Sistema d20

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Sistema d20 é um mecanismo de jogo para RPGs, publicado em 2000 pela Wizards of the Coast e baseado na 3ª edição do jogo Dungeons and Dragons. Criado por Jonathan Tweet, Monte Cook e Skip Williams, e por sua vez baseado no material original de E. Gary Gygax and Dave Arneson. O sistema é nomeado dessa forma por usar um dado de 20 faces como base.

Mecânica Básica[editar | editar código-fonte]

Dados "Moonstone" utilizados no Sistema d20

Sempre que o personagem tentar realizar uma ação que tenha uma chance considerável de fracasso, o dado de 20 faces deve ser lançado.

Para saber se o personagem obteve sucesso na tarefa – atacar um monstro ou usar uma perícia, por exemplo – uma seqüência lógica deve ser seguida:

  • Jogar um dado de 20 faces (1d20)
  • Adicionar ou subtrair modificadores relevantes à ação
  • Comparar resultado com o número alvo de dificuldade

Caso o resultado se igualar ou superar a Classe de Dificuldade (CD) – definida pelo Mestre do jogo ou pelas regras do sistema D&D 3.5 – o personagem obteve sucesso. Se for menor, fracassou na tarefa.

Geralmente o sistema é considerado como um mecanismo superior ao usado nas duas versões anteriores, D&D e AD&D, o “TAC0”. De um ponto de vista matemático, as tabelas do sistema antigo não diferem muito das do novo sistema, sendo equivalentes – entretanto, a última versão foi projetada para ser mais rápida e fácil de usar, estimando probabilidades de um modo mais intuitivo.

O Sistema d20 foi lançado como “Documento de Referência de Sistema” (SRD) sob OGL (Open Game License), ou seja, como um conteúdo de jogo aberto, o que permite a publicar comercial ou não comercialmente modificações ou suplementos para o sistema sem pagar pelo uso da propriedade intelectual associada, domínio da Wizards of the Coast.

Teoricamente, essa medida espalharia custos com a suplementação do jogo e aumentaria as vendas dos Livros de Regras Básicos, os quais podem apenas ser publicados pela Wizards of the Coast, sob os selos Dungeons and Dragons e d20. Mas para carregar a Marca registrada "D20" os suplementos não podem conter as regras de Criação e Evolução de Personagem, o que obriga o jogador a comprar pelo menos os livros básicos do D&D. Caso o suplemento coloque regras de Criação e Evolução de Personagem não pode então usar o Logotipo "D20", nem pode dizer que é compatível com D20.

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas
Web
Bibliografia
  • Rogério Saladino. (Novembro de 2000). "A Era do D20" (em português). Dragão Brasil (67). Trama Editorial.
  • Márcio Fiorito. (2003). "Quem é quem no mercado D20" (em português). Dragão Brasil (92). Trama Editorial.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]