Sobrenatural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Andando sobre a água": quadro de Ivan Konstantinovich Aivazovskii (1817-1900) retratando um dos diversos atos sobrenaturais tradicionalmente atribuídos a Jesus Cristo

O termo sobrenatural (registrado pela primeira vez entre 1520-1530) em geral designa o contrário do que é considerado natural; o que não admite - ou é suposto não admitir - explicação científica.[1] [2] [3] Designa aquilo que, em princípio, é ou ocorre fora da ordem natural, à parte das leis naturais que regem os fenômenos ordinários; aquilo que é superior à natureza.[4] Na filosofia, na cultura popular e na ficção, o termo é associado com paranormalidade, religiões e ocultismo. É propriedade imanente, por exemplo, das deidades.

Fundamentos[editar | editar código-fonte]

Em geral, explicações sobrenaturais pressupõem a existência de algum tipo de realidade além da física, como o mundo espiritual, deus(es) ou uma dimensão mental não detectável pela matéria. Seria, então, nesta instância superior, que estaria a causa do fenômeno sobrenatural, que não poderia ser detectada por meios físicos, visto estar "acima" da natureza, transcendendo-a.

Em meio religioso, o sobrenatural, geralmente, personifica-se na forma dos então denominados milagres ou na assumida existência de entidades e forças declaradamente não reconhecidas pela ciência. Sendo a morte um fator marcante na história de todo ser vivo, muito difundida é, também, a ideia de existência de um universo transcendente, onde a essência deste ser continuaria a existir mesmo após a morte física do mesmo.

A posição científica stricto sensu atual, contudo, é a de que não há indício algum devidamente qualificado que leve à conclusão segura de uma realidade sobrenatural subjacente ao universo natural em que vivemos.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

A existência ou não de sobrenatural é ponto recorrente em debates socioculturais, e não raro os defensores de ambas os lados são vistos em disputadas acaloradas; a ponto de desenvolverem desafios com prêmios vultuosos em dinheiro para quem consiga estabelecer contradição à posição então defendida. Dois prêmios atualmente em vigor, o primeiro a favor do naturalismo ontológico e o segundo alinhado com o sobrenatural, são respectivamente o Desafio de Randi e o Desafio de Zammit. Como era de se esperar, ambos os prêmios também acabaram recebendo críticas persistentes da ala oposta.

A controvérsia se estende também não apenas ao campo político e legal, mas também à aceitação pública de teorias científicas que visam a explicar, de forma naturalista, pontos da história do universo em senso comum há muito tradicionalmente creditados a uma ou mais entidades sobrenaturais. Reconhecer ou não textos psicografados por um médium como prova válida em um tribunal. Se deve-se ou não contratar alguém para a função de médium forense. Ou mesmo decidir se criacionismo deve ou não ser ensinado junto às aulas de ciências. Há muito, ocorrem acirrados embates nessas áreas. E, diante do uso recorrente do "argumento da autoridade" e não do argumento científico, verifica-se que o per facto estabelecido pela ciência nem sempre é suficiente para evitar nem tampouco dirimir tais contendas, com frequência não sendo seguido por boa parte das sociedades soberanas, em particular nos estados não laicos.

Desafio de Randi[editar | editar código-fonte]

Apoiado na larga recorrência de refutações de fenômenos outrora tidos como sobrenaturais verificada após o desenvolvimento da ciência moderna, surgiram alguns prêmios para desafiar pessoas que aleguem poder apresentar um evento sobrenatural genuíno. Um dos mais famosos é desafio com premiação de um milhão de dólares oferecido pela fundação James Randi, a James Randi Educacional Foundation. Segundo as regras do desafio, ganha o dinheiro quem conseguir demonstrar a existência de qualquer fenômeno que a fundação não consiga explicar como oriundo de causa natural.

Ainda não houve ganhador algum.

Desafio de Zammit[editar | editar código-fonte]

Saindo em defesa da corrente oposta, Victor Zammit, advogado aposentado de Nova Gales do Sul (Austrália) e da Suprema Corte da Austrália, criou um desafio de um milhão de dólares dos Estados Unidos para qualquer cético que conseguir refutar seus argumentos que defendem a existência da "vida após a morte". As condições são expostas na página do desafio.

Também ainda não houve ganhador algum.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://aulete.uol.com.br/sobrenatural
  2. Supernatural | Define Supernatural at Dictionary.com Dictionary.reference.com. Visitado em 2013-06-30.
  3. Online Etymology Dictionary Etymonline.com. Visitado em 2013-06-30.
  4. Dicionário Priberam da Língua Portuguesa: sobrenatural. Versão eletrônica acessada às 10:40 horas UTC de 19-11-13.
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]