Sirmio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sirmium)
Ir para: navegação, pesquisa
Ruínas do palácio imperial em Sirmio.

Sirmio ou Sirmião[1] (em latim: Sirmium), atual Sremska Mitrovica, na província de Voivodina, na Sérvia) era uma cidade da antiga província romana da Panônia. Originalmente fundada pelos celtas no século III a.C., foi conquistada pelo Império Romano no século I a.C. Na fase final do império, era a capital econômica da Panônia romana e uma das quatro cidades capitais do império. A região atual da Sírmia (Srem) foi batizada em sua homenagem. Em 1990, Sirmio foi adicionada à lista de "Sítios arqueológios de importância excepcional", protegidos pela República da Sérvia.

História[editar | editar código-fonte]

Elmo romano de ouro encontrado perto de Sirmio, exibido no museu de Novi Sad.

Arqueologistas encontraram traços de vida humana organizada no local datando de até 5000 a.C. [carece de fontes?]. A cidade foi fundada no século III a.C. pelo povo amantino da Panônia[2] e pelos escordiscos celtas[3] . O tribálio Rei Sirmos foi posteriormente considerado o epônimo fundador de Sirmio, mas as raízes são diferentes e as duas palavras só se misturaram mais tarde.[4] .

Com os escordiscos como aliados, o procônsul romano Marcos Vinícius tomou Sirmio por volta de 14 a.C.[5] [6] . No século I d.C., Sirmio ganhou o status de colônia de cidadãos romanos e se tornou um importante centro militar e econômico da província da Panônia. As expedições de guerra dos imperadores Trajano, Marco Aurélio e Cláudio II foram preparadas em Sirmio.

Em 103 d.C., a Panônia foi dividida em duas províncias: Panônia Superior e Panônia Inferior, e Sirmio se tornou a capital desta última.

Em 296 d.C., Diocleciano reorganizou a região e criou a Diocese da Panônia, que juntava quatro províncias: Panônia Prima, Panônia Valéria, Panônia Sávia e Panônia Secunda, e Sirmio se tornou a capital desta última e da diocese.

Em 293 d.C., com o estabelecimento da tetrarquia, o império romano foi dividido em quatro partes. Sirmio emergiu como uma das quatro cidades capitais do império, sendo as outras Augusta Treveroro (atual Tréveris), Mediolano (atual Milão) e Nicomédia (atual Izmit)[7] . Neste período, Sirmio foi a capital do imperador Galério. Com a criação das prefeituras pretorianas em 318 d.C., Sirmio tornou-se a capital da prefeitura pretoriana da Ilíria. Em 379, a Diocese da Panônia, que era a parte ocidental da prefeitura, foi desmembrada e anexada à prefeitura pretoriana da Itália com o nome de Diocese de Ilírico (Illyricum). A parte oriental permaneceu como uma prefeitura separada, com capital agora em Tessalônica sob o Império Romano do Oriente.

Mapa da prefeitura pretoriana da Ilíria, 318–79 d.C., com capital em Sirmio.

A partir do século IV d.C., a cidade se tornou um importante centro cristão e a sede do episcopado de Sirmio. Quatro concílios foram realizados ali, os Concílios de Sirmio. A cidade também tinha um palácio imperial, uma arena de corrida de cavalos, uma Casa da Moeda, um anfiteatro e muitas oficinas, banhos públicos, templos, palácios públicos e vilas luxuosas. O antigo historiador Amiano Marcelino a chamo de "a gloriosa mãe das cidades".

No final do século IV d.C., Sirmio passou para o domínio dos godos e, depois, foi novamente anexada ao Império Romano do Oriente. Em 441 d.C., Sirmio foi conquistada pelos hunos, permanecendo por mais de um século nas mãos de diversas tribos, como os Godos orientais e os gépidas. Por um breve período, Sirmio foi o centro do estado Gépida e o rei Cunimundo cunhou moedas de ouro ali. Após 567 d.C., Sirmio voltou ao Império Romano do Oriente. A cidade foi finalmente conquistada e destruída pelos ávaros em 582 d.C.

Imperadores romanos[editar | editar código-fonte]

Dez imperadores romanos nasceram nesta cidade ou nas redondezas:

O último imperador do império romano reunido, Teodósio I (378-95) se tornou imperador em Sirmio. Os usurpadores Ingênuo e Regaliano também se declararam imperadores na cidade (em 260) e muitos outros imperadores passaram pelo menos algum tempo em Sirmio, incluindo Marco Aurélio, que pode ter escrito parte de sua famosa obra Meditações na cidade.

Achados arqueológicos[editar | editar código-fonte]

Soldo de Juliano, o Apóstata, ca. 361, da casa da moeda de Sirmio.
  • No início da década de 1970, arqueologistas norte-americanos, patrocinados pelo governo dos Estados Unidos, fizeram uma oferta aos habitantes de Sremska Mitrovica para que eles reconstruíssem sua cidade em outro local para que o sítio pudesse ser escavado. O governo local recusou o pedido imediatamente, sob pressão do então governo da Iugoslávia [carece de fontes?].
  • Durante o trabalho de construção do novo centrol comercial de Sremska Mitrovica em 1972, um trabalhador acidentalmente encontrou um pote romano, por volta de 2 metros de profundidade, sobre o sítio de um povoado antigo de Sirmio. Trinta e três moedas de ouro romanas num saco de couro foram encontradas dentro da parede de uma casa, provavelmente a poupança secreta de uma família rica romana, escondida séculos atrás. Entre as moedas cunhadas em Sirmio deste extraordinário achado estão quatro moedas da era de Constâncio II, consideradas as mais valiosas do final do século IV d.C. do Império Romano. Ironicamente, o nome do trabalhador era Zlatenko ("Dourado" ou "Homem de ouro" em sérvio).
  • A única arena de corrida de cavalos conhecida e ainda não escavada está em Sirmio [carece de fontes?]. Um edifício colossal, com aproximadamente 150 metros de largura e 450 de comprimento está diretamente sob o centro da cidade de Sremska Mitrovica e ao lado do antigo "Palácio Imperial" de Sirmio (um dos poucos sítios arqueológicos abertos ao público). A presença da arena claramente influenciou o desenho da cidade atual (que está aproximadamente 2 a 4 metros acima da linha do chão da antiga cidade de Sirmio). Projetos culturais e arqueológicos anunciados recentemente para preservar e popularizar os sítios de Sirmio não incluíam nenhuma atividade em relação à arena, provavelmente por causa de suas dimensões - o centro inteiro da cidade precisaria ser escavado.

Moradores famosos[editar | editar código-fonte]

Moradores famosos
Décio, imperador romano (249–51), nascido na vila de Budalia,perto de Sirmio.
Décio, imperador romano (249–51), nascido na vila de Budalia,perto de Sirmio.
Santa Anastácia de Sirmio, mártir cristã da cidade.
Santa Anastácia de Sirmio, mártir cristã da cidade.

Roma Antiga[editar | editar código-fonte]

  • Marco Aurélio, imperador romano (161-180), utilizou Sirmio como residência durante as campanhas militares na Panônia entre 170-180 d.C..
  • Maximino Trácio, imperador romano (235-238), reinou de sua residência em Sirmio.
  • Herênio Etrusco, imperador romano (251), nascido em Sirmio.
  • Hostiliano, imperador romano (251), nascido em Sirmio.
  • Décio, imperador romano (249-251), nascido na vila de Budalia, perto de Sirmio.
  • Ingênuo, imperador romano (260), proclamou-se imperador em Sirmio.
  • Regaliano, imperador romano (260), proclamou-se imperador em Sirmio.
  • Cláudio II, imperador romano (268-270), nascido em Sirmio, onde passou a maior parte de sua vida.
  • Quintilo, imperador romano (270), nascido em Sirmio
  • Aureliano,imperador romano (270-275), nascido em Sirmio e também se proclamou imperador ali.
  • Probo, imperador romano (276-282), nascido em Sirmio.
  • Maximiano, imperador romano (285-310), nascido perto de Sirmio.
  • Galério, imperador romano (305-311), reinou como césar durante a tetrarquia a partir de sua residência em Sirmio (293-296).
  • Crispus, César do Império Romano. Foi proclamado césar em Sirmio em 317.
  • Constantino II, césar do império romano. Foi proclamado César em Sirmio em 317.
  • Vetrânio, imperador romano. proclamou-se imperador em Sirmio (em 350).
  • Constâncio II, imperador romano (337-361), nascido em Sirmio
  • Graciano, imperador romano (367-383), nascido em Sirmio
  • Teodósio I, imperador romano (378-395). Se tornou imperador em Sirmio.
  • Valério Licínio, prefeito da Diocese da Panônia com residência em Sirmio (308-314).
  • Apricano, prefeito da província de Panônia Secunda com residência em Sirmio (355).
  • Messala, prefeito da província da Panônia Secunda (373).
  • Petrônio Probo, prefeito em Sirmio (374).
  • Sexto Aurélio Vítor, prefeito da província de Panônia Secunda (369) e autor de uma História de Roma até o reinado de Juliano, o Apóstata.

Cristianismo[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Machado, J. P., Dicionário Onomástico Etimológico da Língua Portuguesa, verbetes "Sirmio" e "Sirmião".
  2. Bellum Pannonicum (12-11 BC). The final stage of the conquest of the southern Pannonia (em sérvio). SRCE.hr. Página visitada em 03/10/2010.
  3. The Romanization of the Scordisci. (em inglês). VML.de. Página visitada em 03/10/2010.
  4. Papazoglu, Fanula. The central Balkan tribes in pre-Roman times (em inglês). [S.l.]: Hakkert, 1978. 74 p. ISBN 90-256-0793-4
  5. Ronald Syme, Anthony Birley. The provincial at Rome: and, Rome and the Balkans 80BC-AD14 (em inglês) pp. 204. Google Books. Página visitada em 03/10/2010.
  6. Alan K. Bowman, Edward Champlin, Andrew Lintott. The Cambridge ancient history (em inglês). [S.l.: s.n.]. 551 p. vol. 10. Página visitada em 03/10/2010.
  7. Grandes Impérios e Civilizações: Roma - Legado de um império. 1 ed. Madri: Ediciones del Prado, 1996. 112 p. p. 2 vol. vol. 2. ISBN 84-7838-740-4

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Petar Milošević, Arheologija i istorija Sirmijuma, Novi Sad, 2001.
  • Radomir Popović, Rano hrišćanstvo u Panoniji, Vojvođanski godišnjak, sveska I, Novi Sad, 1995.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Sirmio