Sismo de Sichuan de 2008

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sismo de Sichuan de 2008
Magnitude 8.0[1] MW
Data 12 de maio de 2008
Zonas atingidas  China
Vítimas 62.664 (mortos)
358.816 (feridos)
23.775 (desaparecidos)n.º oficial, à data de 24 de Maio de 2008.[2]

O sismo de Sichuan de 2008 foi um violento sismo que abalou a zona de Wenchuan, na província de Sichuan, na República Popular da China às 14:28:04, hora local, (06:28:04 GMT) em 12 de Maio de 2008.[3] De magnitude 8,0 na Escala de Richter, de acordo com o Centro de Pesquisas Sismológicas da China e o United States Geological Survey.[4] O sismo foi sentido em localidades tão longínquas quanto Beijing e Xangai, onde edifícios de escritórios balançaram com o impacto,[5] Paquistão,[6] Tailândia,[6] e na capital do Vietnã, Hanói.[7] A maior cidade próxima ao epicentro do terremoto é Chengdu, capital da província de Sichuan.

Estima-se que mais de 85 000 pessoas terão falecido e mais de 358 000 tenham ficado feridas devido este sismo,[8] enquanto as buscas continuam. Na área de Mianzhu, perto do epicentro do sismo, e da cidade de Mianyang, houve um grande número de vítimas, assim como perto do condado de Beichuan Qiang, onde 80% das construções foram destruídas.[9]

Uma réplica de forte intensidade ocorreu em 18 de Maio às 01h08m locais.[10]

O governo decretou três dias de luto nacional pelas vítimas mortais do sismo.[11]

Informação oficial[editar | editar código-fonte]

Os números oficiais de vítimas eram, a 21 de Maio, de 41 353 mortes confirmadas, incluindo 40.854 só na província de Sichuan, e 274.683 feridos.[2] [12] O governo da República Popular da China alertou para a possibilidade de o número total de vítimas mortais poder chegar às 50.000.[13] Há milhares de desaparecidos e aproximadamente 14.000 pessoas soterradas, em oito províncias.[14] [15] Foi o mais forte e mortífero sismo na China desde o sismo de Tangshan de 1976, que matou mais de 250.000 pessoas.[16] e formaçao de tsunami

Riscos ambientais[editar | editar código-fonte]

A descoberta de milhares de toneladas de produtos químicos perigosos e as fortes chuvas agravam a ameaça representada por um lago que se formou na cidade de Tangjiashan após o terremoto, e pelas fugas de material radioativo, provocadas pelo tremor de terra de 12 de maio. A província de Sichuan é a principal base de estocagem do arsenal nuclear chinês.

Cerca de 5000 t de produtos químicos, dentre os quais o ácido sulfúrico e o ácido clorídrico, estavam estocados em diferentes locais, a jusante do lago, e tiveram que ser transferidas para lugares seguros. As autoridades também já retiraram mais de 150 000 habitantes dessas áreas, pois, segundo Alexander Densmore, sismólogo da Universidade de Durham na Grã-Bretanha, há grande possibilidade de ruptura súbita do reservatório, com inundação de extensas áreas na região. "Esses lagos, formados pelo deslizamento de terras, representam uma ameaça importante em regiões montanhosas e em vales estreitos, onde um pequeno volume de material pode provocar uma obstrução total."

Em Sichuan há um grande número de barragens hidráulicas, o que poderia significar a ocorrência de catástrofes em cadeia, se uma retenção natural transbordasse ou se uma barragem, fragilizada pelo sismo, se rompesse." [17]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Sismo de Sichuan de 2008