Sistema Especial de Liquidação e de Custódia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Sistema Especial de Liquidação e de Custódia - SELIC, criado em 1979, é um sistema informatizado destinado ao registro, custódia e liquidação de títulos públicos, tanto os títulos federais, como os estaduais e municipais emitidos até 1992.

Somente as instituições credenciadas no mercado financeiro têm acesso ao SELIC, o qual opera em tempo real, permitindo que os negócios tenham liquidação imediata. Os operadores das instituições envolvidas em uma transação com esses títulos, após acertarem os negócios, transferem estas operações, via terminal, ao SELIC. O sistema imediatamente transfere o registro do título para o comprador e faz o crédito na conta do vendedor do título. Ambas as partes têm certeza da validade da operação efetuada.

Na verdade os títulos são escriturais mantidos por um supercomputador, sendo administrado pelo DEMAB.

Os principais títulos públicos federais negociados no SELIC são:

Letra Financeira do Tesouro, Letra do Tesouro Nacional, Nota do Tesouro Nacional (NTN-F, NTN-B), entre outros.

O SELIC opera basicamente com títulos emitidos pelo Banco Central e Tesouro Nacional, classificados como de risco zero[1] . Admite-se que é bem difícil que o Governo não pague nos respectivos vencimentos os juros e principal devidos pela colocação dos títulos, que são, por isso, classificados como ativos sem risco no mercado financeiro.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. Curso de Administração Financeira, Alexandre Assaf Neto e Fabiano Guasti Lima, Editora Atlas, ISBN: 9788522451968