Sobrenatural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Diversos atos sobrenaturais são atribuídos a Jesus.

O termo sobrenatural (registrado pela primeira vez entre 1520-1530 d.C.) em geral designa, ao contrário do que é considerado natural, o que não admite - ou é suposto não admitir - explicação científica[1] [2] [3] . Designa aquilo que em princípio é ou ocorre fora da ordem natural, à parte das leis naturais que regem os fenômenos ordinários; aquilo que é superior à natureza [4] . Na filosofia, na cultura popular e na ficção, o termo é associado com paranormalidade, religiões e ocultismo. É propriedade imanente, por exemplo, das deidades.

Fundamentos[editar | editar código-fonte]

Em geral explicações sobrenaturais pressupõem a existência de algum tipo de realidade além da física, como o mundo espiritual, deus(es) ou uma dimensão mental não detectável pela matéria. Seria então nesta instância superior que estaria a causa do fenômeno sobrenatural, que não poderia ser detectada por meios físicos, visto estar "acima" da natureza, transcendendo-a.

Em meio religioso o sobrenatural geralmente personifica-se na forma dos então denominados milagres ou na assumida existência de entidades e forças declaradamente não reconhecidas pela ciência. Sendo a morte um fator marcante na história de todo ser vivo, muito difundida é também a ideia de existência de um universo transcendente onde a essência deste ser continuaria a existir mesmo após a morte física do mesmo.

A posição científica stricto sensu atual, contudo, é a de que não há indício algum devidamente qualificado que leve à conclusão segura de uma realidade sobrenatural subjacente ao universo natural em que vivemos.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

A existência ou não de sobrenatural é ponto recorrente em debates sócio-culturais, e não raro os defensores de ambas os lados são vistos em disputadas acaloradas; a ponto de desenvolverem desafios com prêmios vultuosos em dinheiro para quem consiga estabelecer contradição à posição então defendida. Dois prêmios atualmente em vigor, o primeiro a favor do naturalismo ontológico e o segundo alinhado com o sobrenatural, são respectivamente o Desafio de Randi e o Desafio de Zammit. Como era de se esperar, ambos os prêmios também acabaram recebendo críticas persistentes da ala oposta.

A controvérsia se estende também não apenas ao campo político e legal, mas também à aceitação pública de teorias científicas que visam a explicar de forma naturalista pontos da história do universo em senso comum há muito tradicionalmente creditados a uma ou mais entidades sobrenaturais. Reconhecer ou não textos psicografados por um médium como prova válida em um tribunal; se deve-se ou não contratar alguém para a função de médium forense; ou mesmo decidir se criacionismo deve ou não ser ensinado junto às aulas de ciências; há muito tem provocado acirrados embates nas respectivas áreas. E diante do uso recorrente do "argumento da autoridade" e não do argumento científico, verifica-se que o per facto estabelecido pela ciência nem sempre é o suficiente para evitar tampouco dirimir tais contendas; e com frequência não é o seguido por boa parte das sociedades soberanas, em particular nos estados não laicos.

Desafio de Randi[editar | editar código-fonte]

Apoiado na larga recorrência de refutações de fenômenos outrora tidos como sobrenaturais verificada após o desenvolvimento da ciência moderna, surgiram alguns prêmios para desafiar pessoas que aleguem poder apresentar um evento sobrenatural genuíno. Um dos mais famosos é desafio com premiação de um milhão de dólares oferecido pela fundação James Randi, a James Randi Educacional Foundation. Segundo as regras do desafio, ganha o dinheiro quem conseguir demonstrar a existência de qualquer fenômeno que a fundação não consiga explicar como oriundo de causa natural.

Ainda não houve ganhador algum.

Desafio de Zammit[editar | editar código-fonte]

Saindo em defesa da corrente oposta, Victor Zammit, advogado aposentado de Nova Gales do Sul (Austrália) e da Suprema Corte da Austrália, criou um desafio de um milhão de dólares para qualquer cético que conseguir refutar seus argumentos que defendem a existência da "vida após a morte". As condições são expostas na página do desafio.

Também ainda não houve ganhador algum.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://aulete.uol.com.br/sobrenatural
  2. Supernatural | Define Supernatural at Dictionary.com Dictionary.reference.com. Página visitada em 2013-06-30.
  3. Online Etymology Dictionary Etymonline.com. Página visitada em 2013-06-30.
  4. Dicionário Priberam da Língua Portuguesa: sobrenatural. Versão eletrônica acessada às 10:40 horas UTC de 19-11-13.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]