Sinsacro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde fevereiro de 2013).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde fevereiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Este esqueleto estilizado de ave ressalta em verde o sinsacro.

O sinsacro é uma estrutura esquelética, descrita principalmente em aves e dinossauros, em que o sacro estende pela incorporação adicional de vértebras lombares e caudais fundidas ou parcialmente fundidas. No pombo, são cerca de 12 vértebras, a primeira porta um par de nervuras livres, para o que seria considerado como o último torácica (quinto ou sexto torácica), seguido por 5 ou 6 sem nervuras seria lombares, 2 sacrais e 5 caudais.[1] Cada lado do sinsacro é fortemente articulado a ilia da cintura pélvica, e em algumas espécies ílio e sinsacro estão fundidos. Junto com a pelvis o sinsacro forma uma estrutura rígida em forma de sela amplamente aberta ventralmente (exceto no avestruz).[2] Isto suporta o peso sobre a extremidade traseira do animal. Nas aves viventes e algumas pré-históricas, são geralmente posteriores ao sinsacro somente umas poucas vértebras caudais livres, ao final das quais se encontra o pigóstilo terminal. Em termos de morfologia externa, o sinsacro corresponde a anca.


Referências

  1. Parker, T.J. y Haswell, W.A.(1960) A text-book of Zoology
  2. Storer, Tracy I. y Usinger , Robert L. (1960) Zoología general.