Smendes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde Fevereiro de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Smendes ou Nesbanebdjed foi o fundador da XXI dinastia egípcia, cuja capital seria Tânis na região oriental do Delta do Nilo. Reinou entre 1069 e 1043 a.C.. no começo do Terceiro Período Intermediário.

O nome egípcio deste faraó era Nesubanebdjed, mas este tornou-se mais conhecido pela forma grega do nome, Smendes. Este nome estava relacionado com o culto do deus carneiro em Mendes, cidade próxima de Tânis. O seu prenome (ou nome de nascimento) foi Hedjkheperré-Setepenré, o que significa "Brilhante é a forma de Ré - Escolhido por Ré".

As origens familiares deste faraó são desconhecidas. Smendes começou por ser o vizir do norte do faraó Ramsés XI, último representantes da XX dinastia. Nesta condição administrava a região do Delta do Nilo ou Baixo Egipto. Quando Ramsés XI faleceu, sem deixar herdeiros, Smendes declarou-se rei. Era casado com uma filha de Ramsés XI, Tentamon, o que pode ter facilitado a legitimação do seu poder.

Smendes transferiu a capital do Egipto de Pi-Ramsés para Tânis, tendo os materiais usados para erguer os monumentos da nova capital sido retirados de Pi-Ramsés. O faraó viveu também durante algum tempo em Mênfis.

Na sua época o Egipto não se encontrava unificado, exercendo Smendes a soberania apenas sobre o norte. No sul governavam os sumo-sacerdotes de Amon, que apesar de aceitarem teoricamente a soberania de Smendes, eram na prática os governantes naquela região do país.

O legado de monumentos deixado por este faraó é escasso. Sabe-se que Smendes promoveu obras de conservação dos templos de Karnak e de Luxor.

Smendes é mencionado num clássico da literatura do Antigo Egipto, A Desventura de Uenamon. Esta obra relata as aventuras do funcionário tebano homónimo na sua viagem até ao Líbano para obter madeira de cedro. Apesar das vicissitudes, o objectivo é alcançado, sendo Uenamon recompensado por Smendes.

Smendes foi sepultado em Tânis, mas até hoje o seu túmulo não foi descoberto. Relacionado com a sua morte apenas se conhecem dois vasos canópicos. Foi sucedido por Amenemnesu, filho de Herihor, que se julga ter tido um co-regência com Psusennes I.

Titulatura[editar | editar código-fonte]

Nome de Nesut-bity
Hieroglifo
M23
X1
L2
X1
<
N5 S1
L1
N5
U21
N35
>
Transliteração Hḏ-ḫpr-Rˁ Stp-n-Rˁ
Transliteração (ASCII) hdj-xpr-ra stp-n-ra
Transcrição Hedjkheper-rá Setepenrá
Tradução "Luminosa é a manifestação de . O eleito de Rá."


Precedido por
Ramsés XI
Faraó
XXI dinastia
Sucedido por
Amenemnisu


Ícone de esboço Este artigo sobre um Faraó é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.