Small Faces

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Small Faces
A banda em 1965. Da esq. para a dir: Steve Marriot, Ronnie Lane, Kenney Jones e Jimmy Winston
Informação geral
Origem Londres
País Inglaterra
Gênero(s) Rock, R&B, pop, psicodélico, beat, soul, invasão britânica
Período em atividade 1965 - 1969
Gravadora(s) Decca, Immediate
Afiliação(ões) Humble Pie, The Faces
Ex-integrantes Steve Marriott
Ronnie Lane
Kenney Jones
Ian McLagan
Jimmy Winston
Rick Wills
Jimmy McCulloch

Small Faces foi uma banda britânica de rock and roll dos anos 60, liderada por Steve Marriott e Ronnie Lane com Kenney Jones e o pianista Jimmy Winston. Eles eram genuínos mods da East End e quase tomaram do The Who o posto de principal banda mod do Reino Unido.

História[editar | editar código-fonte]

Steve Marriott nasceu e foi criado no East End de Londres; ele transformou-se num ator mirim de destaque, atuando como "The Artful Dodger" em uma montagem inicial da peça Oliver! e aparecendo em dois filmes na adolescência, um deles com Peter Sellers.

Lane e Marriott se conheceram em 1965 quando Marriott trabalhava no J60 Music Bar, em Manor Park; Lane foi até lá com seu pai Stan para comprar um baixo, conheceu Marriot, levou o instrumento e foi mais tarde à casa dele para ouvir uns discos. O coração da banda estava formado.

Recrutando seus amigos Kenney Jones e Jimmy Winston, eles rapidamente progrediram dos ensaios para apresentações em pubs e clubes noturnos, embora sua formação não estivesse completa. Marriott ainda estava aprendendo a tocar guitarra, mas sua voz explosiva chamava cada vez mais atenção. Eles foram ajudados pelo cantor Elkie Brooks, que ficou impressionado com o poder vocal de Stevie, recomendando-os à Maurice King, dono de um pub que começou a arranjar trabalho para a banda em Londres e nos arredores.

Eles foram chutados de sua primeira apresentação fora da cidade—um clube de operários em Sheffield -- depois de apenas três músicas. Desapontados, eles foram para um clube mod chamado Mojo Club ali perto e se ofereceram para tocar gratuitamente, provocando sensação com suas músicas entre os frequentadores. Durante uma residência no Leicester Square Cavern, eles tiveram o apoio crucial de Sonny & Cher, que viviam em Londres na época e havia visto os Small Faces em Sheffield.

A era Decca[editar | editar código-fonte]

O grupo assinou contrato com o empresário Don Arden e com a gravadora Decca, lançando alguns compactos mod/soul altamente energéticos pelo selo.

Seu compacto de estréia foi "What'cha Gonna Do About It" em 1965, seguido de "I've Got Mine". Winston foi chutado da banda, sendo substituído pelo mais experiente Ian McLagan (ex-Artwoods) e eles entraram nas paradas de sucesso com "Sha-La-La-La-Lee". O primeiro disco da banda, Small Faces obteve sucesso considerável, enquanto a popularidade do grupo crescia, com aparições cada vez mais frequentes em programas de TV e turnês incessantes pelo país.

Mas em 1966, apesar de ser um dos grupos que mais faturavam com shows no Reino Unido e tendo alcançado diversas colocações na Top 40, eles não recebiam quase nada de seu merecido dinheiro. Depois de uma briga com Arden (que tentou intimidar os pais dos garotos dizendo que todos eram viciados em heroína), eles romperam tanto com o empresário quanto com a Decca.

A era Immediate[editar | editar código-fonte]

Os Small Faces imediatamente conseguiram um contrato com a recém-formada Immediate, formada pelo ex-empresário dos Rolling Stones Andrew Loog-Oldham. Recebendo uma conta aberta nos estúdios Olympic em Barnes, Londres, a banda progrediu rapidamente, trabalhando bem próximos ao engenheiro-de-som Glyn Johns e lançando a partir daí vários clássicos.

O primeiro compacto pela Immediate foi o audacioso "Green Circles", claramente influenciado pelo uso de drogas, e que (para a satisfação da banda) conseguiu escapar à censura apesar de suas referências explícitas à anfetaminas. Um inovador álbum de mesmo nome se seguiu, e embora não tenha alcançado tantas vendas, foi aclamado por vários outros músicos, excercendo forte influência em grupos além-mar como as bandas australianas The Masters Apprentices, The Twilights e Sherbet.

O compacto "Itchycoo Park", lançado em 1967, tornou-se uma das músicas mais conhecidas dos Small Faces, obtendo grande sucesso nos Estados Unidos. Também foi a primeira gravação britânica a usar phasing, um efeito criado pelo engenheiro-de-som Geoge Chkiantz em 1966. Em seguida veio o avassalador épico-soul "Tin Soldier" (gravado com a cantora P.P.Arnold), que permanece como uma de suas melhores canções e indubitavelmente um dos melhores compactos pop da década.

A carreira da banda emplacou com o clássico psicodélico Ogden's Nut Gone Flake em 1968. O LP consistia de cinco canções no Lado A e um conto de fadas psicodélico no Lado B sobre as aventuras de "Happiness Stan", narrado pelo comediante Stanley Unwin. Os críticos aclamaram e as vendagens foram ótimas, mas assim como os Beatles e seu Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, os Small Faces foram confrontados com o problema de ter criado uma obra-prima no estúdio que era praticamente impossível de ser apresentada ao vivo.

Eles ainda alcançariam outro sucesso com "Lazy Sunday", que foi lançado contra a vontade da banda.

Marriott deixou abruptamente os Small Faces em 1969, frustrado com a incapacidade do grupo de se livrar de sua imagem pop, formando uma nova banda, Humble Pie, com Peter Frampton. A última música lançada na carreira da banda é a folk "The Universal", gravada com adições no estúdio por cima de uma gravação feita em um toca-fitas por Marriott em seu quintal tocando violão.

Um compacto e álbum "póstumos", The Autumn Stone, foram lançados no ano seguinte, e incluíam seus principais sucessos pela Immediate, além de gravações ao vivo e sobras de estúdio.

Lane, Jones e McLagan logo juntaram forças com o ex-vocalista do Jeff Beck Group Rod Stewart e Ron Wood. Eles ainda lançariam mais um disco como Small Faces antes de se tornarem simplesmente The Faces e mais tarde Rod Stewart & The Faces.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

EPs[editar | editar código-fonte]

"Sha-La-La-La-Lee" / "Whatcha Gonna Do About It" / "All Or Nothing"
"My Mind's Eye" / "I Can't Dance With You" / "Shake" / "One Night Stand"

Singles[editar | editar código-fonte]

  • 1965 "Whatcha Gonna Do About It" / "What's a Matter Baby"
  • 1965 "I've Got Mine" / "It's Too Late"
  • 1966 "Sha-La-La-La-Lee" / "Grow Your Own"
  • 1966 "Hey Girl" / "Almost Grown"
  • 1966 "All Or Nothing" / "Understanding"
  • 1966 "My Mind's Eye" / "I Can't Dance With You"
  • 1967 "I Can't Make It" / "Just Passing"
  • 1967 "Patterns" / "E Too D" (lançamento não-autorizado)
  • 1967 "Here Come the Nice" / "Talk To You"
  • 1967 "Itchycoo Park" / "I'm Only Dreaming"
  • 1967 "Tin Soldier" / "I Feel Much Better"
  • 1968 "Lazy Sunday" / "Rollin' Over"
  • 1968 "The Universal" / "Donkey Rides, A Penny, A Glass"
  • 1969 "Mad John" / "The Journey"
  • 1969 "Afterglow of Your Love" / "Wham Bam Thank You Mam"
  • 1975 "Itchycoo Park" (relançamento)
  • 1976 "Lazy Sunday" (relançamento)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]