Slipknot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Slipknot
Slipknot em 2009
Informação geral
Origem Des Moines, Iowa
País  Estados Unidos
Gênero(s) Heavy metal, nu metal, metal alternativo, rap metal
Período em atividade 1995 – atualmente
Gravadora(s) Roadrunner Records
Afiliação(ões) Apocalyptica
Soulfly
Korn
Stone Sour
Murderdolls
To My Surprise
DJ Starscream
Dirty Little Rabbits
Painface
Página oficial www.Slipknot1.com
Integrantes 0 - Sid Wilson (DJ)
3 - Chris Fehn (percussão)
4 - James Root (guitarra)
5 - Craig "133" Jones (sampler)
6 - Shawn "Clown" Crahan (percussão)
7 - Mick Thomson (guitarra)
8 - Corey Taylor (vocal)
Alessandro Venturella (baixo)
Jay Weinberg [?] (bateria)
Ex-integrantes 1 - Joey Jordison (bateria)
2 - Paul Gray (falecido) (baixo)
3 - Greg "Cuddles" Welts (percussão)
4 - Josh "Gnar" Brainard (guitarra)
Anders Colsefini (vocal)
Donnie Steele (guitarra 1995-1996, baixo 2011-2013)

Slipknot é uma banda de metal formada em Des Moines, Iowa. É constituída atualmente por nove membros, sendo eles: Sid Wilson, Chris Fehn, James Root, Craig Jones, Shawn Crahan, Mick Thomson, Corey Taylor, Alessando Venturella e Jay Weinberg. O alinhamento da banda manteve-se inalterado desde 1999 até 2011. Cada membro usa uma máscara distinta.

A banda foi formada em 1995 e sofreu várias mudanças de alinhamento após o lançamento do disco independente Mate. Feed. Kill. Repeat. em 1996. O seu álbum homônimo de estreia foi lançado em 1999, tendo sido sucedido por Iowa em 2001 e Vol. 3: (The Subliminal Verses) em 2004. Em 25 de agosto de 2008, a banda lançou o seu quarto álbum de estúdio, All Hope Is Gone, que se estreou em 1º lugar na tabela norte-americana Billboard 200. A banda lançou também quatro DVDs incluindo Disasterpieces em 2002, que foi certificado com quádrupla platina nos Estados Unidos. O seu DVD mais recente é o (sic)nesses que foi lançando nos cinemas americanos no dia 26/08/2010 mas indo para as lojas apenas no dia seguinte. Os integrantes da banda falam que esse DVD foi em homenagem ao falecido baixista Paul Gray, já que foi um dos seus últimos shows. O (sic)nesses foi gravado em 2009 no Download Festival e atingiu aproximadamente 80 mil espectadores.

O estilo da banda já foi descrito como heavy metal,[1] nu metal,[1] [2] metal alternativo,[1] [2] thrash metal,[3] [4] [5] crossover thrash, hardcore punk, funk metal e rap metal.[6]

História

Primeiros anos (1995 - 1998)

Em Setembro de 1995, a banda "The Pale Ones" foi criada com Shawn Crahan na bateria, Gray no baixo, Anders Colsefini nos vocais e Steele na guitarra. Joey Jordison ingressou na banda pouco depois, tendo o papel de baterista e, posteriormente, transferindo Crahan para a percussão. A banda continuou a desenvolver sua visão mais do que seria na banda, tomaram a decisão de acrescentar o segundo guitarrista, entrando em ação Josh Brainard e Colsefini mudando para a percussão junto com os vocais. A banda fez a sua primeira performance ao vivo sob o nome de fundido, em 4 de Dezembro de 1995 em um clube chamado, Called Crowbar, em Des Moines. Logo depois, Jordison sugeriu a banda a mudar o nome para Slipknot, depois da sua canção que finalmente apareceu na faixa da demo, Mate. Feed. Kill. Repeat. A banda também começou a experimentar sua imagem, vestindo roupas grotescas, eventualmente, a anti-imagem foi conceito desenvolvido para os membros usando máscaras e macacão industrial. Até este ponto, a banda tinha permanecido essencialmente obscurecido devido à sua vontade de esperar até que a sua música foi totalmente desenvolvida.

Com muitos materiais já prontos, a banda começou a gravar em um estúdio local, SR Áudio com Sean McMahon. Em Fevereiro de 1996, o guitarrista Donnie Steele deixou a banda devido a sua crença cristã, embora os outros membros da banda estivessem dispostos a permitir que ele ficasse, Steele decidiu sair. Seu substituto, Craig Jones, chegou durante a mistura das fases deste novo projeto. Em 4 de Abril, O Slipknot fez sua primeira apresentação, no "Des Moines Reggae Clube The Safari", onde fez a maior parte dos seus primeiros shows. A banda começou a perceber mais uma vez que havia a necessidade de uma mudança, uma vez que foram acrescentando amostras de suas gravações, mas que não poderia produzir esses sons ao vivo. Posteriormente, Craig Jones mudou-se para tocar sampler e Mick Thomson foi trazido para ocupar o espaço na guitarra. Após o conflito sobre a mixagem e masterização, a banda liberou seu primeiro álbum Mate. Feed. Kill. Repeat (MFKR), no Dia das Bruxas, em 31 de Outubro de 1996.[7]

Com a produção deste álbum, Sean McMahon começou a distribuir o registro e gestão das empresas, o que resultou em um airplay na rádio local e, por sua vez, ganhou um lugar no Dotfest. Slipknot havia retornado para o estúdio para desenvolver novos materiais, o que exigiu um vocalista com voz melódica e violenta. Como resultado, Corey Taylor foi contratado a partir de colegas da banda Stone Sour; sendo que Colsefini mudou-se para o vocal de apoio e percussão. Com o seu novo vocalista, a banda continuou a fazer shows no Safari, durante um dos quais momentos, Colsefini no show surpreendeu a banda e os fãs tanto no palco anunciando que ele estava saindo da banda. A diferença na percussão foi preenchido por Greg Welts, que era carinhosamente conhecido como Cuddles. No final de 1997, a banda começou a usar macacões como uniforme e atribuíram números individuais para cada membro, respectivamente.

No início de 1998, a banda criou uma pequena demo, que incluía Spit It Out. O Slipknot Demo foi enviado para muitas gravadoras e, juntamente com uma crescente popularidade na Internet, o interesse cresceu a partir de gravadoras e eventualmente pelo produtor Ross Robinson. A banda, que tinha um forte interesse em trabalhar com Robinson, reuniu-se com ele e foi então decidido que iriam trabalhar em conjunto. Logo após, o DJ Sid Wilson foi levado à banda, e impressionou a todos pelo seu talento como DJ. Com a aquisição de Ross Robinson, a banda cresceu e começou a receber ofertas de gravadoras. Em 6 de Julho de 1998, Welts foi convidado a deixar a banda, se tornando o primeiro e único membro da banda a ser despedido, em última análise, a partir da banda. Chris Fehn substituiu Welts, e em 8 de Julho eles assinaram com a Roadrunner Records.

Álbum de estreia e o sucesso comercial (1998 - 2001)

No final de 1998, Slipknot voltou ao estúdio de gravação para trabalhar em seu álbum de estréia. No início de 1999, por motivos pessoais o guitarrista Brainard decidiu deixar a banda, sendo substituído por James Root. Com a gravação concluída, no início de 1999, com "Me Inside" e "Purity", a banda participou do Ozzfest, que começou em março. Em 29 de junho de 1999, a banda liberou seu álbum Slipknot. Em relação ao álbum, Rick Anderson do Allmusic escreveu "Você pensou que Limp Bizkit era pesado? O Osmonds. Slipknot é outra coisa completamente." A banda se apresentou no Livin La Vida Loco Tour na turnê de apoio ao álbum Slipknot. O álbum Slipknot inclui variações de canções lançadas anteriormente, incluindo "(sic)", uma versão da canção anterior "Slipknot". Essas versões foram mais rápidas do que as suas gravações anteriores e esta mudança foi saudada pelos antigos fãs. No mesmo ano, O Slipknot liberou seu primeiro vídeo caseiro, Welcome to Our Neighborhood (que mais tarde foi lançado em DVD em 2003). No início de 2000, Slipknot foi certificado com Disco de platina. Em Julho de 2001, o álbum Slipknot entrou na lista dos "50 Álbuns mais pesados de todos os tempos".

Iowa e Projetos paralelos (2001 - 2003)

Após o sucesso de seu álbum de estreia, Slipknot decidiu entrar no estúdio novamente para gravar seu segundo álbum. Até então, a banda tinha criado uma grande base de fãs, e as expectativas para o acompanhamento do novo álbum foram ótimas. Iowa, o segundo álbum da banda com a Roadrunner Records, foi lançado em 28 de agosto de 2001. Jason Birchmeier do Allmusic comenta: "É realmente tudo que você poderia pedir em um álbum do Slipknot, e então alguns - talvez um pouco mais do que você gostaria, na verdade, se você não é parte do culto." David Fricke da revista Rolling Stone chamou o álbum de "o primeiro grande registro da era new metal."

Iowa também teve um grande sucesso comercial, atingindo a terceira colocação na Billboard, e primeiro lugar nas paradas do Reino Unido na categoria álbuns gráficos. Em meados de 2001, a banda saiu mais uma vez em turnê, passando pelos festivais Ozzfest e o Kill The Industry, em apoio ao álbum Iowa. Em 2002, a banda apareceu em um concerto na cena do filme Rollerball. No mesmo ano, passaram pela Europa na turnê The European Iowa Tour. A BBC afirmou que Slipknot roubou o espetáculo e provou entretenimento após a banda ter realizado um show no Reading Festival, na Inglaterra. Depois de excursionar pela Europa, a banda fez apresentações no Japão na Japan Iowa Tour. No mesmo ano, Slipknot liberou seu segundo visual de produção com o lançamento do seu DVD Disasterpieces.

Em 2002, saiu uma série de projetos musicais dos membros do Slipknot. O vocalista Corey Taylor e o guitarrista James Root retornaram para o Stone Sour, com o lançamento de seu álbum debut Stone Sour. O baterista Joey Jordison também tinha o seu próprio projeto, em que ele assumiu o papel de guitarrista no Murderdolls. Logo depois, Slipknot deu um tempo para trabalhar em um terceiro álbum no final de 2002, mas a banda estava com problemas. Neste momento, houve rumores que a banda poderia acabar, e assim, não teriam mais chances de haver um terceiro álbum. Em meados de 2003, Shawn Crahan tinha um novo projeto, para a surpresa de muitos, na qual ele trabalhou com o nomeado produtor Rick Rubin.

Vol. 3: (The Subliminal Verses), 9.0 Live, e projetos paralelos (2003 - 2007)

Foi o renascimento do Slipknot, voltando a se reunirem, pegando de volta a energia que já existia. E percebendo que: "Danem-se esses intrusos, vamos nos reunir novamente". Nós temos que ganhar nosso espaço, temos que esquecer as pessoas que falam demais.

— Depoimento de Paul Gray sobre o terceiro álbum[8]

No final de 2003, Slipknot começou a escrever e gravar com o tão produtor nomeado Rick Rubin, que anteriormente trabalhou com artistas como Red Hot Chili Peppers, Johnny Cash, System of a Down, Slayer e atualmente trabalha com os Linkin Park. A Roadrunner Records também anunciou que deixaria de distribuir álbuns na Escandinávia, devido às condições financeiras. No entanto, Slipknot conseguiu lidar com a gravadora Nuclear Blast Records no início de 2003 para os lançamentos na Escandinávia. A banda liberou seu terceiro álbum, Vol. 3: The Subliminal Verses, em 24 de maio de 2004, que culminaram em segundo lugar na Billboard 200. Johnny Loftus do Allmusic chamou o álbum de "uma satisfação, cuidadosamente concebidos de representação da banda e da carreira, até à data", enquanto Robert Cherry da Rolling Stone disse que o álbum é "novas experiências, mesmo com condições extremas, o que, em caso do Slipknot em meios de tradição canção de suas musicas estruturadas." O título do álbum indica que este é o seu terceiro álbum, os membros posteriores mencionaram que eles não consideram Mate. Feed. Kill. Repeat.. como um álbum que reflete a banda. Em 2004, a banda excursionou no Ozzfest pela terceira vez, do mesmo ano, fizeram também sua primeira aparição no Download Festival. Em 2005, o Slipknot fez vários shows sem a presença de Shawn Crahan, que estava apoiando a sua esposa durante uma doença, incluindo o seu regresso ao Download Festival.

O Slipknot em 2005 ao vivo em Buenos Aires.

Pouco tempo depois, Slipknot lançou seu segundo álbum ao vivo, o 9.0: Live que incluía gravações de shows em Phoenix, Las Vegas, Osaka, Singapura e Tóquio. O álbum foi lançado em 1 de novembro de 2005 e foi indicado na Billboard 200 na 17º colocação. Em 2006, a banda ganhou seu primeiro Grammy como Melhor Performance de Metal com a canção "Before I Forget." Mais tarde naquele ano, o Slipknot liberou também o seu terceiro DVD Voliminal: Inside the Nine. Vários membros da banda colaboraram com outros artistas sobre a Roadrunner United: The All-Star Sessions (CD lançado em outubro de 2005). Pelo registro, Joey Jordison foi nomeado como o "capitão da equipe" Root, Taylor, e Gray também contribuíram na produção do álbum. Em 2006, Root e Taylor, mais uma vez, retornaram ao Stone Sour produzindo seu segundo álbum Come What (ever) May. Joey Jordison tocou bateria para várias bandas ao mesmo tempo em turnê, incluindo; Ministry e Korn. No final do ano, Shawn Crahan revelou um novo projeto paralelo, a banda Dirty Little Rabbits, onde Shawn toca bateria.

All Hope Is Gone e turnê (2008 - 2009)

Depois de um tempo, o Slipknot lançou o tão aguardado álbum, o All Hope Is Gone que foi liberado em todo o mundo em 20 de agosto de 2008. É o primeiro álbum do Slipknot a ficar no lugar de número 1 na Billboard 200. A preparação para o álbum começou em Outubro de 2007, com gravação adiada para Fevereiro de 2008. Para este lançamento, a banda se manifestou o interesse de tornar o quarto álbum o mais pesado de todos, até à data com uma expansão do thrash metal introduzido no vol. 3: (The Subliminal Verses). No entanto, eles também queriam deixar os seus experimentos na gravação, pretendendo incluir mais violões , vocais melódicos, e pratos na percussão. O álbum foi o primeiro trabalho da banda com o Dave Fortman como produtor. Juntamente com o álbum, a banda estreou e "evoluiu" as máscaras e uniformes, o que corresponde ao estilo do álbum. Slipknot fez sua performance pela primeira vez no Mayhem Festival em Julho e Agosto de 2008. A banda estava agendada para tocar no Reading e Leeds Festival em Agosto de 2008, mas foram obrigados a cancelar após o baterista Joey Jordison quebrar seu tornozelo.

O Slipknot em 2008 ao vivo no Mayhem Festival.

O Slipknot também fez shows na Austrália, Japão, Europa e Reino Unido nos últimos meses de 2008, com as bandas Machine Head e Children of bodom na abertura de seu shows. As datas de show no Reino Unido foram anunciadas em 20 de Agosto, e no início de Dezembro a turnê do All Hope Is Gone. Foram forçados a cancelar seu show em Israel, devido aos 2 dos membros estar com problemas familiares, Corey afirmou que o show seria remarcado para o passeio. James também declarou em uma entrevista que "estavam apenas avaliando como poderiam descobrir uma maneira de lançarem algumas das músicas que criaram, mas não colocaram no álbum." tornando-se uma possibilidade de que o All Hope Is Gone seria relançado, semelhante ao seu álbum Slipknot.

O Download Festival 2009, que começou a partir dos dias 12, 13 e 14 de Junho no Donington Park, em Leicestershire e Inglaterra, com o Slipknot sendo anunciado como manchete do palco principal no sábado. O Slipknot que saiu em turnê, a All Hope Is Gone World Tour, terminando-a no final do ano, depois de passarem por numerosos países. Depois da turnê, ainda anunciaram muitas mais datas para espetáculos sendo eles CEZ Arena-Ostrava, República Tcheca, Rockwave Festival - Atenas, Grécia, Eurockeennes Festival - Belfort, França entre outros.

A banda entrou em férias, porém em uma entrevista a Metal Injection, Joey falou sobre o retorno da sua banda paralela, o Murderdolls e ainda que o próximo álbum do Slipknot seria lançado em 2012. Foi confirmado que o Slipknot voltaria em 2011, liderando o Sonisphere Festival 2011 no Reino Unido e na França, o Graspop Metal Meeting 2011 no verão e o Rock in Rio, em setembro. Slipknot também confirmou que eles estão se preparando para lançar seu quinto álbum de estúdio, sem a intenção de substituir Paul Gray.

Morte de Paul Gray (2010)

Paul Gray at Mayhem

A polícia da cidade de Urbandale, no Iowa, afirmou que Paul Gray, baixista da banda Slipknot, foi encontrado morto em um quarto de hotel. A informação é do jornal local “KCCI”.

O corpo de Gray foi encontrado por volta das 11h da manhã (horário local) no hotel Marriott da cidade. Não havia sinais de crime, mas a polícia ainda esta fazendo uma investigação completa das razões da morte do músico. O corpo do baixista vai passar por uma autópsia e exame toxicológico.

Os oito integrantes do Slipknot se emocionaram bastante ao se pronunciarem pela primeira vez sobre a morte do companheiro em entrevista coletiva concedida no dia 25 de maio de 2010. Sem máscaras, eles falaram sem discurso e não responderam a perguntas.

Os membros estavam acompanhados pela viúva do baixista, Brenna, que estava grávida de cinco meses. "Meu marido era uma pessoa maravilhosa e eu quero que ele seja lembrado por isso. E sua filha irá conhecê-lo pelo que ele foi", disse.

Entre lágrimas, Corey Taylor comentou: "Perdemos nosso irmão, e o mundo parece menor após isso. Ele tinha o maior coração que qualquer um já conheceu". "A única palavra que pode resumi-lo é amor." Artistas também prestaram últimas homenagens a Gray, entre eles, James Shaffer do KoЯn, Jacoby Shaddix do Papa Roach, Benji Madden do Good Charlotte, Wes Borland do Limp Bizkit. Sid Wilson gravou uma música para Paul Gray.[9]

Tony Gray, irmão do baixista, ficou conhecido entre os fãs da banda pelo seu emocionante depoimento em rede mundial no encontro do Slipknot à imprensa após a morte de Paul.[10] [11] [12] [13]

Quanto a morte de Gray, Taylor explicou Gray gostaria que eles continuassem, e com esse espírito que ele sentiu. Ele teve a inspiração de Vinnie Paul, que perdeu Dimebag Darrell em 2004, bem como Avenged Sevenfold, que perdeu seu baterista The Rev em dezembro de 2009. Foi confirmado que o Slipknot voltaria em 2011, liderando o Sonisphere Festival 2011 no Reino Unido, o Graspop Metal Meeting 2011 no verão, e o festival Rock in Rio em setembro.

A banda confirmou em Março que o substituto de Paul Gray durante os shows de 2011 será o ex-guitarrista Donnie Steele.[14] Em 2011 o Slipknot cumpriu o seu "All Hope Is Gone Tour" declarando que Paul Gray não pode ser substituído. O show do Sonisphere U.K foi transmitido ao vivo no site oficial da banda. Um cabide com o uniforme de Gray e sua máscara ficaram presentes nos palcos do Tour e no final da última apresentação eles fizeram uma homenagem ao antigo baixista, tirando fotos com "ele" e o destaque foi Joey, que ficou abraçado ao "corpo" de Paul chorando por alguns segundos, isso ao som de "Til We Die" do album All Hope Is Gone. Recentemente a música "Flat Lace" de Sid Wilson lhe foi dedicada.

A volta aos palcos (2011)

Se a volta não funcionar, esta banda pode ter acabado. E eu não vou mentir, eu não sou um cara que vai mentir para os fãs.

— Depoimento de Corey Taylor sobre o futuro da banda[15]

Quanto à continuação do Slipknot, Taylor disse mais tarde à NME que Paul Gray gostaria que eles continuassem.[16] O Slipknot voltou aos palcos em 2011 para uma pequena temporada de shows na Europa. Eles se apresentaram no Festival Sonisphere e no Rock in Rio. Taylor declarou que os shows serviram como uma "homenagem" á Paul. Um dos fundadores do Slipknot, o guitarrista Donnie Steele substituiu Gray nos shows, no entanto tocando atrás do palco.[17] [18] O percussionista, Shawn Crahan, declarou que a banda vai fazer uma turnê nos Estados Unidos em junho de 2012.[19] '

Antennas To Hell e KnotFestival (2012)

Em 29 de maio de 2012, a Roadrunner Records postou um vídeo em seu site intitulado Antennas to Hell. Mais tarde naquele dia, Corey Taylor revelou no Twitter que o Slipknot lançaria um álbum de grandes sucessos em 23 de julho de 2012. Ele também twittou dizendo que a banda não está gravando um material novo ainda, mas estão colocando juntos demos para um novo álbum.[20]

No dia 4 de junho de 2012, foi anunciado no site oficial da banda o KnotFestival, o primeiro festival anual organizado pela banda que será realizado nos dia 17 e 18 de Agosto nos EUA, e contará com a presença das bandas: Deftones, Lamb of God, Dethklok, The Urge, Cannibal Corpse e Serj Tankian.[21]

A Saída de Jordison

Nos dias 12 e 13 de Dezembro de 2013, um comunicado anunciando a saída do baterista Joey Jordison, foi publicado no site oficial da banda.

Em contrapartida, o baterista Joey Jordison, em sua página oficial no facebook se manifestou sobre sua saída do Slipknot.

[22]

Grammy Awards 2014

Durante do a edição do Grammy Awards 2014, o percussionista da banda, Shawn Crahan, apareceu no tapete vermelho junto com sua filha, Gabrielle Crahan, e de sua esposa Chantel Crahan, o que causou um grande alvoroço na mídia americana e nas redes sociais, para algumas pessoas, isso foi uma jogada de marketing para divulgar o lançamento do novo álbum da banda, previsto para 2014.[23]

Teasers, nova logo e esquema de segurança

No dia 15 de julho de 2014, entrou no ar o site http://negative.slipknot1.com onde era mostrado o primeiro teaser do novo álbum da banda[24] , além disso, todas as imagens pretas foram substituídas pela imagem da nova logo da banda, um nonagrama vermelho com um circulo no centro dele, que anteriormente ficava em volta das pontas do nonagrama.

Em uma entrevista para uma rádio americana, Corey Taylor afirmou que a banda terá novos uniformes, máscaras e um novo logotipo, e também há um projeto de estender o KnotFest para o sul, centro-oeste e costa leste dos Estados Unidos em 2015 e torná-lo um festival multicidade.[25]

E também falou um pouco sobre o novo álbum: "Foi interessante, nós sabíamos que seria pesado, sabíamos que seria algo do tipo ‘ok, estamos em território desconhecido, e agora?’ Sabe? Foi aí que o Jim e o Clown se colocaram a frente. Eles que começaram a colocar as coisas no lugar, então quando chegamos no estúdio já tínhamos um ótimo modelo de música para ouvir."[26]

Um esquema de segurança foi criado para o novo álbum da banda, que foi gravar o CD em 3 estúdios diferentes, para que não houvesse vazamentos de músicas.

5: The Gray Chapter (2014)

O próximo álbum será sério. Sinto que será bem parecido com Iowa, mas será ‘a favor’ das coisas, ao invés de ‘contra’ elas. ‘Iowa’ era contra tudo, até contra nós mesmos. Mas esse próximo disco será para nós mesmos, para Paul, para sua família.

— Depoimento de Shawn Crahan sobre o quinto álbum[27]

Shawn também falou: "Fãs do Slipknot: não se preocupem, voltaremos. Não vamos a lugar nenhum. Não importa o que leiam. Ainda estamos juntos e continuaremos juntos".

No dia 01 de agosto de 2014, foi lançado o single "The Negative One" e em 24 de Agosto de 2014, o Slipknot anunciou que seu novo álbum de estúdio ira ser lançado no dia 21 de outubro no Brasil. A possível capa do novo álbum nomeado como "The Gray Chapter" também foi divulgada, com bônus de uma nova faixa que estará presente no álbum: "The Devil In I". [28]

Outra novidade que o Slipknot anunciou será a nova turnê de divulgação do novo álbum, junto com as bandas Korn e King 180 eles farão a turnê chamada Hell Tour que irá começar no dia 25 de outubro no Knotfest, passando por várias cidades do EUA, e também pelo Japão onde será organizado outro Knotfest nos dias 15 e 16 de novembro, onde o Slipknot irá se apresentar nas duas noites de festival.

Influências e estilo

Sid Wilson e Shawn Crahan no concerto em Wisconsin em 2005.

A banda tem afirmado que suas principais influências incluem Led Zeppelin, Black Sabbath, Slayer, Judas Priest, Korn, AC/DC, Kiss e Beastie Boys. Death metal e heavy metal têm sido mencionados como uma das principais influências da banda sobre a direção musical juntamente com new metal, como a banda geralmente é apresentada. Eles também afirmaram que são influenciados por bandas industriais como Head of David, Godflesh e Skinny Puppy, ou também Neurosis e jungle music como Roni Size.

Eles podem ser comparados com grupos como Pantera, Machine Head, Biohazard, Life of Agony, e Prong, que também são conhecidos por serem caóticos e energéticos nos shows ao vivo. Robert Cherry da Rolling Stone chamou o som sonoro do Slipknot de "uma máquina debulhante devorando um corpo militar.". Em trabalho mais recente, o estilo de "vocal escandaloso" continua presente, mas agora inclui mais melódias. As letras geralmente seguem uma tom muito agressivo e apresentam temas como a escuridão, niilismo, raiva, desinteresse, ódio, misantropia, nocaute e psicose. Rick Anderson do Allmusic respeita as letras do grupo, como "geralmente não cotável para um site de família". Houve controvérsia em torno das letras do Slipknot, incluindo um caso em que um par de jovens assassinos culpou a letra da canção "Disasterpiece" como um crime vicioso, e um caso em 2006, em que letra da canção "Surfacing" foi encontrada no local de uma sepultura. No ano de 2008 um jovem de 18 anos assassinou um colega de classe na África do sul. O homicida empunhava uma espada e tinha uma máscara kabuki parecida com a de Joey Jordison, dos Slipknot, de acordo com o depoimento de autoridades e testemunhas. "Sabemos que a música errada e as drogas dão mau resultado. Os mais novos precisam estar informados sobre os efeitos da música satânica", defende Pierre Efsteen, diretor de uma instituição de apoio a estudantes. Já a polícia sul-africana tem uma opinião distinta: "Sempre que há um homicídio, as pessoas tiram conclusões precipitadas, e acham sempre que foi Deus ou o Demônio que mandou os assassinos matarem", lembra o chefe do departamento de psicologia da polícia local. A banda não se pronunciou sobre o ocorrido.[29]

Imagem

A banda é conhecida por sua imagem que chama a atenção. Os membros vestem uniformes industriais, têm máscaras exclusivas, respectivamente, e têm apelidos que são simplesmente números. A ideia original de usar máscaras durante os shows é muitas vezes atribuída a uma máscara de palhaço que o percussionista Shawn Crahan trazia para os ensaios, quando a banda começou. Com o conceito que foi desenvolvido no final de 1997, a banda decidiu que cada músico teria que usar máscaras e macacões originais correspondentes.[30] O vocalista Taylor disse, quando questionado sobre as máscaras em 2002: "É a forma de nos tornarmos mais íntimos com a música, é uma maneira de nos tornarmos inconscientes de quem somos e o que fazemos fora da música".[31] O conceito dos macacões industriais tem sido descrito como uma resposta ao mercantilismo no negócio da música e levou à ideia de atribuir os membros da banda aliases numéricos. "Originalmente, nós iríamos vestir os macacões [...] achamos que poderíamos muito bem levar isso diante de nós mesmos. [...] Nós estávamos basicamente dizendo: 'Ei, nós somos um produto!" explicou Taylor.[32] Sua imagem tem sido alvo de muitas críticas, geralmente considerado como um artifício para tentar vender mais álbuns.[33] A banda crítica fortemente essas reivindicações, proclamando que as máscaras são usadas para chamar a atenção sobre si mesmos como indivíduos e colocá-los na música.[34] Vários membros da banda têm observado que o uso das máscaras também ajuda a manter sua vida pessoal privada. Durante uma entrevista em 2005, o percussionista Chris Fehn chegou a dizer que era uma "bênção" eles não serem reconhecidos.[35]

Ao longo da sua carreira, o Slipknot têm sempre desenvolvido a sua imagem. Mudando os uniformes e máscaras de cada membro em conformidade com o lançamento de cada álbum.[36] [37] As máscaras não mudam completamente, mas contém novos elementos. O baterista Joey Jordison abordou a questão em uma entrevista em 2004, afirmando que é para mostrar crescimento e diferença dentro da idade de cada indivíduo.[38] Ao lado de suas máscaras habituais, o Slipknot incorporaram máscaras especiais por razões específicas ao longo do sua carreira. Mais notavelmente, pois o vídeo da música e performances ao vivo da música "Vermilion" em 2004 e 2005, os integrantes da banda usavam máscaras da morte feitas a partir de moldes do próprio rosto.[39] Então, em 2008, a banda usava um conjunto de grandes máscaras "máscaras do purgatório" que são vistas queimando no vídeoclipe de Psychosocial. No início, as máscaras do Slipknot eram feitas por eles mesmos, no entanto, desde 2001, elas passaram a ser criadas pelo artista de efeitos especiais e músico Screaming Mad George.[40]

Formação

Integrantes

Ex-integrantes

Cronologia:

Discografia

Álbuns de estúdio

Prémios

Certificações da RIAA

Estas estatísticas foram compiladas a partir da base de dados online de certificações da RIAA.[41]

Álbuns

Vídeos e DVDs

Grammy Awards

Das sete nomeações para o Grammy Awards o Slipknot ganhou apenas uma.

Referências

  1. a b c Biografia do Slipknot (em inglês) Allmusic. Visitado em 7 de dezembro de 2009.
  2. a b Slipknot - Band info (em inglês) Metal Storm. Visitado em 22 de setembro de 2010.
  3. Slipknot: All Hope Is Gone (em português) Território da Música. Visitado em 21 de agosto de 2010.
  4. http://www.novometal.com/reviews/ler.php?id=2012
  5. Whiplash.net. Slipknot.
  6. "Mate. Feed. Kill. Repeat" Review (em inglês) Allmusic. Visitado em 7 de dezembro de 2009.
  7. Huey, Steve. "Slipknot biography", allmusic. Página visitada em 2007-12-13.
  8. Shawn Crahan (Director). (2006). Voliminal: Inside the Nine [DVD]. Roadrunner Records. Acessado em 2007-12-14.
  9. http://www.mpsirock.com.br/2010/07/03/sid-wilson-lanca-musica-sobre-paul-gray/
  10. http://www.metalsucks.net/tag/tony-gray
  11. http://abcnews.go.com/meta/search/imageDetail?format=plain&source=http://abcnews.go.com/images/Entertainment/b8dc5cb9-830c-480f-90ef-85784558852f
  12. http://www.slipknotbr.com/index.php?subaction=showfull&id=1274832734&archive=&start_from=&ucat=&
  13. http://www.skullsnbones.com/profiles/blogs/slipknot-talks-about-their
  14. http://www.mpsirock.com.br/2011/03/10/slipknot-confirma-baixista-para-turne/
  15. Futuro da banda"COREY TAYLOR: If SLIPKNOT's Upcoming Tour Doesn't Work, This Band Might Be Over (2011-05-03). Visitado em 2011-05-04.
  16. Corey Taylor: 'Paul Gray would want Slipknot to continue' - video NME (2010-12-06). Visitado em 2010-12-06.
  17. Update regarding summer shows slipknot1.com (2011-03-10). Visitado em 2011-03-10.
  18. SLIPKNOT's First Show Since Death Of PAUL GRAY: HD Video Footage Available - June 20, 2011 Blabbermouth.net (2011-06-21). Visitado em 2011-09-03.
  19. SLIPKNOT Percussionist Confirms U.S. Tour Plans; Says It Is 'Too Soon' For New Studio Album - Aug. 29, 2011 Blabbermouth (2011-08-29). Visitado em 2011-08-29.
  20. http://loudwire.com/slipknot-prepping-greatest-hits-release-working-on-new-demos/
  21. Limp Bizkit’s DJ Lethal: “The Firts Anual KnotFestival”. Acessado em 2 de junho de 2012.
  22. http://whiplash.net/materias/news_819/195209-slipknot.html
  23. http://music.yahoo.com/blogs/music-news/grammys-2014-clown-mask-red-carpet-234504111.html
  24. Vinícius Correia (15 de Julho de 2014). Slipknot: Primeiras pistas do novo álbum reveladas? whiplash. Visitado em 24 de Julho de 2014.
  25. Natália (23 de Julho de 2014). Mais detalhes sobre os planos do Slipknot: novos uniformes, novas máscaras e novo logo SlipknotBr. Visitado em 24 de Julho de 2014.
  26. Natália (23 de Julho de 2014). Corey Taylor sobre o novo álbum: “Nós sabíamos que seria pesado” SlipknotBr. Visitado em 24 de Julho de 2014.
  27. Shawn Crahan confirma próximo álbum do Slipknot em 2013 (2011-02-08). Visitado em 2012-03-08.
  28. http://slipknotbr.com/corey-taylor-o-novo-album-do-slipknot-sera-gravado-em-2015/
  29. http://blitz.aeiou.pt/gen.pl?p=stories&op=view&m=6&fokey=bz.stories/30767
  30. Arnopp 2001, pp. 54–55
  31. Soghomonian, Talia. "Interview with Corey Taylor of Slipknot", NYRock. Página visitada em 2007-12-21.
  32. Arnopp 2001, p. 80
  33. McIver 2001, p. 32
  34. Loud Times Video Magazine – Vol. 3 [DVD time=6:15 in Slipknot's interview.]. Quantum Leap.
  35. "Slipknot's Chris Fehn: 'It's A Blessing That We Don't Get Recognized'", Blabbermouth.net, 2005-05-25. Página visitada em 2010-09-11.
  36. "News Archive", Blabbermouth.net, 2001-05-20. Página visitada em 2007-12-16.
  37. Wiederhorn, Jon. "Slipknot Ready To Unveil New Masks, Subliminal", MTV, 2004-03-09. Página visitada em 2007-12-16.
  38. Chris Fehn, Joey Jordison, Corey Taylor. Slipknot – Ahoy Netherlands Interview [Video]. The Box. Evento ocorre em 0:44.
  39. Slipknot. Vermilion Music Video. Roadrunner Records.
  40. Slipknot – Chris and Paul – Boogie TV Interview 2004 [Video]. Boogie TV.
  41. Gold and Platinum database Recording Industry Association of America. Visitado em 2007-12-15.
  42. D'Angelo, Joe. "Slipknot Working On Album As They Ponder Grammys, Touring", MTV.com, 2001-02-16. Página visitada em 2007-12-16.
  43. "Slipknot's Paul Gray: "I Know System Of A Down Will Win Grammy"", Blabbermouth.net, 2002-02-27. Página visitada em 2007-12-16.
  44. "Grammy Awards Nominees Announced!", Blabbermouth.net, 2003-01-07. Página visitada em 2007-12-16.
  45. a b "Metallica, Cradle Of Filth, Motorhead Among Grammy Nominees "", Blabbermouth.net, 2004-12-07. Página visitada em 2007-12-16.
  46. "List of Grammy winners", CNN, 2006-02-09. Página visitada em 2007-12-13.
  47. Grammy 2009 Winners List MTV (February 8, 2009). Visitado em December 1, 2009.

Ligações externas

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Slipknot
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Slipknot