Sofia Carlota de Hanôver

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sofia Carlota de Hanôver
Rainha-Consorte da Prússia
Princesa de Hanôver
Rainha-Consorte da Prússia
Período 18 de Janeiro de 1701 - 21 de Janeiro de 1705
Predecessor Luísa Henriqueta de Orange-Nassau
Sucessor Sofia Doroteia de Hanôver
Cônjuge Frederico I da Prússia
Descendência
Frederico Guilherme I da Prússia
Pai Ernesto Augusto, Eleitor de Hanôver
Mãe Sofia de Hanôver
Nascimento 30 de Outubro de 1668
Bad Iburg, Alemanha
Morte 1 de fevereiro de 1705 (36 anos)
Hanôver, Alemanha

Sofia Carlota de Hanôver, (em alemão Sophie Charlotte von Hannover, 30 de outubro de 1668 - 1 de fevereiro de 1705) foi esposa do príncipe-eleitor de Brandemburgo Frederico III, coroado no Königsberger Schloss, em 1701, como Frederico I da Prússia, o que fez dela rainha da Prússia, filha da princesa Sofia de Hanôver e de Ernesto Augusto, Eleitor de Hanôver.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Quando era criança, Carlota visitou a França com a sua mãe na esperança de arranjar o seu casamento foi Luís de França, o "Grand Dauphin", herdeiro do trono francês. Mais tarde o príncipe casou-se com a princesa Maria Ana da Baviera, mas Carlota voltou a surgir como possível noiva, desta vez do seu pai, Luís XIV, quando a esposa dele morreu em 1683. Este plano também nunca foi realizado. Assim foi arranjado um casamento com Frederico, herdeiro do eleitorado de Brandemburgo e do ducado da Prússia. Quando se casou com Frederico, Sofia tornou-se princesa-eleitora de Brandemburgo e, quando Brandemburgo-Prússia foi elevado a reino em 1701, tornou-se a primeira rainha da Prússia. O seu único filho que chegou à idade adulta tornou-se o rei Frederico Guilherme I da Prússia. O seu marido estava tão apaixonado por ela que, apesar de ter uma amante oficial a viver num palácio, imitando o rei Luís XIV de França, nunca recorria aos seus serviços.

Sofia Carlota.

Sofia Carlota é recordada principalmente pela sua amizade e correspondência com o grande amigo e tutor da sua mãe, Gottfried Leibniz, de quem se tornou uma ávida seguidora. Além de alemão, falava francês, italiano e inglês. Em 1696, mandou construir o Palácio de Charlottenburg (que recebeu originalmente o nome de Palácio de Lützenburg), criado pelo arquitecto Arnold Nehring. Lá viveu de forma independente do marido e tinha a sua própria corte. A partir de 1700, passou a viver lá regularmente nos meses de verão. Rodeava-se de filósofos e cientistas e inspirou a criação da Academia das Ciências da Prússia. Interessava-se por música, cantava e tocava cravo, mandou construir um teatro de ópera italiana e contratou os músicos Attilio Ariosti e Giovanni Battista Bononcini. O compositor Arcangelo Corelli honrou-a com as suas sonatas Op. 5 para violino (Roma, 1700). Esta última foi uma das composições para violino mais importantes da História da música ocidental. Apesar de tudo, a natureza da sua relação com Corelli permanece obscura.

Sofia Carlota era uma personagem tão formidável que quando o czar Pedro, o Grande a conheceu a ela e à mãe durante a sua Grande Embaixada em 1697, ficou tão impressionado e intimidado que não conseguia falar. Ambas as mulheres puseram-no à vontade e ele retribuiu com o seu habitual humor e malas cheias de brocados e peles.

Sofia Carlota morreu de pneumonia no dia 21 de janeiro de 1705, quando tinha trinta-e-seis anos de idade.

Charlottenburg, Charlotttensee e o Sophie-Charlotte-Oberschule em Berlim receberam o nome em sua honra.

Descendência[editar | editar código-fonte]

  1. Frederico Augusto de Brandemburgo (6 de outubro de 1685 - 31 de janeiro de 1686), morreu aos quatro meses de idade.
  2. Frederico Guilherme I da Prússia (14 de agosto de 168831 de maio de 1740) casado com Sofia Doroteia de Hanôver; com descendência.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Sofia Carlota de Hanôver em três gerações[1]
Sofia Carlota de Hanôver Pai:
Ernesto Augusto, Eleitor de Hanôver
Avô paterno:
Jorge de Brunsvique-Luneburgo
Bisavô paterno:
Guilherme de Brunsvique-Luneburgo
Bisavó paterna:
Doroteia da Dinamarca
Avó paterna:
Ana Leonor de Hesse-Darmstadt
Bisavô paterno:
Luís V de Hesse-Darmstadt
Bisavó paterna:
Madalena de Brandemburgo
Mãe:
Sofia de Hanôver
Avô materno:
Frederico V, Eleitor Palatino
Bisavô materno:
Frederico IV, Eleitor Palatino
Bisavó materna:
Luísa Juliana de Orange-Nassau
Avó materna:
Isabel da Boémia
Bisavô materno:
Jaime VI da Escócia e I de Inglaterra
Bisavó materna:
Ana da Dinamarca

Referências

  1. The Peerage, Consultado a 14 de Dezembro de 2012

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Sofia Carlota de Hanôver
Ícone de esboço Este artigo sobre história da Alemanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.