Soprano lírico-spinto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Extensões vocais
Femininas
Soprano
Meio-soprano
Contralto

Masculinas

Contratenor
Tenor
Barítono
Baixo

Outras classificações

Buffos
Vozes brancas
Vozes raras
Vocal gutural

Soprano lírico-spinto (ou Soprano Spinto) é o tipo de voz lírica caracterizada pela capacidade de se fazer spinto (do italiano spingere, "empurrar"). Possui cor e peso vocais para cantar passagens dramáticas sem desgaste, não-obstante não tenha as características típicas da soprano dramático, e é associada normalmente ao tenor lírico-spinto. O termo define, essencialmente, a soprano lírica que canta com mais potência nos climáx dramáticos.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

Uma vez que as classificações vocais não são consensuais, muitos autores utilizam a categoria de soprano lírico-dramático como idêntica à de lírico-spinto.[2] No entanto, outros chegam a utilizar os termos soprano lírico-spinto e soprano spinto em gradação, com o primeiro referindo-se à voz lírica capaz de cantar obras que exigem tanto lirismo quanto poder vocal, e o segundo a voz de quem se requer maior poder e dramaticidade aliada à capacidade de cantar em tessituras altas.[3] Contudo, em geral, a expressão soprano spinto é tida como abreviação da anterior.[4] Por fim, há ainda quem considere a a qualidade de spinto um atributo de certas sopranos dramáticos caracterizado pelo squillo e pelos agudos brilhantes e potentes.[5]

Essa soprano possui geralmente algo do veludo e da doçura da lírica, mas sua voz é mais encorpada e densa, recorrendo com frequência ao squillo para ultrapassar passagens de orquestração pesada e manter a potência em tessituras agudas. O tom do timbre é normalmente mais escuro e dotado de mais metal, com riqueza de harmônicos e habilidade nas mudanças de dinâmica.[6] Isso as torna ideais para papéis líricos mais expressivos, como heroínas e personagens elegíacos.

Papéis lírico-spinto têm destaque sobretudo no romantismo e no verismo italianos. Com o amadurecimento da voz, algumas sopranos podem interpretar alguns papéis de soprano dramático, e muitas delas chegam ao repertório spinto após desenvolverem uma carreira inicial como soprano lírico. Contudo, por ser relativamente raro, os papéis escritos para tal tipo de voz são frequentemente interpretados por sopranos de outras categorias, o que levou à ruína vozes de muitas sopranos líricas.[7] Sua tessitura aproximada é do Dó3 ao Ré5.[6]

Classificações francesa e alemã[editar | editar código-fonte]

Na França, esse tipo de voz é incluído na categoria Soprano lyrique dramatique, que é a categoria que corresponde às sopranos lírico-spinto chamada de lírico dramático. Esta soprano possui os agudos da soprano lírica e o poder do soprano dramático. [8]

Na Alemanha, há a categoria especial de Jugendlicher-dramatischer sopran (literalmente soprano dramática jovem), categoria similar à da soprano lírico-spinto. Uma voz redonda e lírica mas com timbre relativamente metálico e poder, capaz de igualmente cantar em tessituras elevadas e de brilhar em passagens de intenso dramatismo, assim como fazer-se ouvir sob orquestração pesada. É categoria de grande importância no repertório alemão, e frequentemente é interpretada de início por sopranos que, quando amadurecem, adentram no repertório dramático. Exemplos de papéis germânicos para Jugendlicher-dramatischer sopran são: Agathe (Der Freischütz), Imperatriz (Die Frau ohne Schatten), Elizabeth (Tannhäuser) e Elsa (Lohengrin).

Registros[editar | editar código-fonte]

Registro agudo[editar | editar código-fonte]

Mais vigoroso e amplo que o da soprano lírico e dotado de cor clara e brilhante, marcado amiúde pelo squillo, isto é, a ressonância vibrante das notas agudas para fazer frente à orquestra e adquirir maior projeção vocal.

Registro central[editar | editar código-fonte]

Comparado ao da soprano lírico, é vigoroso, potente e expressivo, com tom geralmente mais redondo e levemente metálico, mas ainda claro e aveludado. Tais características propiciam habilidade em conferir uma forte carga dramática no canto e cantar sustentadamente em linhas vocais com orquestra pesada.[9]

Registro grave[editar | editar código-fonte]

É extenso e forte, menos igualado com os outros registros. Frequentemente as sopranos lírico-spinto, assim como sopranos dramáticos, recorrem aos graves emitidos com voz de peito como recurso dramático.

Coloratura[editar | editar código-fonte]

Algumas sopranos com características típicas de lírico-spinto têm agilidade e extensão suficientes para cantar com sucesso determinados papéis de coloratura. Geralmente esses sopranos alternam seus papéis líricos e lírico-spintos com papéis de coloratura, seja aqueles também lírico-spinto mas que exigem ornamentos (Leonora de Il Trovatore ou Luisa Miller da ópera homônima de Verdi) ou os compostos para sopranos dramático-coloratura. Sua tessitura aguda pode chegar a um Mib5 até um Fá5.[carece de fontes?]

Papéis para soprano lírico-spinto[editar | editar código-fonte]

Papéis que requerem coloratura[editar | editar código-fonte]


Referências

  1. "Singing", de William Venard, página 79 The New Grove Book of Operas (2008). Visitado em 4-2-2009.
  2. [1]
  3. Livro "Training Soprano Voices", página 10 Training Soprano Voices (2008). Visitado em 2009-02-04.
  4. Livro "The New Grove Book of Operas", página 697 The New Grove Book of Operas (2008). Visitado em 4-2-2009.
  5. [2]
  6. a b Coffin, Berton. Coloratura, Lyric and Dramatic Soprano, Vol. 1. [S.l.]: Rowman & Littlefield Publishers, Inc., 1960. ISBN 13: 9780810801882.
  7. Boldrey, Richard; Robert Caldwell, Werner Singer, Joan Wall and Roger Pines. Singer's Edition (Soubrette): Operatic Arias - Soubrette. [S.l.]: Caldwell Publishing Company, 1992. ISBN 13: 9781877761034.
  8. La classification des voix féminines (em francês) Mazay Communications. Visitado em 9 de outubro de 2014.
  9. [3]