redes sociais. Revista Veja (4 de fevereiro de 2013). Página visitada em 20 de fevereiro de 2013.
  38. Silas Malafaia provoca espanto ao falar sobre homossexualismo à Gabi. Universo Online. NaTelinha (4 de fevereiro de 2013). Página visitada em 4 de fevereiro de 2013.
  39. a b Nota de Conselho de Psicologia é direcionada a Silas Malafaia. Tribuna Hoje. Página visitada em 9 de fevereiro de 2013.
  40. De Cambridge, geneticista brasileiro rebate entrevista polêmica de Silas Malafaia. Revista Lado A. Revistaladoa.com.br. Página visitada em 9 de fevereiro de 2013.
  41. Campanha virtual pede cancelamento de registro de Silas Malafaia como psicólogo. Site da Folha de S. Paulo. Página visitada em 28 de julho de 2013.
  42. “Intolerantes gays querem cassar meu registro”, diz Malafaia. Revista Exame. Exame.abril.com.br. Página visitada em 28 de julho de 2011.
  43. Silas Malafaia processará o Avaaz. Época. Página visitada em 23 de julho de 2013.
  44. Silas Malafaia processará site que tenta cassar seu registro de psicólogo. Portal BOL Notícias. Noticias.bol.uol.com.br. Página visitada em 23 de julho de 2013.
  45. Consulta de Recipientes da Medalha do Pacificador (em português). Exército do Brasil. Página visitada em 31 de maio de 2010.
  46. Silas Malafaia eleito o 26º maior brasileiro de todos os tempos pela opinião popular. Sistema Brasileiro de Televisão.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Silas Malafaia