Sistema d20

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Sistema d20 é um mecanismo de jogo para RPGs, publicado em 2000 pela Wizards of the Coast e baseado na terceira edição do jogo Dungeons and Dragons. Criado por Jonathan Tweet, Monte Cook e Skip Williams, e por sua vez baseado no material original de Gary Gygax e Dave Arneson. O sistema é nomeado dessa forma por usar um dado de 20 faces como base.[1]


Histórico[editar | editar código-fonte]

Em 2000, foi lançado terceira edição de Dungeons and Dragons, a Wizards of the Coast resolveu lançar uma licença de conteúdo livre, a Open Game License para o uso das regras de forma genérica, o primeiro a usar as regras de D&D foi publicado pela própria Wizards, um jogo baseado na franquia Star Wars.[2]


Ao contrário do OGL, a Licença d20 foi escrita para que pudesse ser cancelado em algum momento no futuro. Inicialmente, houve um boom na indústria de RPG causado pela licença d20, com várias empresas produzindo seus próprios suplementos d20. Algumas empresas utilizaram o sistema d20 para tentar impulsionar as vendas de seus próprios sistemas, incluindo jogos do Atlas e Chaosium, enquanto muitas outras editoras produziram conteúdo exclusivamente para d20, incluindo empresas mais antigas, como Alderac Entertainment, Fantasy Flight Games, e White Wolf,[3] e novas como Goodman Games, Green Ronin, Mongoose Publishing, e Troll Lord Games. O sucesso da licença d20 ajudou a lançar a indústria do RPG em formato pdf; havia uma demanda por produtos d20 e a entrega eletrônica ofereceu uma maneira muito rápida e barata para distribuir conteúdo.[4]

Mecânica Básica[editar | editar código-fonte]

Dados "Moonstone" utilizados no Sistema d20

Sempre que o personagem tentar realizar uma ação que tenha uma chance considerável de fracasso, o dado de 20 faces deve ser lançado.

Para saber se o personagem obteve sucesso na tarefa – atacar um monstro ou usar uma perícia, por exemplo – uma seqüência lógica deve ser seguida:

  • Jogar um dado de 20 faces (1d20)
  • Adicionar ou subtrair modificadores relevantes à ação
  • Comparar resultado com o número alvo de dificuldade

Caso o resultado se igualar ou superar a Classe de Dificuldade (CD) – definida pelo Mestre do jogo ou pelas regras do sistema D&D 3.5 – o personagem obteve sucesso. Se for menor, fracassou na tarefa.

Geralmente o sistema é considerado como um mecanismo superior ao usado nas duas versões anteriores, D&D e AD&D, o “TAC0”. De um ponto de vista matemático, as tabelas do sistema antigo não diferem muito das do novo sistema, sendo equivalentes – entretanto, a última versão foi projetada para ser mais rápida e fácil de usar, estimando probabilidades de um modo mais intuitivo.

O Sistema d20 foi lançado como "System Reference Document" (“Documento de Referência de Sistema”') sob OGL (Open Game License), ou seja, como um conteúdo de jogo aberto, o que permite a publicar comercial ou não comercialmente modificações ou suplementos para o sistema sem pagar pelo uso da propriedade intelectual associada, domínio da Wizards of the Coast.

Teoricamente, essa medida espalharia custos com a suplementação do jogo e aumentaria as vendas dos Livros de Regras Básicos, os quais podem apenas ser publicados pela Wizards of the Coast, sob os selos Dungeons and Dragons e d20.


O Sistema d20 não é apresentado como um sistema genérico, em qualquer de suas publicações ou distribuições livres, ao contrário de jogos como GURPS. Em vez disso, o núcleo do sistema foi apresentado em uma variedade de formatos que foram adaptados por várias editoras (tanto da Wizards of the Coast, quanto de terceiros) para configurações e gêneros específico.


d20 Modern tem seu próprio SRD, chamado Modern System Reference Document (MSRD). O MSRD inclui material de d20 Modern roleplaying game, Urban Arcana Campaign Setting, o d20 Menace Manual, e d20 Future, este abrange uma ampla variedade de gêneros, mas destina-se aos dias atuais, ou no caso do último deles, uma configuração futurista.

d20 Modern[editar | editar código-fonte]

O sistema de d20 Modern é muito semelhante ao Sistema d20. As principais diferenças são o ambiente high-tech , e as classes de personagens: há apenas seis: Tough Hero ("Herói Resistente"), Strong Hero ("Herói Forte"), Fast Hero ("Herói Rápido"), Smart Hero ("Herói Esperto"), Dedicated Hero ("Herói Dedicado") e Charismatic Hero ("Herói Carismático").[2]


Marca registrada[editar | editar código-fonte]

Como Dungeons & Dragons é o RPG mais popular jogo mundo, a partir da década de 2000, muitas editoras produziram produtos projetados para serem compatíveis com esse jogo e com d20 Modern. Wizards of the Coast forneceu uma licença separada que permitiu aos editores a utilização de alguns dos seus termos e a marca registrada e um logótipo para ajudar os consumidores a identificar esses produtos. Essa ficou conhecido como d20 System Trademark License.

Para carregar a Marca registrada "D20" os suplementos não podiam conter as regras de Criação e Evolução de Personagem, o que obriga o jogador a comprar pelo menos os livros básicos do D&D. Caso o suplemento colocasse regras de Criação e Evolução de Personagem não poderia então usar o Logotipo "D20", nem pode dizer que era compatível com D20.


Com o lançamento da quarta edição de Dungeons & Dragons em 2008, a Wizards of the Coast revogou a D20STL original, substituindo-a por uma nova licença especificamente para D&D, conhecida como a Game System License. Os termos desta licença são semelhantes ao D20STL, mas não há OGL associado ou conteúdo aberto, e a quarta edição SRD simplesmente lista os itens e cláusulas que podem ser usados ​​em produtos licenciados. Isso não afetou a posição legal do OGL, e produtos baseados na SRD ainda podem ser lançado sozinho sob a OGL.

Sistemas derivados[editar | editar código-fonte]

O sistema d20 está sob uma licença livre, vários autores criaram sistemas derivados. Estes sistemas são autônomos, no sentido de que eles não precisam dos livros de Dungeons & Dragons ou d20 Modern. Eles possuem vários aspectos do sistema d20, mas introduzem nuances, geralmente a simplificação de certos itens e a introdução de novas regras. Eles são publicados sob licença OGL, mas não usam a marca registrada do sistema d20. A pratica se intensificou com o lançamento da Quarta Edição de D&D (2008) e o surgimento da Game System License (GSL), que era mais restritiva que a OGL.[5] [6]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Notas
  1. "Profiles: Monte Cook". Dragon (Renton, Washington: Wizards of the Coast) (#275): 10, 12, 14. Setembro de 2000.
  2. a b Richard Garell, tradução: Equipe RedeRPG (12/05/2003). D20 Modern RedeRPG.
  3. JM Trevisan. (2001) "Livro de Mago Malvado". Dragão Brasil (74). Editora Trama
  4. Shannon Appelcline (2011). Designers & Dragons. Mongoose Publishing. ISBN 978-1-907702-58-7.
  5. Wizards of the Coast (26/01/2004). The Open Gaming Foundation: Frequently Asked Questions.
  6. Tzimisce (23/10/2010). Pathfinder Roleplaying Game Core Rulebook (resenha) RedeRPG.
Web
Bibliografia
  • Rogério Saladino. (Novembro de 2000). "A Era do D20" (em português). Dragão Brasil (67). Trama Editorial.
  • Márcio Fiorito. (2003). "Quem é quem no mercado D20" (em português). Dragão Brasil (92). Trama Editorial.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]