Sintomas B

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Os sintomas B referem-se a sintomas sistémicos de febre, suores noturnos e perda ponderal que pode estar associado quer a linfoma de Hodgkin quer a linfoma não-Hodgkin A presença ou ausência de sintomas B tem significado prognóstico e é refletida no estadiamento destes linfomas.

Descrição e nomenclatura[editar | editar código-fonte]

Os sintomas B são assim chamados porque o estadiamento de linfomas inclui quer um número (I-IV) quer uma letra (A ou B). "A" indica a ausência de sintomas sistémicos, enquanto o "B" indica a sua presença.

Os sintomas B incluem:

Febre superior a 38° C. A febre de Pel-Ebstein, a febre intermitente clássicamente associada à doença de Hodgkin, ocorre em intervalos variáveis ​​de dias ou semanas e dura 1-2 semanas antes de resolver. No entanto, a febre associada a linfoma pode acompanhar teoricamente qualquer padrão. Suores, especialmente à noite. Perda de peso involuntária >10% do peso corporal normal ao longo de um período de seis meses ou menos.

Importância prognóstica[editar | editar código-fonte]

A presença de sintomas B é um marcador de doença mais avançada, com envolvimento sistémico, ao invés de meramente local. Os sintomas B são um fator prognóstico negativo claro no linfoma de Hodgkin.[1] A relevância dos sintomas B no linfoma não-Hodgkin é menos claro, apesar de neste também os sintomas B tenderem a estar associados com doença mais generalizada ou de um grau histológico superior.[2]

A importância relativa de determinados sintomas B[editar | editar código-fonte]

Tem sido sugerido que, no linfoma de Hodgkin, a febre e a perda de peso são mais decisivas para o prognóstico de os suores noturnos. Numa série de pacientes com estágios iniciais da doença de Hodgkin, a presença ou ausência de sudorese noturna não teve impacto sobre as taxas de cura ou sobrevida. No entanto, a febre e perda de peso tiveram um impacto negativo pronunciado sobre as taxas de cura e de sobrevivência, independentemente da modalidade de tratamento.[3]

"Sintomas B" noutras doenças[editar | editar código-fonte]

Sintomas sistémicos similares podem ser encontradas em estados não-cancerosas, como a tuberculose e várias doenças reumatológicas ou condições inflamatórias. Nessas situações, o termo "sintomas B" é às vezes aplicado coloquialmente para se referir a tais sintomas sistémicos ou constitucionais. No entanto, em um sentido mais estrito, o termo "sintomas B" é restrito ao estadiamento de linfomas.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Reevaluation of prognostic significance of symptoms in Hodgkin's disease. Gobbi PG; Cavalli C; Gendarini A; Crema A; Ricevuti G; Federico M; Di Prisco U; Ascari E. Cancer 1985 Dec 15;56(12):2874-80.
  2. Malignant lymphoma: the histology and staging of 473 patients at the National Cancer Institute. Anderson T; Chabner BA; Young RC; Berard CW; Garvin AJ; Simon RM; DeVita VT Jr. Cancer 1982 Dec 15;50(12):2699-707.
  3. Stage I to IIB Hodgkin's disease: the combined experience at Stanford University and the Joint Center for Radiation Therapy. Crnkovich MJ; Leopold K; Hoppe RT; Mauch PM. J Clin Oncol 1987 Jul;5(7):1041-9.