João de Souza Mendes Júnior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Souza Mendes)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde janeiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A Wikipédia possui o
Portal de Enxadrismo

João de Souza Mendes Júnior (Angra do Heroísmo, 23 de junho de 1892Rio de Janeiro, 10 de julho de 1969) foi um médico e enxadrista luso-brasileiro, tendo sido o primeiro campeão de xadrez do Brasil em 1927, sendo novamente campeão nos anos de 1928, 1929, 1930, 1943, 1954 e 1958.

Vida[editar | editar código-fonte]

Souza Mendes chegou ao Brasil ainda criança e naturalizou-se brasileiro. Foi médico sanitarista do Instituto Oswaldo Cruz, otorrinolaringologista e introdutor da cirurgia plástica regenerativa facial no Brasil. Fazia as cirurgias nas pessoas feridas e acidentadas. Teve sete filhos: João José de Souza Mendes, Júlio Jacob de Souza Mendes, Jorge Jaime de Souza Mendes, Julieta Josefina de Souza Mendes, Yara Pia Converso, Liana d'Urso de Souza Mendes e Mário d'Urso de Souza Mendes.Ainda no 1º casamento, com Jurema Maciel da Rocha adotou 2 outros filhos, Walter e Jureminha.

Participou de 24 finais de campeonatos nacionais, foi campeão carioca por 11 vezes, sendo 7 delas seguidas de 1925-1932, e outras de, 1943-1944, 1954-1956 e 1958-1959 (6ª edição do Manual de Xadrez por LUIZ CABRERIZO), disputou vários torneios internacionais e representou o Brasil nas Olimpíada de Xadrez em 1936, 1939 (Buenos Aires) e 1952 (Helsinki). Além do recorde de ser campeão brasileiro por sete vezes, Souza Mendes ainda foi vice-campeão em três ocasiões e se classificou em terceiro lugar em outros cinco campeonatos brasileiros, sendo que foi vice em 1967 aos 73 anos de idade, quando foi o único a derrotar o campeão, Henrique Mecking, na época com apenas treze anos.

Souza Mendes era admirado e respeitado por todos os enxadristas brasileiros em virtude de seu cavalherismo e ética durante os torneios, recebendo o adágio de "A Palmeira Imperial do Xadrez Brasileiro", pelo enxadrista Gilberto Câmara.

Partida antológica[editar | editar código-fonte]

1.e4 g6 2.d4 Bg7 3.Cf3 d6 4.Bc4 Cf6 5.Cc3 Cxe4 6.Bxf7+ xf7 7.Cxe4 Tf8 8.De2 Rg8 9.Ceg5 e5 10.dxe5 h6 11.Ce4 dxe5 12.h4 Dd5 13.c4 Df7 14.h5 gxh5 15.Be3 Be6 16.Cfd2 Bg4 17.f3 Be6 18.Rf2 Cc6 19.Th4 Cd4 20.Bxd4 exd4 21.Dd3 Bf5 22.Tah1 Bg6 23.Re2 b5 24.Tc1 b4 25.Tg1 De7 26.Thh1c5 27.Rd1 Tf4 28.Te1 Dc7 29.Cb3 Bf8 30.g3 Tf4f7 31.Cbd2 Dd7 32.Th4 Be7 33.Th2 Rg7 34.Rc1 Taf8 35.De2 Td8 36.Dd3 Bg5 37.f4 Be7 38.Cf3 Bf6 39.Dd1 Df5 40.Dd3 Te7 41.Cfd2 Tde8 42.The2 Te6 43.Rb1 Bd8 44.Ra1 Bc7 45.Df3 Rh8 46.Dh1 Rg7 47.Df3 a5 48.b3 h4 49.gxh4 Dxf4 50.Dg2 Dxh4 51.Cf3 De7 52.Cg3 Txe2 53.Txe2 Df7 54.Ch5+ Rh8 55.Txe8+ Dxe8 56.Cf6 Df7 57.Ch4 Dxf6 58.Cxg6+ Rh7 59.Db7 d3+ 60.Rb1 Df1+ (0-1)
  • A mesma partida com notação padrão e algumas correções, para copiar e colar em interfaces e acompanhar o jogo:
1.e4 g6 2.d4 Bg7 3.Nf3 d6 4.Bc4 Nf6 5.Nc3 Nxe4 6.Bxf7+ Kxf7 7.Nxe4 Rf8 8.Qe2 Kg8 9.Neg5 e5 10.dxe5 h6 11.Ne4 dxe5 12.h4 Qd5 13.c4 Qf7 14.h5 gxh5 15.Be3 Be6 16.Nfd2 Bg4 17.f3 Be6 18.Kf2 Nc6 19.Rh4 Nd4 20.Bxd4 exd4 21.Qd3 Bf5 22.Rah1 Bg6 23.Ke2 b5 24.Rc1 b4 25.Rg1 Qe7 26.Rhh1 c5 27.Kd1 Rf4 28.Re1 Qc7 29.Nb3 Bf8 30.g3 Rf4f7 31.Nbd2 Qd7 32.Rh4 Be7 33.Rh2 Kg7 34.Kc1 Raf8 35.Qe2 Rd8 36.Qd3 Bg5 37.f4 Be7 38.Nf3 Bf6 39.Qd1 Qf5 40.Qd3 Re7 41.Nfd2 Rde8 42.Rhe2 Re6 43.Kb1 Bd8 44.Ka1 Bc7 45.Qf3 Kh8 46.Qh1 Kg7 47.Qf3 a5 48.b3 h4 49.gxh4 Qxf4 50.Qg2 Qxh4 51.Nf3 Qe7 52.Ng3 Rxe2 53.Rxe2 Qf7 54.Nh5+ Kh8 55.Rxe8+ Qxe8 56.Nf6 Qf7 57.Nh4 Qxf6 58.Nxg6+ Kh7 59.Qb7 d3+ 60.Kb1 Qf1+ (0-1)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre enxadrismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.