Smalltalk

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde março de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Smalltalk
Paradigma Orientação a Objetos
Surgido em Início em 1969, tornou-se público em 1980
Criado por Alan Kay, Dan Ingalls, Adele Goldberg
Estilo de tipagem: dinâmica
Compiladores Squeak, GNU Smalltalk, VisualWorks
Dialetos: Squeak
Influenciada por Lisp, Simula, Logo, Sketchpad
Influenciou Objective-C, Self, Java, Dylan, AppleScript, Lisaac, D, NewtonScript, Python, Ruby, Scala, Perl 6, CLOS, Falcon, Io, Ioke

Smalltalk-80, ou simplesmente Smalltalk, é uma linguagem de programação orientada a objeto dinamicamente tipada.

Em Smalltalk tudo é objeto: os números, as classes, os métodos, blocos de código, etc. Não há tipos primitivos, ao contrário de outras linguagens orientadas a objeto; strings, números e caracteres são implementados como classes em Smalltalk, por isso esta linguagem é considerada puramente orientada a objetos. Tecnicamente, todo elemento de Smalltalk é um objeto de primeira ordem.

Os programadores definem classes de objetos em suas aplicações para imitar (ou simular) o mundo real. Estas classes de objeto são organizadas hierarquicamente, de modo que seja possível fazer novos objetos com características de outros objetos, com poucas mudanças.

Smalltalk é relativamente fácil de aprender comparado a linguagens como C++ e ADA. O código-fonte Smalltalk é fácil de ler, o que o torna a linguagem de programação ideal para iniciantes.

História[editar | editar código-fonte]

O Smalltalk evoluiu através de várias iterações. Do Smalltalk-71 (que parecia um pouco com o Logo) e Smalltalk-72 (no qual muitas das funcionalidades de mídia foram implementadas, da capacidade de desenhar até programas de música e linguagens de programação icônicas) para chegar no Smalltalk-76, que foi o primeiro Smalltalk moderno. Dan Ingalls foi o principal implementador nessa época, e o criador do Smalltalk-76. Ted Kaehler foi outro implementador do equipe original do Learning Research Group, desenvolvendo o sistema de música para o Smalltalk-72, uma versão da tartaruga do Logo para Smalltalk, além da estrutura de memória orientada a objetos.

O Smalltalk-80 foi lançado para computadores de diversas companhias (Hewlett-Packard, DEC, Apple, IBM, Tektronix) como um teste de portabilidade do ambiente. Ele foi implementado como um compilador de bytecode. O código era de fato compilado, porém não para a linguagem de máquina nativa do computador que executava aplicação e, sim, compilado para uma linguagem de máquina de um computador que não existia: a máquina virtual. A vantagem desse esquema que foi criado com o Smalltalk-80 é que ele tornou-se extremamente portável.

O Smalltalk-80 tornou-se um padrão para as diversas versões de Smalltalk. Depois disso, a Xerox resolveu criar uma empresa chamada ParcPlace para cuidar do desenvolvimento do Smalltalk, gerando novas versões como ObjectWorks e, posteriormente, VisualWorks. Outras versões foram criadas por outras companhias, tais como: Smalltalk/V da Digitalk e o SmalltalkAgents da Quasar; todos com sintaxe e estruturas semelhantes, porém o código da interface gráfica era radicalmente diferente.

Sintaxe[editar | editar código-fonte]

A sintaxe de Smalltalk-80 é bastante diferente das linguagens tradicionais.

Ao invés do que é usado na maioria das linguagens tradicionais, em Smalltalk utiliza-se sempre a ordem <objeto recebedor> <mensagem>.

No exemplo abaixo, o método publish é formado de uma linha, onde se envia a mensagem show para o objeto Transcript, com o parâmetro Hello, world (que é um objeto).

publish
    Transcript show: 'Hello, world!'

Polimorfismo[editar | editar código-fonte]

Em Smalltalk não há o Polimorfismo Universal Paramétrico nem o Ad-Hoc por Coerção. Sendo assim só há implementado o Universal por Inclusão e o Ad-Hoc por Sobrecarga. Exemplos:

  • Inclusão:
Numeros subclass: #Primos
	instanceVariableNames: ''
	classVariableNames: ''
	poolDictionaries: ''
	category: 'Numeros'
 
Initialize
	super initialize.
 
verificaSeEPrimo: temp "a funcao isPrime ja existe na classe Integer"
	Transcript show: temp isPrime.
 
imprime
	Transcript show:'sobrescrevi o metodo imprime da classe pai(Numeros). Isso mostra que Smalltalk suporta 
polimorfismo universal por inclusao'.
  • Sobrecarga:
Object subclass: #Numeros
	instanceVariableNames: 'val'
	classVariableNames: ''
	poolDictionaries: ''
	category: 'Numeros'
 
Initialize
	super initialize.
	val := 0.
 
getVal
	^ val.
 
setVal: aValor
	val := aValor.
 
verificaSeEMembro: aInteger
	^Transcript show: self class == aInteger class
 
imprime
	Transcript show: val.
 
 
imprime: aValor 
 
"temos aqui uma sobrecarga do metodo imprimir na mesma classe, o que prova que smalltalk suporta polimorfismo Ad-Hoc 
por sobrecarga"
 
Transcript show: aValor.

Regras básicas da linguagem[editar | editar código-fonte]

  • Tudo é representado como objetos. (De longe, a regra mais importante em Smalltalk)
  • Toda computação é disparada pelo envio de mensagens. Uma mensagem é enviada para um objeto fazer alguma coisa.
  • Quase todas as expressões são da forma <recebedor> <mensagem>.
  • Mensagens fazem com que métodos sejam executados, sendo que o mapeamento de mensagens para métodos é determinado pelo objeto recebedor. Os métodos são as unidades de código em Smalltalk, equivalente a funções ou procedimentos em outras linguagens.
  • Todo objeto é uma instância de alguma classe. 12 é uma instância da classe SmallInteger. 'abc' é uma instância da classe String. A classe determina o comportamento e os dados de suas instâncias.
  • Toda classe tem uma classe mãe, exceto a classe Object. A classe mãe define os dados e comportamento que são herdados por suas classes filhas. A classe mãe é chamada de superclasse e suas filhas, subclasses.

Exemplos de código[editar | editar código-fonte]

Hello world[editar | editar código-fonte]

Transcript show: 'Hello, world!!!'

Número Perfeito[editar | editar código-fonte]

Integer extend [
 
  "Traduzido da versão em C"
  isPerfectC [ |tot| tot := 1.
     (2 to: (self sqrt) + 1) do: [ :i |
        (self rem: i) = 0
        ifTrue: [ |q|
                  tot := tot + i.
                  q := self // i. 
                  q > i ifTrue: [ tot := tot + q ]
        ]
     ].
     ^ tot = self
  ]
 
  "Outra maneira"
  isPerfect [
     ^ ( ( ( 2 to: self // 2 + 1) select: [ :a | (self rem: a) = 0 ] )
         inject: 1 into: [ :a :b | a + b ] ) = self
  ]
].

Classes[editar | editar código-fonte]

Object subclass: #MessagePublisher
    instanceVariableNames: ''
    classVariableNames: ''
    poolDictionaries: ''
    category: 'Smalltalk Examples'

Métodos[editar | editar código-fonte]

publish
    Transcript show: 'Hello, world!'

Invocação[editar | editar código-fonte]

MessagePublisher new publish

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]