Simbologia LGBT

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

As comunidades LGBT adoptaram diversos símbolos com os quais se identificam e são identificados, demonstrando união, orgulho e partilha de valores. Os símbolos LGBT comunicam, ainda, ideias, conceitos e identidade. Os símbolos mais reconhecidos são o triângulo rosa e a bandeira do orgulho gay.[1]

Símbolos de géneros[editar | editar código-fonte]

Símbolos do Nazismo[editar | editar código-fonte]

O triângulo rosa (Alemão: rosa Winkel) foi um dos símbolos usados nos campos de concentração nazis. Indicava quais homens haviam sido capturados por práticas homossexuais. Todos os capturados pelos nazis tinham que usar um emblema nas roupas. Judeus recebiam um emblema amarelo e mulheres tidas como "anti-sociais" (inclusive, mas não apenas lésbicas), o triângulo preto. É portanto, o símbolo mais antigo existente que representa a comunidade homossexual.[2] [3]

Triângulos
Triângulo rosa Triângulo negro Triângulo rosa e amarelo Tabela Nazi

Pink triangle.svg

Black triangle.svg

Pink triangle jew.svg

O triângulo rosa era usado para marcar homens homossexuais.

O Triângulo preto marcava as mulheres ditas "associais". Foi mais tarde adoptado como símbolo lésbico.

O Triângulo rosa/amarelo marcava os judeus homossexuais.

Tabela Nazi,1938–1942

Bandeira do orgulho gay[editar | editar código-fonte]

A Bandeira arco-íris é uma bandeira composta por barras horizontais que representam as diferentes cores do arco-íris.

Existem várias versões, com pequenas variações das cores, número e disposição das barras. É impossível determinar a sua versão original, já que o seu uso acontece desde há muito e em diferentes partes do mundo.

Durante a Guerra dos Camponeses, no século XVI na Alemanha, foi usada como sinal de esperança na nova era. Thomas Muentzer, sacerdote que apelou à revolta dos camponeses, é muitas vezes retratado segurando uma bandeira arco-íris.

Actualmente a bandeira é sobretudo reconhecida como símbolo do movimento LGBT. Sendo também usada como símbolo da Paz.

Lambda[editar | editar código-fonte]

The Greek symbol lambda.

Λ (minúscula: λ) ou lambda é a décima primeira letra do alfabeto grego. No sistema numérico grego vale 30. No modo matemático do LaTeX, é representada por: \Lambda e \lambda. O símbolo foi originalmente escolhido pela Gay Activists Alliance de Nova Iorque em 1970. [1]

Mão púrpura[editar | editar código-fonte]

No dia 31 de Outubro de 1969, os membros da Gay Liberation Front- GLF e da Society for Individual Rights- SIR, marcharam em protesto contra uma série de artigos publicados pelo San Francisco Examiner. Alguns relatos contam que os manifestantes despejaram baldes de tinta sobre o edifício do jornal, escrevendo slogans e estampando mãos em várias zonas de São Francisco.[4]

Símbolos lésbicos[editar | editar código-fonte]

Labrys[editar | editar código-fonte]

The labrys symbol.

Também era usado como ceptro pela deusa DeméterÁrtemis - deusa da Terra, e os rituais associados a deusa Demétria envolviam actos lésbicos. Uma teoria sugere que ele poderia ter sido utilizado originalmente na batalha das mulheres guerreiras citas. Outra teoria aponta que o machado é utilizado normalmente em muitas sociedades matriarcais. Existem também informações que o colocam como arma usual nos exércitos de Amazonas através de peças gregas de artesanato. As Amazonas tinham um sistema de duas rainhas e eram conhecidas como guerreiras raivosas e sem piedade nas batalhas, porém justas e correctas quando vencedoras. Actualmente é um símbolo lésbico, um dos mais conhecidos.

Triângulo negro[editar | editar código-fonte]

Black triangle.svg O Triângulo preto marcava na era nazi, as mulheres ditas "anti-sociais", entre elas as mulheres homossexuais. Do mesmo modo, para os homens homossexuais os nazis usavam o triângulo rosa.

Duplo vénus[editar | editar código-fonte]

Dubble venus.png

O duplo-vénus, é o símbolo do relacionamento entre duas mulheres.

Símbolos bissexuais[editar | editar código-fonte]

A bandeira do orgulho bissexual foi desenhada por Michael Page em 1998 para dar à comunidade bissexual o seu próprio símbolo comparável com a bandeira do orgulho gay da maior comunidade LGBT. O seu objectivo era aumentar a visibilidade dos bissexuais, tanto entre a sociedade no conjunto como dentro da comunidade LGBT.

Símbolos transgéneros[editar | editar código-fonte]

Outro símbolo transgénero é a borboleta, pelo factor metamorfose.

Referências

  1. a b Symbols of the GLBT em lambda.org/
  2. MODESTO, Edith. Vidas em arco-íris. Rio de Janeiro: Record, 2006.
  3. ASA. Cidadania plena para todos. Página visitada em 20/09/2009.
  4. Montanarelli, Lisa; Ann Harrison (2005). Strange But True San Francisco: Tales of the City by the Bay Globe Pequot; ISBN 0-7627-3681-X. Página visitada em 1 de enero de 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Simbologia LGBT