Sistema Brasileiro de Televisão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde março de 2014).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Sistema Brasileiro de Televisão
Sistema Brasileiro de Comunicações Ltda.
Logotipo da emissora
Tipo Rede de televisão comercial
País  Brasil
Fundação 19 de agosto de 1981 (32 anos)
por Silvio Santos
Pertence a Grupo Silvio Santos
Proprietário Silvio Santos
Presidente Guilherme Stoliar[1]
Cidade de origem São Paulo São Paulo, SP
Sede BandeiraOsasco.svg Osasco, SP (CDT da Anhanguera)
Rod. Anhanguera, km 18 - Av. das Comunicações, 4 - Industrial Anhanguera
Estúdios BandeiraOsasco.svg Osasco, SP (CDT da Anhanguera)
Rod. Anhanguera, km 18 - Av. das Comunicações, 4 - Industrial Anhanguera
Slogan #Compartilhe
Formato de vídeo 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Audiência 5,1 Pontos (média de 2013)
(no Painel Nacional da Televisão)
Cobertura 96,5% do território nacional
Emissoras próprias São Paulo SBT São Paulo (São Paulo)
São Paulo SBT Interior Paulista (Ribeirão Preto)
São Paulo SBT Centro-Oeste Paulista (Jaú)
Rio de Janeiro SBT Rio (Rio de Janeiro)
Rio de Janeiro SBT Interior (Nova Friburgo)
Distrito Federal (Brasil) SBT Brasília (Brasília)
Rio Grande do Sul SBT RS (Porto Alegre)
Pará SBT Pará (Belém)
Emissoras afiliadas
Cobertura internacional África, América do Sul, América Central, América do Norte e partes da Europa
Nome(s) anteriore(s) TVS (TV Studios)
Página oficial SBT Compartilhe
Disponibilidade aberta e gratuita
Analógico
Digital
Disponibilidade por satélite
SKY Brasil
Canal 09
Canal 357
Claro TV
Canal 23
Oi TV
Canal 11 (SD e HD)
GVT TV
Canal 222
Vivo TV
Canal 222
CTBC TV
Canal 701
Star One C2
3700 MHz @ 15000 ksps, Vertical (HDTV) Codificado
3734 MHz (1416 MHz Banda L), Vertical (SDTV) (Analógico)
3753 MHz @ 6220 ksps, Vertical (SDTV)
Disponibilidade por cabo
NET
Canal 17
Canal 509 (HD)
Vivo TV
Canal 04
Canal 304 (HD)
ViaCabo
Canal 18
Sim TV
Canal 11
BVCi
Canal 26
Astro
Canal 18
CaboNNet
Canal 06
TCM
Canal 02
Cabo Telecom
Canal 120
TV Alphaville
Canal 16
Canal 216 (HD)
Adatel
Canal 04

O Sistema Brasileiro de Televisão (conhecido pela sigla SBT) é uma rede de televisão aberta brasileira fundada em 19 de agosto de 1981 pelo consagrado empresário e apresentador de televisão Silvio Santos, fazendo parte do Grupo Silvio Santos. A fundação do SBT também é um momento histórico para a televisão no Brasil e mundial, uma vez que é a primeira emissora do mundo a transmitir sua inauguração ao vivo.[2] Antes de adquirir a marca "SBT", a emissora era conhecida como TV Studios (TVS), o que foi um passo fundamental para dar vida ao canal, tendo durado de 1976 à 1987. Possui 108 emissoras,[3] sendo oito emissoras próprias. São elas: SBT SP, SBT RJ, SBT DF, SBT SP Centro Oeste, SBT SP Interior, SBT PA, SBT RS e SBT RJ Interior.

A emissora possui um dos maiores complexos televisivos da América Latina, o CDT da Anhanguera, que está localizado no quilômetro 18 da Rodovia Anhanguera, em Osasco (SP), ocupando uma área de 231 mil metros quadrados.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Logotipo utilizado pelo SBT em 1996.

Em 14 de julho de 1980, o governo brasileiro da ditadura militar cassa, por corrupção financeira e dívidas com a previdência social, a concessão de todos os canais da Rede Tupi, pertencente aos Diários Associados. Em 18 de julho, os transmissores da TV Tupi São Paulo, foram lacrados, decretando o fim da emissora.[4] Em 23 de julho, o governo federal anunciou a abertura da concorrência para duas novas redes de televisão que surgiram das sete concessões da Tupi e duas da Rede Excelsior, extinta em 1970.[2] Participaram da concorrência os grupos Abril, Silvio Santos, Bloch, Capital, Visão, Sistema Brasileiro de Comunicação, Jornal do Brasil, Rede Rondon de Comunicação Ltda. e Rede Piratininga. Ganharam os grupos de Silvio Santos e Adolpho Bloch. O Grupo Bloch decidiu adiar o lançamento da futura emissora, Rede Manchete, para poder preparar o projeto da nova rede. Em 19 de agosto de 1981, em Brasília, Silvio Santos e Adolpho Bloch assinam os contratos definitivos das concessões, com a presença de quatro ministros do governo Figueiredo, eram os da Comunicações, Haroldo Corrêa de Mattos; do Trabalho, Murilo Macedo; da Previdência, Jair Soares, e da Fazenda, Ernane Galvêas.[5] Silvio Santos ficou com as concessões extintas da Tupi de São Paulo, cabeça da rede, canal 4 da TV Tupi São Paulo, Rio de Janeiro com o canal 13 da TV Continental, Porto Alegre com o canal 5 da TV Piratini e Belém no canal 2 da TV Marajoara.[2] Além das emissoras da Tupi, o SBT contava com 18 afiliadas independentes.[6]

Inauguração[editar | editar código-fonte]

A primeira transmissão oficial do SBT foi no dia 19 de agosto de 1981, às 9h30m, exibindo ao vivo a cerimônia de assinatura do contrato de concessão direto de Brasília. Magdalena Bonfiglioli foi a responsável pela cobertura jornalística. Silvio Santos fez um discurso de abertura e às 12h30, foi exibido o almoço de confraternização entre Adolpho Bloch e Silvio Santos.[2] A Central de Produções foi instalada nos estúdios localizados em uma área de 11 mil metros quadrados na Vila Guilherme, a fábrica de cenários na Rua Camaré no bairro do Carandiru, gravações dos programas eram feitos no Teatro Ataliba Leonel, as novelas eram produzidas nos antigos estúdios da Tupi e a diretoria e a parte administrativa no velho prédio de 4 andares na Anhanguera.[2] A nova rede nasceu com um investimento total de 10 milhões de dólares (cerca de Cr$ 1 bilhão) e 2 mil empregados.[7] Antes mesmo da concessão ser concedida, o SBT absorveu 163 ex-funcionários da Rede Tupi, no Rio de Janeiro e em São Paulo, sendo que a folha de pagamento destes empregados chega a Cr$ 5.800.000,00 por mês.[8] No total, quase 2.500 pessoas já formavam o quadro fixo de funcionários do SBT.[6]

1981-1989[editar | editar código-fonte]

A programação do SBT apresentava as mesmas atrações da TVS, preenchendo as 12 horas de programação obrigatória com filmes, desenhos animados no Show do Bozo com distribuições de prêmios. Em 16 de novembro estreava Show sem Limite com J. Silvestre, o telejornal Noticentro estreava em 18 de novembro, e representava os 5% de jornalismo exigido pela lei, e o know-how da TVS, o Programa Silvio Santos que cobria 10 horas semanais da rede.[2] Ainda em 1981, estreava Alegria 81, primeiro programa humorístico do SBT, juntamente com outro programa, o Reapertura, uma sátira à "Abertura política" pela qual a política brasileira estava passando.[9] Neste início da emissora, vieram os programas populares como Moacyr Franco Show, O Homem do Sapato Branco, O Povo na TV. O SBT alcançou rapidamente uma posição de destaque em audiência, chegando a uma participação de 24% no seu primeiro ano de operação.[10] A rede dirigia sua programação para classes sociais definidas como B2, C e D1, que representavam na época 61% da população.[10] Em 1982, o SBT tinha 22 emissoras afiliadas e 2.500 funcionários.[11] A estratégia teve êxito e o SBT passou rapidamente à condição de vice-líder do mercado, aumentou sua participação em audiência para 30% no segundo ano de operação.[10] Porém, a estratégia popular da emissora só obteve resultado na audiência, enquanto o faturamento era baixo, a Rede Globo continuava líder, mas diminuiu sua participação em audiência de 60% para 45%. A Rede Bandeirantes ficava entre 7% e 8%. O SBT não passou de uma fatia de 5% do faturamento publicitário da televisão brasileira.[10] Nesses dois anos de existência, a audiência cresceu 25% e agregou 21 emissoras à sua rede.[12]

A guerra contra a Globo começou em 1985, Silvio Santos em seu programa, simplesmente avisava aos telespectadores: “Logo depois da novela da Globo, vocês poderão assistir a um filme sensacional: Pássaros Feridos. Não precisa deixar de assistir à novela. Vejam a novela e depois vejam o filme”. Em resposta, a Globo esticou o Jornal Nacional e a novela das oito, Roque Santeiro, o SBT exibia desenhos animados, esperando o encerramento da novela, e parava os desenhos animados pela metade para exibir Pássaros Feridos que havia sido dividido em cinco episódios. O resultado foi satisfatório em São Paulo, 47% de audiência para o SBT, contra 27% da Globo.[13]

A segunda fase do SBT entre 1983 e 1987 passou a apresentar programas populares, mas já buscando uma qualidade que ajudasse no comercial. Em 1983, J. Silvestre se desentende com o SBT e deixa a emissora.[14] No dia 13 de abril de 1983 foi anunciado a ida de Sérgio Chapelin para o SBT, onde comandaria o Show sem Limite, que iria bater de frente com o Programa J. Silvestre, que tinha ido para a Bandeirantes.[15] Na estreia de Chapelin, Show sem Limite venceu a Globo, que exibia Viva o Gordo e o seriado Casal 20.[15] A Globo passou a boicotar comerciais de Chapelin e em 8 de maio de 1984 foi anunciado seu retorno a Rede Globo, e Murilo Nery assumiu o Show sem Limite.[15] Outro ex-global a ter problema semelhante com comerciais foi Jô Soares, que ao ir para o SBT em 1988 e passou a ser vetado na Globo, o humorista criticou Boni no Troféu Imprensa por essa razão.[2] Entre 1988 e 1989, o SBT ainda tentou, sem êxito, a contratação dos globais Xuxa,[16] Renato Aragão[16] e João Kléber[17] . Em 1989, Chico Anysio chegou a acertar a sua ida para o SBT,[18] mas pouco tempo depois, renovou com a Globo.[19]

Os ataques à concorrência não se restringiram apenas a Globo, a Bandeirantes foi desfalcada pelo SBT com as contratações de Flávio Cavalcanti em 1983, Hebe Camargo em 1986, A Praça É Nossa em 1987, e tentou contratar, sem êxito, Nair Bello e Ronald Golias da Bandeirantes e Angélica da Manchete em 1988,[20] [21] e contratando Luís Carlos Miele da Manchete em 1989.[22] Ainda em 1988, o então editor-chefe do jornal Folha de São Paulo, Boris Casoy, estreia apresentando o TJ Brasil, trazendo o conceito de âncora. A emissora francesa TF1 fechou um acordo com o SBT para a transmissão diária de três minutos ao vivo do noticiário de Boris Casoy.[23] Neste ano estreou Cinema em Casa com Rambo, a Globo no mesmo horário, programou Rambo 2, transferindo o filme no horário de Chico Anysio Show, que foi para as quintas, onde enfrentaria o programa líder na ocasião, A Praça é Nossa. A resposta do SBT foi dizer ao público que assista Rambo 2 na Globo e que o primeiro filme seria exibido em outra data.[24] Cinema em Casa estreou em 26 de agosto de 1988, no mesmo horário de Vale Tudo que teve dois capítulos exibidos para barrar a sessão do SBT, que ficou durante 50 minutos na grade, apresentava a seguinte mensagem com Sylvester Stallone ao fundo: “Não se preocupe, quando terminar a novela da Globo, você vai ver Rambo”.[24] Em 1988, a Globo contratou Gugu Liberato, que comandava o Viva a Noite, mas Silvio Santos, que apresentava problemas na voz, convenceu Roberto Marinho a liberar Gugu, que rescindi o contrato.[2] A multa da quebra de contrato não foi paga até 1989 e a Globo usou seu departamento jurídico tomar as providências necessárias.[25] O número de afiliadas do SBT em 1988 passou de 33 para 44 e continuou a aumentar nos anos seguintes.[12] Terminando a década de 1980 como a segunda maior rede de televisão do Brasil, exceto no Rio de Janeiro, onde por exemplo, em 1985, o SBT e a Rede Manchete brigavam pela segunda colocação.[26] Animado com os resultados, a W/Brasil lança para o SBT os slogans "Liderança absoluta do segundo lugar", "Líder absoluto da vice-liderança" e "Quem procura, acha aqui". A receita publicitária aumenta em 15% com o investimento no público A e B.[2] Em 1989, contrata Walter Avancini para a teledramaturgia, estreando Brasileiras e Brasileiros, que não obteve sucesso. A emissora ainda pretendia continuar a teledramaturgia e contratou Roberto Farias para a direção da nova novela da emissora, ainda sem título escolhido. Para o elenco, Roberto convidou o irmão Reginaldo Faria, ainda com contrato vigente na Rede Globo e os atores Eva Wilma, Carlos Zara, Inês Galvão e Flávio Galvão, mas apenas Flávio aceitou.[27] Pouco tempo depois, o SBT demitiu cerca de 300 pessoas do núcleo de novelas da emissora e suspendeu a produção de novelas devido a baixa audiência,[28] e o núcleo de novelas é encerrado.[29]

1990-1999[editar | editar código-fonte]

A entrada para a sede do CDT da Anhanguera, localizado em Osasco (SP).

Na entrada dos anos 90, o SBT tinha 21% de participação em audiência e um faturamento de quase 140 milhões de dólares,[30] ainda assim, trouxe em 1991 os 11 anos de prejuízo do SBT, agravada entre 1989 e 1990 com o Plano Collor. Em 1991, Silvio Santos recebeu uma proposta de US$150 milhões pelo SBT.[31] Silvio Santos foi questionado por um dos diretores se queria vender a emissora, respondendo "Não quero vender. E não recebo ninguém que queira conversar sobre a venda por menos de US$ 300 milhões".[32] Para reverter a crise, a emissora passa a oferecer opções de compras de espaço publicitário aos anunciantes, contratam profissionais de marketing e vendas, investe em pesquisas e lança, pela empresa Liderança Capitalização o título de capitalização conhecido como Tele Sena. A programação qualitativa faz o SBT cair 22% de audiência, mas ganha 15% de participação publicitária.[29] A nova grade em comemoração aos 10 anos do SBT trazia Serginho Groisman com o Programa Livre, Vovó Mafalda substitui Bozo, Festolândia com Eliana, Hebe Camargo com Elas por Elas, Musidisc com Virgínia Novick, Aqui Agora, Jornal do SBT com Lilian Witte Fibe, Grande Pai com Flávio Galvão, Sônia Lima, Débora Duarte e sua filha Paloma Duarte, Cláudia Mello, Patrícia Lucchesi e o Topa Tudo Por Dinheiro com Silvio Santos. Em julho de 1990, o SBT foi premiado com os programas Passa ou Repassa e Corrida Maluca no Grande Prêmio Mundial de Televisão, conferido pela rede japonesa NTV em comemoração aos 40 anos da primeira transmissão de TV. O prêmio foi disputado por 15 emissoras de nove países.[33] A telenovela mexicana Carrusel estreia em 20 de maio de 1991 e obteve muito sucesso e chegou a obter cerca de 16[34] e 20 pontos.[35] Em 25 de junho de 1991, oscilou 26 pontos e conquistou a vice-liderança.[36] Com 25% de share, Carrusel chegou a ter 27 pontos de audiência, chegando a ficar poucos pontos atrás de O Dono do Mundo no mês de julho.[37] Além de Carrusel, a também mexicana Simplemente María, estrelada por Victoria Ruffo, tinha 20 pontos, a maior audiência do SBT fora da programação de domingo.[38] Embora tivesse audiência, as novelas mexicanas não eram bem vistas, para tanto a agência de publicidade W/Brasil, que havia criado os novos slogans do SBT, fez um texto que foi veiculado nos principais jornais do país, citando a novela global De Corpo e Alma, "Diogo amava Betina que doou o coração para Paloma que vai entregar seu coração a Diogo. E depois é a gente que passa dramalhão mexicano." Para ilustrar a campanha, uma foto de Tarcísio Meira, que fazia Diogo, de bigode, característica dos atores do México.[39] Em 1992, o SBT fechou o primeiro quadrimestre de 1992 sem dívidas bancárias, é a primeira vez que isso acontece desde a criação da emissora, há 11 anos. A dívida do SBT foi constituída, segundo o então vice-presidente Guilherme Stoliar, no processo de formação da rede nacional, que em 1992 contava com 74 emissoras, e de consolidação da programação. Além de um investimento pesado em equipamentos e atrações, concorreu para o crescimento da dívida a inflação nos períodos compreendidos entre despesas e faturamento. Em 1987, o SBT faturava US$40 milhões. Em 1991, o número havia crescido para US$130 milhões. A expectativa para 1992 é de um faturamento de US$150 milhões.[40] Em 1993, o Programa Silvio Santos entra para o Guiness Book como o programa mais duradouro da televisão brasileira, com 31 anos no ar.[29] Em 1994, deu início a construção do CDT da Anhanguera, o mais arrojado empreendimento realizado pelo Grupo Silvio Santos, um investimento na ordem de 120 milhões de reais.[29] As instalações da emissora eram divididas em cinco pontos por São Paulo, sendo eles: Vila Guilherme; Rua Camarés; Teatro Silvio Santos; Teatro Ataliba Leonel; Sumaré e Anhanguera. Isso dificultava muito as operações da emissora e um local que pudesse centralizar, facilitaria para os funcionários e para administração da rede. Além disso, os estúdios do SBT enfrentaram várias enchentes, como a que aconteceu em 1991. Por isso, em 1996, o CDT da Anhanguera foi inaugurado no dia do aniversário dos 15 anos. Neste ano, consegue com exclusividade a transmissão do Óscar,[29] os direitos da Fórmula Indy[29] e a transmissão da sua última Copa do Mundo em 1998.[29] O SBT tenta negociar a vinda de Boni, mas a Globo não permite a negociação.[29] Em 17 de maio de 1998, tem início a campanha do Teleton da AACD. Em 8 de novembro é anunciado a contratação de Ratinho e Eduardo Lafon, vindos da Record.[29]

2000-2009[editar | editar código-fonte]

A partir de abril de 2000, o SBT faz parcerias com a Disney, Warner Brothers, MGM e Televisa. O mesmo voltou a ocorrer em 2001 e 2002. Em 2001, alcançou quase 47 pontos de média e picos de 55 na final do reality show Casa dos Artistas, o maior índice de audiência de sua história.[41] Este programa teve outras três edições, duas em 2002 e uma em 2004. A partir desse ano a emissora desiste de produzir o programa devido a vários processos judiciais movidos por acusação de plágio da produtora Endemol.[42] Em 1995, foram 42 pontos de média exibindo uma partida de futebol válida pela Copa do Brasil.[41]

2010-presente[editar | editar código-fonte]

Após 25 anos com exclusividade nos seriados Chaves e Chapolin, em 26 de outubro de 2011, o canal infantil a cabo Cartoon Network comprou a exibição das atrações.[43]

Em 2013, a emissora anunciou que seu faturamento em 2012 havia ultrapassado a marca de R$ 1 bilhão de reais, valor nunca antes atingido, em grande parte devido ao sucesso da novela infantil "Carrossel", que propiciou lucros multimilionários à emissora. Glen Valente diretor comercial da rede disse que ela cresceu 10,3% segundo dados da empresa Intermeios.[44] A emissora possui mais de 1.600.000 seguidores na rede social Twitter sendo reconhecida com o selo azul de autenticidade. Já no Facebook é a rede de televisão aberta com maior número de amigos em sua fan-page oficial reconhecida pelo mesmo: mais de 3.880.000 sendo a primeira emissora aberta brasileira a receber o selo azul de autenticação.[45] Também em 2013 a emissora conseguiu ficar em 25° lugar no ranking das maiores emissoras do mundo ultrapassando a sua principal concorrente a Rede Record (28°). 2013 foi um ótimo ano para o SBT pois o seu faturamento aumentou em mais de 100%, passando a marca de R$ 1 bilhão.

Em 2014, a emissora anuncia a contratação do apresentador da Rede Bandeirantes Danilo Gentili, onde apresenta o talk show The Noite, retomando a tradição de talk show no SBT que foi interrompida desde que Jô Soares saiu da emissora, retornando para a Rede Globo. Além disso no mesmo ano, a emissora anuncia o retorno de Otávio Mesquita ao SBT, que rompeu o seu contrato com a Rede Bandeirantes, para apresentar uma nova versão do programa Perfil que apresentara anteriormente no canal. Em fevereiro de 2014 o Partido Comunista do Brasil envia para o Governo Federal um questionamento, para que ele corte cerca de 150 milhões de reais em publicidade da emissora, por causa das críticas que Rachel Sheherazade faz contra o governo.[46]

Programas[editar | editar código-fonte]

O proprietário e principal apresentador da emissora, Silvio Santos.

O SBT, logo de início, aproveitou vários programas da extinta Rede Tupi. Silvio Santos, sempre dedicou-se aos programas de auditório e por isso, criou-se uma tradição desse formato na emissora. O Programa Silvio Santos é a atração mais duradoura da emissora e já era consagrada no Brasil desde 1962, ano que o apresentador iniciou sua carreira na televisão.

As atrações constituem-se de programas de auditório, realities, game shows, telejornais, programa jornalísticos, programas infantis, séries, desenhos animados, filmes, talk shows e telenovelas.

Alguns importantes nomes da comunicação já apresentaram programas na emissora, como: Flávio Cavalcanti; Gugu Liberato; Hebe Camargo; J. Silvestre; Jacinto Figueira Júnior; Murilo Néri; Sérgio Chapelin; Wilton Franco e muitos outros. Alguns programas apresentados por esses artistas fizeram grande sucesso, como: Programa Flávio Cavalcanti, Viva a Noite, Hebe, Show sem Limite, Aqui Agora, O Povo na TV e vários outros.

Programas infantis (1981-presente)[editar | editar código-fonte]

O SBT herdou um grande acervo de desenhos animados da TVS e se tornou referência com esse formato de programa de televisão voltado às crianças com estreia do Bozo em 1980, atingindo, por mais de 10 anos, um grande sucesso.

A Vovó Mafalda, um personagem do programa e que fez muito sucesso entre o público infantil e Sérgio Mallandro com o Oradukapeta também se destacaram. A partir do final da década de 80 e início dos anos 90, o SBT passou a lançar programas infantis apresentados por Simony, Mara Maravilha, Mariane Dombrova, Angélica, Eliana, Jackeline Petkovic e desde 2003 esse formato de programa passou para o comando de crianças como: Jéssica Esteves, Kauê Santin, Priscila Alcântara e Yudi Tamashiro.

Atualmente os atores-mirins Matheus Ueta e Ana Vitória Zimmermann estão no comando. Dentre os programas infantis que a emissora já produziu e produz até hoje estão:

Programas humorísticos (1987-presente)[editar | editar código-fonte]

Os primeiros programas humorísticos do SBT foram produzidos para aproveitar o elenco da Rede Tupi. A principal atração do gênero no início do SBT era o Reapertura, uma remontagem do Abertura, RCTV e Rede Cangalhas com elenco encabeçado por Geraldo Alves, Tutuca e Maria Teresa Fróes. Desde 1984, o SBT possui os direitos de transmissão dos programas do Chespirito, como El Chavo del Ocho (BR: Chaves) e El Chapulín Colorado (BR: Chapolin)[47] . Atualmente produz o A Praça é Nossa como programa humorístico e um programa que mescla humor e esporte chamado Arena SBT, mas já produziu mais outros programas como: Veja o Gordo; Meu Cunhado; Ô… Coitado!; Câmera Café; Dedé e o Comando Maluco; Escolinha do Golias e Sem Controle.

Novelas[editar | editar código-fonte]

O SBT é bastante conhecido por transmitir no Brasil as telenovelas mexicanas exibidas pelo Canal de las Estrellas, do Grupo Televisa, que é a principal rede de televisão aberta do México. Dentre as principais telenovelas do Canal de las Estrellas exibidas pelo SBT, destacam-se: Rebelde; A Usurpadora; Mais de A Usurpadora; A Feia Mais Bela; Maria do Bairro; Marimar; Amor Real; A Madrasta; Maria Mercedes; Esmeralda; O Privilégio de Amar; As Tontas Não Vão Ao Céu; Luz Clarita; Rosalinda; Carrossel; O Direito de Nascer; Chispita, Os Ricos também Choram e Gotinha de Amor. Outras telenovelas internacionais exibidas pela emissora se destacam-se: Lalola, A Estranha Dama, Café com Aroma de Mulher, Kassandra, Chiquititas (2000) e Chiquititas (2008). Todas essas vindas de algum país da América Latina.

A emissora também reapresentou telenovelas de outras emissoras brasileiras, O Espantalho da Rede Tupi; Xica da Silva; Pantanal; Dona Beija e A História de Ana Raio e Zé Trovão, todas da Rede Manchete.

Começo da teledramaturgia (1982-1989)[editar | editar código-fonte]

Em 1982, em seu segundo ano de existência, o SBT importava textos estrangeiros, como os mexicanos e adeptava com atores brasileiros, foram produzidas Destino, A Força do Amor, A Leoa, Conflito, Sombras do Passado, Acorrentada, A Ponte do Amor, A Justiça de Deus, Pecado de Amor, Razão de Viver, O Anjo Maldito e Vida Roubada. A partir de 1984 a emissora passou a usar roteiros brasileiros e produziu Meus Filhos, Minha Vida, Jerônimo, Jogo do Amor, Uma Esperança no Ar e Cortina de Vidro.

Originais (1990-presente)[editar | editar código-fonte]

Na década de 90, o SBT exibiu a novela Brasileiras e Brasileiros com enfoque na vida social dos pobres. Em 1994 o diretor Nilton Travesso entra para a emissora e restaura o núcleo de teledramaturgia. Nesse período, se destacam as requintadas produções de época As Pupilas do Senhor Reitor, Sangue do Meu Sangue, Os Ossos do Barão e a contemporânea Razão de Viver.[48] A aquisição de textos argentinos e mexicanos promoveu a adaptação de inúmeras tramas, entre elas Antônio Alves Taxista, Pérola Negra, Pícara Sonhadora, Pequena Travessa, Marisol, Amigas & Rivais, Amor e Ódio, Canavial de Paixões e Esmeralda.[48] Chiquititas e Éramos Seis foram os maiores sucessos dessa época. Enquanto a primeira tornou-se um fenômeno de popularidade entre o público infanto-juvenil, a segunda cativou o público com a emocionante saga de Dona Lola e sua família, na tradicional São Paulo do início do século XX.

Após uma regressão na audiência e, sem emplacar folhetins que alcançassem sucesso, no final de 2008, a autora Íris Abravanel faz estreia como novelista em Revelação. Obra contemporânea e tradicional, apresentou um narrativa recheada de clichês, herança dos tempos de parceria com a Televisa. A inexperiência da autora acabou comprometendo o resultado final da trama, que acabou não emplacando em audiência.

Em 2010, Tiago Santiago estreia escrevendo Uma Rosa com Amor. Tão logo, ele escreve, no mesmo ano, Amor e Revolução com tema sobre a ditadura militar no Brasil. Ao mesmo tempo, a novela exibe um beijo homossexual entre duas mulheres.[49] [50] [48]

Em 2008, após a emissora adquirir um pacote de textos radiofônicos da autora Janete Clair, Iris Abravanel realiza a adaptação da radionovela Vende-se um Véu de Noiva. Em 2012, leva ao ar um remake da mexicana La Mentira, sob o titulo de Corações Feridos.

Estreando em 21 de maio de 2012 a telenovela adaptada por Íris Abravanel, Carrossel conseguindo altos índices no Ibope na Grande São Paulo. Sua maior audiência foi na sua segunda exibição com média de 15,0 e pico de 17,0 pontos.[51] [52] Seu maior recorde negativo foi em 25 de dezembro de 2012 marcando 5 pontos de média (devido ao baixo número de TVs ligadas neste dia), ainda assim ficando à frente da Rede Record e da RedeTV!.[53]

Com o sucesso de Carrossel junto ao público infantil, no dia 15 de julho de 2013, estreou a nova versão do sucesso dos anos 1990, Chiquititas. Íris Abravanel é a responsável pela adaptação que, dessa vez, será ambientada no Brasil e com produção própria.[54]

Mexicanas (2000-presente)[editar | editar código-fonte]

Feito em 2000, o contrato do SBT com a Televisa previa exclusividade na exibição das produções mexicanas e impedia a emissora de produzir novelas com textos brasileiros.[55] Em 25 de abril de 2008 foi anunciado a parceria de co-produção com a Rede Record para as novelas La fea más bella e Rebelde durante cinco anos.[56] [57] Antecipadamente o SBT havia quitado a compra para a versão da telenovela Revelação que foi exibida em 2008.[55] Após a rescisão do contrato com a Rede Record, o SBT fechou novamente contrato com a Televisa até 2015, não havendo pagamento das telenovelas adiante, passando também a adaptar produções originais. Diferentemente do SBT, a Rede Record precisou pagar pela compra dos direitos autorais.[58]

Em 2014 segundo a coluna de Flávio Ricco, uma nova parceria de exclusividade entre os canais deve ser anunciada, incluindo uma flexibilização em relação a produção de conteúdo no Brasil.[59]

Transmissões esportivas (1990-2006)[editar | editar código-fonte]

A Portaria 2 do CDT da Anhanguera, localizado em Osasco (SP).

A emissora chegou a transmitir na década de 1990 a Copa do Brasil, Torneio Rio-São Paulo, a Recopa Sul-Americana, a Copa Conmebol, a Copa Ouro, Copa Master da Conmebol, Copa Centenário de Belo Horizonte, Copa Master da Supercopa, Taça Maria Quitéria, Copa dos Campeões Mundiais, Campeonato Carioca, Eliminatórias da Copa, Copa Interamericana e a Copa Mercosul, de 1998.[carece de fontes?]

O SBT ainda realizou um campeonato nacional à parte, que contou com a participação de grandes clubes brasileiros, o campeonato foi chamado de Festival Brasileiro de Futebol, mas o campeonato só contou com uma edição, exibido em 1997.[60]

O SBT ainda transmitiu as Copas do Mundo de 1986, 1990, 1994 e 1998. Nesse mesmo ano, interrompeu sua transmissões esportivas e retornou em 2003 com o Campeonato Paulista; Campeonato Sulamericano Sub-20 e o Torneio Internacional do Qatar. A emissora também transmitiu as Olimpíadas de 1988, 1992 e 1996; a Formula Indy, de 1994 a 1996; a Fórmula Mundial, de 1997 a 2000 e o GP Masters, de 2006. Transmitiu também, dentro do Siga Bem Caminhoneiro, os compactos da Fórmula Truck.

Atualmente, as únicas emissoras do SBT a transmitir competições esportivas são a TV Alterosa, de Minas Gerais, que transmite a Copa BH de Futebol Júnior e o Campeonato Mineiro de Voleibol, além de amistosos envolvendo Atlético, América e Cruzeiro e a TV Rondon que transmite alguns jogos esporádicos de futebol.

Parcerias[editar | editar código-fonte]

Uma das primeiras parcerias feitas com a emissora foi com a The Walt Disney Company em 1997 que estipulado, o valor era de US$ 15 milhões e garantia ao SBT exclusividade nos produtos da empresa durante três anos.[61] A emissora paulista também tinha direitos de exibição de filmes entre 1994 a 1996.[61] Entre os desenhos, o SBT havia comprado cerca de 65 horas por ano com extensão a mais 35. Todos os desenhos, seriam exibidos durante o programa fornecido pela Disney, Disney Club.[61]

Em 2000, o SBT fez parceria com a Warner Bros. e a Televisa. Neste primeiro, a emissora fez um contrato de exclusividade com o estúdio americano, que somado juntamente com o contrato da Disney, a transação era avaliada em US$ 200 milhões.[62] Ela distribui vários conteúdos para a emissora como desenhos, séries e filmes.[63] Já a Televisa possui um acordo com o SBT para exibição e adaptação de novelas, e também para a exibição de séries mexicanas, como "Chaves do Oito" e "Chapolin Colorado".[55] Após 2008, o SBT decidiu não comprar os direitos totais dos produtos da Warner Bros. tendo prioridade apenas na escolha do produto a ser exibido.[64]

O acordo antes entre a Rede Bandeirantes, a Rede Globo negociou os direitos do desfiles das escolas de samba de 2012 com a emissora.[65]

Em outubro de 2013, a emissora sinalizou o desejo de não continuar com o contrato para os filmes, continuando apenas com as séries e desenhos,[66] fato confirmado dois meses após. Com isso a emissora tem preferência na compra de novas temporadas das séries que já possui e filmes da distribuidora americana, mas para isso deverá pagar o preço estipulado pela mesma.[67]

Em Janeiro de 2014, SBT e Warner chegaram a um acordo. Pelo novo acerto, antecipou em outubro, a emissora comprará filmes e séries no modelo "volume deal" e não mais em "output deal". Traduzindo, o SBT comprará pacotes limitados, e não mais todo o acervo da Warner. Assim, deixará de desembolsar pelo menos R$ 30 milhões por ano com um produto que não é tão rentável e nem dá mais audiência como antes. Abrir mão da exclusividade, por incrível que pareça, era o objetivo do SBT, para gastar menos.

Pelo acordo, o SBT terá preferência na compra de novas temporadas de séries que já exibe, como The Big Bang Theory, Mike & Molly, The Mentalist e Person of Interest, entre outras, inclusive as que estão fora do ar Smallville, por exemplo.

O SBT também terá preferência na escolha dos filmes, mas terá de pagar o preço pedido pela Warner. A emissora ainda não definiu o que irá comprar para 2014.

Durante alguns anos, o SBT continuará exibindo reprises de filmes da Warner, como a saga Harry Potter. Isso ocorre porque, por contrato, a emissora tem direito a um número de reprises durante alguns anos após a aquisição do original. Situações inusitadas poderão ocorrer: uma rede concorrente poderá, hipoteticamente, o terceiro filme de Harry Potter, enquanto o SBT exibe o quarto.[68]

Também teve parcerias com a Universal Pictures, 20th Century Fox, MGM, Nickelodeon Movies, Paramount Pictures e Columbia Pictures.[69]

Contratados[editar | editar código-fonte]

Apresentadores[editar | editar código-fonte]

Direção Musical[editar | editar código-fonte]

Autores e diretores de teledramaturgia[editar | editar código-fonte]

  • Íris Abravanel (Autora e Adaptadora da Novela Chiquititas, além de escrever o seriado A Patrulha Salvadora)
  • Reynaldo Boury (Diretor Geral da Novela Chiquititas e do seriado A Patrulha Salvadora)

Diretora Geral[editar | editar código-fonte]

Gravações do programa Hebe no CDT da Anhanguera.

Afiliadas e retransmissoras[editar | editar código-fonte]

O SBT conta com mais ou menos 110 emissoras, sendo 10 próprias e mais ou menos 100 afiliadas em todo o Brasil. Vale ressaltar que o SBT, por enquanto, possui apenas uma repetidora em Aracaju (SE), desde a desafiliação da TV Atalaia.

A TVB Campinas assina contrato com a Rede Record com o novo acordo, a partir de 1º de fevereiro de 2011, a TVB deixa de exibir o sinal do SBT para a Região Metropolitana de Campinas, que após o fim da afiliação as retransmissoras do SBT passaram a transmitir o sinal do SBT direto de SP.No dia 5 de abril de 2011, passaram a transmitir o sinal da Rede VTV nova afiliada do SBT para Região de Campinas e Baixada Santista pois a nova afiliada gerará a sua programação para as duas regiões que ficaram sem uma afiliada local após a saída da TVB.

A TVB Santos em 23 de dezembro de 2010 a emissora assinou contrato com a Rede Bandeirantes e passou a transmitir sua programação no dia 31 de março de 2011, que a partir desse dia as retransmissoras do SBT São Paulo passaram a transmitir o sinal do SBT direto de SP e no dia 5 de abril de 2011 passaram a transmitir o sinal da Rede VTV nova afiliada do SBT na região da Baixada Santista e Região Metropolitana de Campinas.

Em 2 de Abril de 2012, o SBT ganhou uma nova afiliada no Ceará: A NordesTV, Após a desafiliação da TV Jangadeiro.

Eventos[editar | editar código-fonte]

Desde o fim da década de 1990, o SBT voltou suas atenções para tradicionais festas populares que são realizadas em várias regiões do Brasil. Desta forma: a Oktoberfest, em Santa Catarina; o Círio de Nazaré, no Pará e a Semana Farroupilha, no Rio Grande do Sul, foram transmitidos com exclusividade pela emissora. A Festa do Peão de Barretos chegou a ter os direitos exclusivos comprados, mas voltaram para a Rede Globo. Os direitos da festa hoje pertencem a Rede Bandeirantes. O Festival Folclórico de Parintins também teve exclusividade do SBT entre os anos 2000 e 2007, porém em 2008 a emissora perdeu os direitos para a Rede Bandeirantes. sendo que tirou da própria Band, em 2012, os direitos de transmissão dos desfiles do Grupo de acesso A[70] e das campeãs do carnaval do carioca e paulista.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Concessão[editar | editar código-fonte]

Em 20 de de março de 1981, o Sindicato dos Radialistas do Estado de São Paulo divulgou uma nota oficial lamentando a decisão do Ministério das Comunicações em ceder duas concessões aos grupos de Silvio Santos e Adolpho Bloch, o sindicato afirmando-se "de luto" pela concessão das duas novas redes de televisão ao Sr Adolpho Bloch e à Sra Carmem Abranavel, "que na realidade é a máscara onde se esconde o Sr Sílvio Santos". O sindicato considerou que "foram ganhadoras as duas piores propostas, pois o Sr Adolpho Bloch já fala numa rede para exibir filmes" enquanto o Sr Sílvio Santos "está preocupado com o seu Baú da Felicidade para a venda de carnês".

Em relação a Silvio Santos, o sindicato afirmou "A rigor, um dos dois ganhadores nem deveria estar participando da licitação, porque era impedido por lei. Mas o Sr Sílvio Santos burlou a lei e entrou na concorrência com testas de ferro."

TV Tupi[editar | editar código-fonte]

Quando Silvio Santos assumiu as concessões cassadas das emissoras paulistas da Rede Tupi, em 1981, simplesmente adiou indefinidamente o pagamento dos salários aos mais de 200 funcionários da extinta rede, que voltaram a trabalhar sob alegação que o SBT não era sucessor da Rede Tupi, e sim da TVS. Na época, Silvio Santos teve direito a ocupar o espaço ocupado pela Tupi paulista mediante a um acordo que o obrigava a pagar 50% das indenizações aos trabalhadores demitidos da extinta emissora. A reação da notícia levou os funcionários do recém-criado SBT, a entrarem com um processo na justiça para receber os direitos trabalhistas, que Silvio Santos se comprometeu a pagar quando recebeu as concessões. Os processos foram parar no Supremo Tribunal Federal. Em 2000, quando foram dadas diversas causas ganhas a favor dos funcionários, Silvio Santos pagou a todos e reconheceu que o SBT é tanto sucessor da TVS quanto da Rede Tupi. O total estimado ultrapassou R$ 1 milhão de reais de indenização pagos pelo Silvio Santos.

Relação com o Ibope[editar | editar código-fonte]

Em 1986, o SBT criticou publicamente o Ibope devido à fusão, na época, com a Audits of Great Britain,[71] empresa da Inglaterra concorrente do instituto brasileiro, que passaria a utilizar o aparelho people meter, ou Audi-TV, desenvolvido pela empresa inglesa, viabilizando coleta, processamento e entrega dos dados de audiência em tempo real, uma espécie de première mundial. A rede ainda criticou o fato do Ibope passar a deter o monopólio dos serviços à mídia, sua metodologia e amostras utilizadas, pois segundo a sua então superintendência comercial, o Ibope influi na destinação da verba publicitária do Brasil.[71]

Em 2003, o SBT passou a investir no Datanexus, instituto de medição de audiência, que passou a mostrar uma diferença na audiência medida entre os dois institutos de pesquisa,[72] porém, a emissora foi sua única cliente e a empresa teve que encerrar suas atividades em 2004.[73]

Em 2013, o SBT junto com outras três redes Record,Bandeirantes e Rede TV assinaram contrato com o GFK, instituto alemão de medição de audiência que concorrerá com o Ibope no Brasil[74]

Referências

  1. Presidente do Grupo Silvio Santos deixa o cargo (em português). Folha.com. Página visitada em 15 de janeiro de 2011.
  2. a b c d e f g h i História da Televisão no Brasil. Tudo sobre TV. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  3. SBT em números. SBT. Página visitada em 10 de abril de 2014.
  4. DENTEL LACRA 7 EMISSORAS DE TVS ASSOCIADAS. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (19 de julho de 1980).
  5. Bloch e Sílvio Santos assinam contrato e TVS entra no ar em S. Paulo. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (20 de agosto de 1981).
  6. a b Gabriel Priolli Netto (19 de agosto de 1981). Edição de 19/08/1981. Folha de São Paulo. Acervo Folha. Página visitada em 10 de abril de 2014.
  7. TVS começa transmissão às 9h30m. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (19 de agosto de 1981).
  8. Sílvio Santos presta esclarecimentos. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (19 de novembro de 1981).
  9. Programas apresentados pela TVS entre 1981/83 de Maria Celeste: Circo eletrônico: Silvio Santos e o SBT" (pág.110). Edições Loyola (21 de fevereiro de 2008). Página visitada em 17 de agosto de 2001.
  10. a b c d Institucional (em português). Folha de São Paulo (6 de julho de 2005). Arquivado do original em 9 de abril de 2014. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  11. História da televisão brasileira. Microfone. Página visitada em 10 de abril de 2014.
  12. a b História do Sistema Brasileiro de Televisão. SBT. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  13. Ousadia da TVS dá resultado. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (21 de agosto de 1985).
  14. Alberto Beuttenmuller (24 de agosto de 1983). J. Silvestre acusa e se explica. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa.
  15. a b c José Eustáquio Lopes de Faria Júnior. Cartas e Cartazes nº 13: Em negociação meteórica, SBT contrata Sérgio Chapelin da Globo (08/05/1983). SBTpedia. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  16. a b Convite. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (25 de março de 1989).
  17. Convite. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (22 de julho de 1988).
  18. Acordo de paz. Veja. TV-Pesquisa (22 de março de 1989).
  19. Chico dá cano no SBT e renova com a Globo. Contigo!. TV-Pesquisa (1 de maio de 1989).
  20. Em casa. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (9 de novembro de 1988).
  21. Sônia Apolinário (30 de outubro de 1988). Angélica recusa proposta do SBT. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa.
  22. Miéle deixa Manchete e volta aos musicais. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (12 de março de 1989).
  23. TV francesa fecha acordo com o SBT. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (28 de março de 1991).
  24. a b José Eustáquio Lopes de Faria Júnior. Cartas e Cartazes nº 08: Rambo e a (quase) estreia do Cinema em Casa no SBT (14/08/1988). SBTpedia. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  25. Multa. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (25 de janeiro de 1989).
  26. Miriam Lage (19 de maio de 1985). Sílvio Santos acha que quanto mais perto da Globo melhor. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa.
  27. SBT caça elenco para nova novela. O Globo. TV-Pesquisa (23 de abril de 1991). Página visitada em 10 de abril de 2014.
  28. SBT suspende produção de novelas. O Globo. TV-Pesquisa (7 de maio de 1991). Página visitada em 10 de abril de 2014.
  29. a b c d e f g h i História da Televisão no Brasil. Tudo sobre TV. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  30. História do SBT. Microfone. Página visitada em 10 de abril de 2014.
  31. Oferta. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (19 de abril de 1991).
  32. Cacife alto. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa (20 de abril de 1991).
  33. SBT conquista prêmio mundial de TV no Japão. Folha de São Paulo. TV-Pesquisa (15 de julho de 1990). Página visitada em 10 de abril de 2014.
  34. Martins, Marília. (junho 1993). "Sai o talento e entram os dramalhões". Jornal do Brasil. Página visitada em 1 de agosto de 2013.
  35. Schwarstman, Annette. . "Sucesso questiona comportamento". Folha de S. Paulo. Página visitada em 1 de agosto de 2013.
  36. (junho 1991) "'Carrossel' bate recorde". Folha de S. Paulo. Página visitada em 1 de agosto de 2013.
  37. José Eustáquio Lopes de Faria Júnior. Cartas e Cartazes nº 03: SBT provoca Malu Mader e Antônio Fagundes com Carrossel (21/06/1991). SBTpedia. Página visitada em 9 de abril de 2014.
  38. Rose Esquenazi (24 de novembro de 1991). SBT completa 10 anos com Ibope em alta e promete gravar novela no Rio. Jornal do Brasil. TV-Pesquisa.
  39. Armando Antenore (25 de setembro de 1992). Anúncio do SBT ironiza "De Corpo e Alma". Folha de São Paulo. TV-Pesquisa.
  40. SBT sai do vermelho. Folha de São Paulo. TV-Pesquisa (10 de maio de 1992).
  41. a b SBT bate recorde de audiência com final de Casa dos Artistas. Terra (17 de dezembro de 2001). Página visitada em 8 de outubro de 2012.
  42. Rosângela Honor (12 de novembro de 2011). Casa da discórdia. Terra. ISTOÉ Gente. Arquivado do original em 7 de agosto de 2012. Página visitada em 7 de agosto de 2012.
  43. SBT perde exclusividade de 'Chaves' e 'Chapolin'. Terra (26 de outubro de 2010). Página visitada em 7 de agosto de 2012.
  44. Castro, Daniel (27 de fevereiro de 2013). Faturamento anual do SBT passa de R$ 1 bilhão pela primeira vez. Blog Daniel Castro. R7. Página visitada em 28 de fevereiro de 2013.
  45. SBT é 1ª emissora aberta com fanpage autenticada no Facebook (em português). Página visitada em setembro de 2013.
  46. PC do B questiona verba publicitária ao SBT. CartaCapital (19 de fevereiro de 2014). Página visitada em 21 de fevereiro de 2014.
  47. Mantiene El Chavo del 8 éxito de audiencia en Chile. El Universal. Página visitada em 10 de maio de 2012.
  48. a b c Festival 30 anos SBT - Novelas. SBT (12/06/2011). Página visitada em 03/07/2011.
  49. Curiosidade: cena exibida pelo SBT não foi o primeiro beijo gay da TV brasileira.. IG. Página visitada em 03/07/2011.
  50. Beijo gay dobra a audiência de "Amor e Revolução". Jornal do Brasil (13 de maio de 2011). Página visitada em 13 de maio de 2011. "O beijo gay alavancou a audiência de "Amor e Revolução", do SBT, na noite de quinta-feira. A novela, que vinha com média de 5 pontos de audiência, teve pico de 9 pontos. [...] O beijo - primeiro entre personagens do mesmo sexo da teledramaturgia brasileira - aconteceu entre as personagens Marcela (Luciana Vendramini) e Mariana (Giselle Tigre)."
  51. Segundo capítulo de "Carrossel" registra recorde de audiência. UOL. Na Telinha (22 de maio de 2012). Página visitada em 23 de maio de 2012.
  52. Florença Mazza (23 de maio de 2012). Audiências: 'Carrossel' marca 15 pontos, dois a mais que na estreia. O Globo. Página visitada em 23 de maio de 2012.
  53. "Carrossel" bate recorde negativo no Ibope. UOL. NaTelinha (12 de julho de 2012). Página visitada em 7 de agosto de 2012.
  54. Título não preenchido, favor adicionar.
  55. a b c Daniel Castro (20 de maio de 2008). Record "namora" Televisa, parceira do SBT, informa Daniel Castro. Agência Estado. Folha.com. Página visitada em 7 de agosto de 2012.
  56. Dayanne Mikevis (4 de junho de 2008). Televisa confirma negociação com a Record. Agência Estado. Folha.com. Página visitada em 7 de agosto de 2012.
  57. Record e Televisa fecham acordo para produzir novelas. Agência Estado. Folha.com (29 de agosto de 2008). Página visitada em 7 de agosto de 2012.
  58. Fernanda Tsuji (9 de agosto de 2011). SBT tem contrato com a Televisa até 2015!. Grupo Abril. Mdemulher. Página visitada em 7 de agosto de 2012.
  59. http://rd1.ig.com.br/televisao/televisa-volta-a-firmar-parceria-de-exclusividade-com-o-sbt/230211
  60. Pedro Varanda (13 de março de 2010). Festival Brasileiro de Futebol. Jornal dos Sports. Campeões do Futebol. Página visitada em 14 de janeiro de 2013.
  61. a b c Castro, Daniel (30 de janeiro de 1997). Sílvio Santos compra megapacote de desenhos e.... Folha de S. Paulo. Página visitada em 10 de outubro de 2013.
  62. Forato, Thiago (3 de outubro de 2013). SBT e Warner: O possível fim de uma parceria vitoriosa. NaTelinha. Universo Online; Ne10. Página visitada em 10 de outubro de 2013.
  63. SBT garante que parceria com a Warner está muito bem; entenda. UOL. NaTelinha (19 de julho de 2012). Página visitada em 5 de setembro de 2012.
  64. SBT explica situação envolvendo filmes da Warner exibidos pela Globo. UOL. NaTelinha (16 de dezembro de 2012). Página visitada em 5 de setembro de 2012.
  65. SBT vai exibir desfiles das escolas do Grupo de Acesso do Rio. Agência Estado. Folha.com (26 de dezembro de 2011). Página visitada em 5 de setembro de 2012.
  66. Oliveira, Fernando (9 de outubro de 2013). Para cortar custos e economizar R$ 40 milhões, SBT deve abrir mão de filmes de grande estúdio. Mundo da TV. R7. Página visitada em 10 de outubro de 2013.
  67. Castro, Daniel (26 de dezembro de 2013). SBT perde exclusividade da Warner, mas mantém séries no ar. Notícias da TV. Universo Online. Página visitada em 27 de dezembro de 2013.
  68. http://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/televisao/sbt-perde-exclusividade-da-warner-mas-mantem-series-no-ar-1653
  69. Bruzzi, Taty (10 de abril de 2013). Olhar TV: Um canal dedicado às crianças. NaTelinha. NE10/Universo Online. Página visitada em 13 de abril de 2013.
  70. 'SBT' fará repasse de verba às escolas do Grupo A pela transmissão do desfile
  71. a b SBT abre guerra contra o Ibope. Jornal do Brasil (1 de dezembro de 1986). Página visitada em 14 de janeiro de 2013.
  72. Datanexus diverge do Ibope com Faustão e Gugu. Terra (5 de agosto de 2003). Página visitada em 14 de janeiro de 2013.
  73. Sem SBT, Datanexus deve fechar as portas. Folha.com (14 de julho de 2004). Página visitada em 14 de janeiro de 2013.
  74. Emissoras assinam contrato com o GfK, novo concorrente do Ibope no país. Na Telinha (14/11/2013). Página visitada em 15/11/2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Sistema Brasileiro de Televisão