Somebody to Love (canção de Jefferson Airplane)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Somebody to Love"
Single de Jefferson Airplane
do álbum Surrealistic Pillow
Lado B "She Has Funny Cars"
Lançamento 1 de abril de 1967
Formato(s) Disco de vinil de 45 rpm
Gravação 3 de novembro de 1966
Gênero(s) Rock psicodélico
Duração 3:01
Gravadora(s) RCA Victor
Composição Darby Slick
Produção Rick Jarrard
Cronologia de singles de Jefferson Airplane
Último
Último
"My Best Friend"
(1967)
"White Rabbit"
(1967)
Próximo
Próximo
Amostra de áudio
informação do ficheiro · ajuda

"Somebody to Love" é uma canção de rock originalmente escrita e gravada pela banda de folk estadunidense The Great Society e mais tarde pelo Jefferson Airplane. Na gravação do Airplane, ela se tornaria um dos maiores sucessos da banda e um ícone do rock psicodélico dos anos 60.

Informação[editar | editar código-fonte]

Escrita por Darby Slick, guitarrista do Great Society, e inicialmente interpretada por aquela banda, que incluía a então cunhada de Darby, Grace Slick, nos vocais, a canção não obteve êxito algum fora das casas de show da área da baía de São Francisco. A canção foi lançada como single em 1966 por uma subsidiária da Autumn Records e recebeu circulação mínima fora da área de São Francisco.

A versão do Jefferson Airplane[editar | editar código-fonte]

Em 16 de outubro de 1966, Grace saiu do Great Society para integrar o Jefferson Airplane. Durante as gravações do álbum Surrealistic Pillow, ela apresentou esta canção para sua nova banda, ao lado de "White Rabbit", uma composição de sua própria autoria. A versão mais feroz do Jefferson Airplane acabou virando o single de maior sucesso da banda, atingindo a quinta posição na Billboard Hot 100.

A canção é conduzida pelos vocais fortes de Grace e apresenta uma sonorização de hard rock, mas ainda ligada ao folk psicodélico que a banda vinha apresentando até o momento. A letra de "Somebody to Love" é apresentada, de forma não-usual entre as composições da banda, em segunda pessoa, com cada verso de duas estrofes apresentando uma cena de afastamento e desespero e o refrão repetindo, com algumas variações, o título da canção.

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

Legado[editar | editar código-fonte]

Assim como o álbum no qual aparece, a canção foi fundamental para divulgar ao resto dos Estados Unidos o movimento de contracultura de Haight-Ashbury, em São Francisco. Em 2004, a versão do Jefferson Airplane de "Somebody to Love" foi classificada como a 274ª melhor canção de todos os tempos pela revista Rolling Stone.