Sistema Daemon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Daemon
Autor Marcelo Del Debbio
Editora(s) POLI-USP, Editora Trama, Daemon Editora
Lançamento 1992 fanzine Politreco - POLI-USP
1995 (Arkanum) Editora Trama
1998 Daemon Editora
Gênero genérico[1]
Sistema próprio
Licença licença aberta[2]

Sistema Daemon é um sistema matemático, atualmente é conhecido pelos jogadores de RPG como um dos poucos RPGs brasileiros a atingir um grande sucesso, estando sempre entre os 5 sistemas mais jogados do Brasil (ao lado de D20, GURPS, Storyteller e RPGQuest).

Um sistema realista que visa simular a realidade dos personagens, o Daemon é aberto a todo tipo de adaptação; as quais acabam se tornando cenários de jogo.

Livros como Trevas, Arkanun, Anjos: A cidade de Prata, Demônios: A Divina Comédia, Anime RPG, Supers, Invasão, Hi-Brazil, Tormenta e NeoKosmos usam esse sistema para criação e interpretação de personagens.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1992, engenheiros da POLI-USP criaram um sistema matemático para ser usado em simulações de máquinas e equipamentos.

O sistema foi publicado pela primeira vez no fanzine Politreco em Outubro de 1992.

Seu funcionamento foi tão bom que se tornou um Sistema de RPG.

Entre 1993 e 1994 foi publicado de forma independente.

Em Novembro de 1995, por intermédio de Marcelo Cassaro (na época editor da revista Dragão Brasil) foi lançado (ainda sem nome) no livro Arkanun da Editora Trama.

Logo depois seria publicado pela Daemon Editora como "Sistema Daemon".

Foi aberto pela Editora Daemon, sua proprietária, para qualquer jogador que queira criar um RPG.

Antes de ter o nome de Daemon, este sistema era conhecido como Só Aventuras - distribuído em forma de revistas modestas. Com seu sucesso usado em Trevas 1ª edição (abril de 1997), o Sistema Daemon foi "evoluindo", tornando-se mais realista e genérico. Prova disto são os netbooks encontrados no próprio site, com diversos temas, sem perder a essência do jogo - as regras são extremamente convidativas e adaptáveis.

Seus livros mais conhecidos são Trevas, Invasão, Arkanun e NeoKosmos.

Trevas é um cenário contemporâneo, com intrigas milenares e seitas secretas, num cenário entre anjos, vampiros e demônios querendo controlar a Roda dos Mundos.

Arkanun é um cenário medieval, com as mesmas intrigas de Trevas. Em meio a guerra da Inquisição, Cavaleiros Templários levantam para combater demônios e profanos em nome da fé e da ordem.

Invasão é um cenário contemporâneo baseado no livro Espada da Galáxia, do autor Marcelo Cassaro. A Terra não é tão isolada do caos espacial como achamos que vivemos. Alienígenas invadem a Terra para fazerem "pesquisas" com a raça humana, enquanto organizações secretas são criadas para defender o mundo destas invasões e ocultá-las da sociedade, pois existem verdades que os humanos não estão prontos para saber. E a verdade é muito pior do que imaginamos.

NeoKosmos é um cenário dentro da linha Arcádia inspirado na cultura e mitologia gregas.

Afora estes títulos, existem as adaptações apresentadas por entusiastas. Exemplo marcante é o clássico Metroid, protagonizado por Samus Aran. A editora costuma implementar jogos adaptados, conforme a qualidade dos materiais.

O Sistema[editar | editar código-fonte]

O sistema é composto de Atributos, Perícias, Aprimoramentos e Poderes. Seus testes são feitos em porcentagem, por meio da rolagem de dois dados de dez faces para simular um dado de 100. Sabe-se que os dados de dez faces são numerados de 0 a 9, assim o primeiro número rolado fica sendo a dezena e o segundo a unidade. Dois resultados "0" indicam um 100[3] .

Os Atributos: Constituição (CON), Força (FR), Destreza (DEX), Agilidade (AGI), Inteligência (INT), Força de Vontade (WILL), Carisma (CAR) e Percepção (PER). Os nomes são abreviados dessa forma desde a primeira edição, combinando nomenclatura em português e em inglês. O jogador tem 101 pontos para distribuir entre os oito atributos. Esse é o valor básico. O valor de teste, percentual, é obtido multiplicando o valor básico por quatro. O que um personagem pode fazer com cada valor de atributo é determinado por um algoritmo próprio, desenvolvido pelos autores, engenheiros da POLI-USP, em 1992 para simulação de máquinas e equipamentos, mas que funcionava tão bem que decidiram utilizá-lo nos jogos ARKANUN e TREVAS e, posteriormente, em toda a linha Daemon[3] .

As Perícias são divididas em grupos e subgrupos, os pontos iniciais para gastar são baseados no atributo Inteligência e na idade do personagem. Cada ponto gasto aumenta a perícia em 1%. Cada perícia tem um "valor inicial" em porcentagem, que é igual ao valor básico do atributo que controla aquela perícia. O valor de teste é a soma do valor inicial com os pontos de perícia gastos[3] .

Os Aprimoramentos ou são positivos ou negativos. Os positivos custam pontos, e os negativos concedem pontos extras para adquirir outros aprimoramentos positivos. Aprimoramentos positivos concedem uma "vantagem" em jogo, e os negativos importam numa "desvantagem" ao personagem. Os personagens começam com 5 pontos de aprimoramento[3] .

Os Poderes são inúmeros: magia, fé, superpoderes, vampíricos, angelicais, demoníacos etc. Cada qual com sua dinâmica própria[3] .

O Sistema de Magia é simples, e permite uma boa dose de interpretação, utilizando a fórmula "Forma + Caminho". Sendo bastante inspirado no jogo Ars Magica. São três formas (Criar, Entender e Controlar) e doze caminhos (Água, Fogo, Terra, Ar, Luz, Trevas, Plantas, Animais, Humanos, Metamagia, Arkanun e Spiritum) que se combinam em qualquer quantidade e intensidade, produzindo mais de cem mil combinações[3] .

Influências[editar | editar código-fonte]

O Sistema Daemon foi muito influenciado pelo sistema RuneQuest (Call of Cthulhu entre eles), da Chaosium. Entre as semelhanças estão atributos e perícias baseados em porcentagem, o uso de uma fórumula simples para resolver ações resistidas (testes opostos de perícias entre dois personagens) que resulta na mesma Tabela de Resistência, e a mecânica dos Pontos Heroicos.

Embora os atributos e as perícias sejam diferentes em cada sistema, os atributos do Daemon são 8, e o do RuneQuest são 7. A diferença é que Daemon chama o atributo "Poder" de "Força de Vontade", e não usa o atributo "Tamanho" do RuneQuest, ao invés, adiciona "Agilidade" e "Percepção". As perícias em RuneQuest também possuem o valor do atributo como valor inicial. A Tabela de Resistência é usada nos "Sistemas d100" (Basic Roleplaying, Call of Cthulhu, G.O.R.E., RuneQuest, OpenQuest etc) desde suas primeiras edições, tendo sido removida no RuneQuest apenas a partir da quarta edição, mas ainda presente no Basic Roleplaying e Call of Cthulhu.

O uso pelo Sistema Daemon de elementos do RuneQuest foi possível devido à uma brecha na Lei de Direitos Autorais do Brasil (lei 9.610/98, art. 8º, incisos I e II) e na Lei dos Estados Unidos (USC, Title 17, Chapter 1, §102. E no flier 108 do United States Copyright Office, órgão dos EUA responsável por registrar copyrights e interpretar a lei de copyright). De acordo com a legislação dos dois países: os direitos autorais e o copyright não protegem a forma de jogar, o método ou métodos de jogo. Uma vez tornado público, nada impede que outra pessoa desenvolva jogo similar. Eles protegem apenas a forma particular de um autor se expressar literária ou artisticamente. Os direitos autorais não protegem as regras de jogo em si, mas o texto usado para descrevê-las[4] .

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas
  1. CLEBER, Adriano "Mágico" (02/11/2005). CD #0005 - Era Tecnológica. Rede RPG.
  2. TELLES, Marcelo (06/12/2003). Como lançar seu livro de RPG. RedeRPG.
  3. a b c d e f DEL DEBBIO, Marcelo. Trevas. 3.5 ed. São Paulo: Daemon, 2004. 224 p. ISBN 85-87013-26-2
  4. RODRIGUES, Daniel Dias "Nerun" (s/d). Direitos Autorais e Regras de Jogo. Fundação OGL Brasil. Página visitada em 10 de Novembro de 2012.
Web

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Role Playing Game é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.